Bronquite infecciosa aviária: sintomas e tratamento

A bronquite infecciosa aviária é uma doença que produz sintomas respiratórios nas aves. Tem alta taxa de mortalidade e só pode ser prevenida com vacina.
Bronquite infecciosa aviária: sintomas e tratamento

Última atualização: 17 fevereiro, 2022

A bronquite infecciosa aviária é uma das doenças mais comuns em aves terrestres, como as galinhas, embora o vírus seja capaz de afetar mais espécies. Desde sua descoberta em 1930, ela ainda não foi erradicada em locais onde as aves ficam aglomeradas, como fazendas para a produção de carne e ovos.

Se você mora com pássaros e tem suspeitas de que os sintomas respiratórios que eles apresentam são derivados dessa doença, leve-o ao veterinário. Entretanto, aqui você poderá conhecer as características, os sintomas e os tratamento que existem hoje.

O que é a bronquite infecciosa aviária?

A bronquite infecciosa aviária é uma doença viral aguda e altamente contagiosa. O vírus que o causa pertence ao gênero Coronavirus e à ordem dos Nidovirales. Embora esteja associado ao trato respiratório, a verdade é que o patógeno também se replica no aparelho digestivo e até no aparelho reprodutor.

A incubação do vírus dura cerca de 10-14 dias, tempo em que os primeiros sintomas aparecem.

Essa condição infecciosa afeta principalmente aves terrestres, como galinhas, pavões, codornizes e perdizes. Não importa a idade do animal, pois já foram relatados casos em todas as fases da vida. Além disso, também pode causar estragos nos rins e ovários, além de afetar o desenvolvimento dos filhotes (se sobreviverem).

Uma veterinária avaliando uma galinha.

Causas de contágio

A principal via de transmissão são os aerossóis (gotículas que se espalham pelo ar ao tossir e espirrar) e o contato com as fezes dos animais infectados. As infecções são favorecidas de maneira desmedida onde vários animais vivem juntos. Apresenta elevado ritmo de expansão e alta taxa de mortalidade.

A bronquite infecciosa aviária está presente em todo o mundo e existem vários sorotipos específicos próprios de cada região, como a cepa QX (China), a Massachusetts ou a Italy 02, também encontrados na Espanha.

A bronquite infecciosa aviária não é zoonótica, ou seja, não pode ser transmitida ao homem. Afeta apenas pássaros e não todas as espécies. Em qualquer caso, por segurança é aconselhável desinfetar as áreas onde o vírus foi encontrado, pois as infecções bacterianas secundárias são comuns.

Sintomas da bronquite infecciosa aviária

Como mencionado acima, os sintomas dessa doença não se limitam apenas ao aparelho respiratório, mas acometem mais órgãos, afetando suas funções. Os sinais clínicos mais representativos são os que você encontra abaixo:

  • Tosse.
  • Nariz escorrendo e secreção ocular.
  • Espirros.
  • Dificuldade em respirar (a ave abre o bico ou emite ruídos respiratórios).
  • Os pássaros ficam agrupados em fontes de calor.
  • Fezes aquosas.
  • Aumento do consumo de água.
  • Postura anormal de ovos (ovos sem casca, deformados, etc.).
  • Letargia.

Alguns desses sintomas são compatíveis com outras doenças das aves, como a cólera ou a varíola. É por isso que você deve levar o animal ao veterinário imediatamente, especialmente quando conviver com mais de um espécime.

Diagnóstico

A observação dos sintomas não é suficiente para obter um diagnóstico confiável, pois é necessário isolar o vírus por meio de testes sorológicos para identificá-lo. Alguns deles são os seguintes:

  • Teste ELISA: esse teste detecta anticorpos criados contra o vírus da bronquite infecciosa aviária no soro sanguíneo.
  • RT-PCR: a reação em cadeia da polimerase fornece resultados bastante confiáveis no isolamento e na identificação do vírus, mas é um teste caro.
  • Inibição da hemaglutinação (HI): para determinar sorotipos.
  • Ensaios de imunofluorescência.
  • Vírus de neutralização.
  • Técnicas de imunohistoquímica.
  • Microscópio eletrônico.
  • Anticorpos monoclonais.

Com exceção dos 2 primeiros, que são os mais utilizados, os demais são testes acessórios para refinar o diagnóstico de diferentes cepas. Muitas vezes, são muito úteis no tratamento.

Tratamento da bronquite infecciosa aviária

Não há tratamento específico para bronquite infecciosa aviária, mas essa abordagem visa aliviar os sintomas. Por exemplo, o aumento da temperatura das instalações parece reduzir a mortalidade do quadro. Recomenda-se também reduzir a quantidade de proteína fornecida na dieta e adicionar eletrólitos à água para evitar desequilíbrios metabólicos.

Por outro lado, quase sempre são prescritos antibióticos, pois ajudam a controlar as infecções oportunistas que aparecem durante o curso viral. Dessa forma, a probabilidade de que a ave afetada morra é reduzida.

Prevenção

A prevenção e o controle dessa doença são feitos por meio da vacinação. Existem vacinas vivas (com vírus atenuado) ou inativas (vírus mortos), dependendo da cepa patogênica a ser tratada e da população de aves em questão.

A questão da vacinação é complexa, porque enquanto algumas vacinas controlam mais de uma cepa, para outros sorotipos não existe nenhuma. É por isso que a identificação do vírus é tão necessária: em muitos casos, pode ser administrada uma dose que não protege o animal de forma adequada.

Por que um cachorro ataca galinhas?

Por outro lado, é necessário isolar os espécimes infectados à medida que aparecem. A mortalidade causada pela bronquite infecciosa aviária é alta, então resta apenas aliviar os sintomas e confiar que o animal vai superar a doença. Todas as áreas e habitats dos animais devem ser sempre bem desinfetados, caso contrário o vírus não desaparecerá do meio ambiente.

Pode interessar a você...
Gripe aviária: impacto nas granjas
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Gripe aviária: impacto nas granjas

A gripe aviária representa uma séria ameaça à saúde dos animais e dos seres humanos. Além disso, vem impactando negativamente a economia das grande...



  • Beiras, A. M. A. (2010). Bronquitis infecciosa aviar: diagnóstico y control. REDVET. Revista electrónica de Veterinaria11(3), 1-23.
  • Argoti, G. C., Alfonso, V. J. V., Jaime, J. C., & Nieto, G. C. R. (2015). Comportamiento del virus de la bronquitis infecciosa aviar en aves con sintomatología respiratoria provenientes de granjas de producción del Departamento de Cundinamarca. Nova13(23).
  • Lopez, J. C., Mcfarlane, R., & Ulloa, J. (2006). Detección y caracterización del virus de bronquitis infecciosa aviaria en Chile mediante RT-PCR y análisis secuencial. Archivos de medicina veterinaria38(2), 175-178.