Tratamento contra vermes em gatos

Os parasitas internos dos felinos podem ser tão inofensivos quanto graves, dependendo de quanto a infestação pode avançar. Aprenda aqui qual é o tratamento contra vermes em gatos.
Tratamento contra vermes em gatos

Última atualização: 29 janeiro, 2022

Os endoparasitas são relativamente comuns de encontrar em animais domésticos, especialmente se eles puderem acessar o ar livre ou forem filhotes órfãos resgatados. Porém, não se preocupe se seu felino for diagnosticado com esse tipo de infestação: o tratamento contra vermes em gatos é simples e eficaz.

Ao longo dessas linhas, você poderá explorar as causas, o tratamento e a prevenção desses parasitas desagradáveis. É importante tratá-los na hora certa para que não apareçam complicações graves. Por isso, não perca o que vem a seguir.

O que são vermes ou parasitas intestinais?

Os vermes intestinais dos gatos são chamados de nematoides ascarídeos, sendo Toxocara cati e Toxascaris leonina os mais frequentes em felinos. Sua aparência é alongada, branca e tubular, podendo chegar a 50 centímetros de comprimento. Embora sejam chamados de vermes por causa de sua silhueta vermiforme, eles não têm nada a ver com larvas de insetos em termos taxonômicos.

Esses parasitas têm uma boca em forma de gancho que permite que eles se fixem na parede intestinal para se alimentar dos nutrientes ingeridos pelo gato. Quando atingem a idade adulta, começam a desprender segmentos de si mesmos (chamados proglótides) que saem do corpo do gato através das fezes ou do leite materno.

A maioria dos endoparasitas passa por uma série de estágios larvais na mesma ou em diferentes partes do corpo do hospedeiro definitivo antes de fechar seu ciclo. Além disso, muitos precisam passar por vetores antes de chegar ao felino.

O granuloma eosinofílico em gatos requer tratamento especializado.

Tipos de vermes que afetam gatos

Além dos parasitas intestinais já mencionados, existem outros tipos de nematoides e tênias (vermes planos) que podem afetar os felinos domésticos. Os mais comuns são estes:

  • Vermes pulmonares: são conhecidos como estrôngilos e o mais comum é o Aelurostrongylus abstrusus. Colonizam os brônquios e os dutos alveolares.
  • Dirofilaria immitis: esse parasita é a causa da filariose, um tipo especial de infestação do tecido cardíaco.
  • Vermes oculares: podem ser vistos diretamente no olho do gato. O parasita mais comum nessa área pertence ao gênero Thelazia.
  • Vermes hepáticos ou trematódeos: os parasitas Fasciola hepatica, Clonorchis sinensis e Opistorchis viverrini se alojam nas vias biliares do fígado e podem produzir sintomas de cirrose.
  • Vermes da bexiga: Capillaria plica e Capillaria feliscati são os mais comuns. Sua infestação é chamada de capilaríase e muitas vezes não causa sinais visíveis no paciente até que esteja avançada.

Como um gato é infestado por esses parasitas?

Para um felino ser infestado com esses parasitas, ele precisa entrar em contato com os proglótides mencionados acima, que estão ativos no meio. Normalmente, isso ocorre porque o animal caminha sobre superfícies contaminadas e depois as ingere durante seu asseio pessoal.

Os gatos que saem de casa para caçar pequenos animais também são suscetíveis à infecção, pois podem carregar o parasita dentro deles.

Uma ninhada de gatinhos que mama em uma mãe com vermes também pode pegá-los. Isso ocorre porque as larvas de Toxocara cati são capazes de sair do intestino e se alojar em outros tecidos do corpo, como as glândulas mamárias.

Outra forma de transmissão é a convivência com outras espécies que podem estar infestadas, como os cães domésticos. Nem todos os parasitas são exclusivos de uma espécie: por exemplo, o Toxascaris leonina é capaz de infestar cães e gatos. Alguns dos seres vivos infectados são portadores da doença e outros são meros vetores.

Sintomas de infestação por nematoides ascarídeos

Se a infestação não se proliferar muito, é possível que o gato fique assintomático (sem sinais clínicos evidentes) e o organismo a elimine. No entanto, se for um caso mais sério, os sintomas que você encontrará são os seguintes:

  • Fezes moles e diarreia líquida.
  • Prisão de ventre.
  • Vômito
  • Desconforto intestinal.
  • Abdômen inchado.
  • Falta de apetite.
  • Pelagem com mal aspecto.
  • Emagrecimento inexplicável.
  • Irritação anal.

No pior dos casos, os parasitas podem se enrolar e bloquear o intestino. Isso gera impactação severa e desnutrição, ambos os quadros potencialmente letais. Outra possibilidade é a anemia, especialmente em filhotes, que é fatal e retarda o crescimento.

Qual é o tratamento contra vermes em gatos?

O tratamento mais adequado, rápido e eficaz para eliminar os parasitas intestinais em felinos é a desparasitação interna. Existem vários formatos de medicamentos para lidar com essa condição: tabletes, xaropes e até pipetas que evitam que insetos transmissores de patógenos se aproximem do animal.

As pulgas (Ctenocephalides felis), por exemplo, podem carregar ovos de tênia dentro delas e passá-los para o gato se forem comidas ou mordidas. São vetores.

Os medicamentos mais comumente utilizados são anti-helmínticos de amplo espectro, tais como fenbendazole (Panacur) e Drontal, que inclui uma mistura de pirantel, praziquantel, e fenbendazole. O gato pode precisar de várias doses para se livrar completamente da infestação. Portanto, siga as recomendações do veterinário à risca.

Se a infecção vier de um vetor externo, como pulgas, o veterinário prescreverá uma desparasitação externa mensal como prevenção. O tratamento será mantido até que os agentes vetoriais desapareçam do ambiente do gato.

Tratamento contra vermes em filhotes de gatos

Nos filhotes, os parasitas intestinais têm um efeito muito mais prejudicial no corpo dos animais. Quando os filhotes contraem esse parasita através do leite materno ou outro meio, uma desparasitação periódica é prescrita a cada 2-4 semanas, e as doses são espaçadas até que o calendário de vacinação seja concluído.

Os anti-helmínticos usados nesses casos são os mesmos do anterior, mas as doses podem ser menores e ajustadas ao peso do animal.

Um grupo de ancilóstomos.

Os remédios caseiros quando aplicados sozinhos não funcionam

Na internet é possível encontrar uma infinidade de remédios caseiros, baratos e aparentemente fáceis de eliminar parasitas. Então, você pode ficar tentado a experimentá-los para evitar uma visita ao veterinário. No entanto, sua eficácia não é comprovada cientificamente, servindo apenas como métodos acessórios à terapia medicamentosa.

Se você suspeita que seu felino possa estar infestado de vermes, leve-o sem falta à clínica, pois o tratamento é simples e fácil de administrar. E, claro, não se esqueça de que a melhor arma contra essas doenças é a prevenção por meio de desparasitação e das vacinas regulares.

Pode interessar a você...
Qual é o melhor tratamento para os vermes em cães?
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Qual é o melhor tratamento para os vermes em cães?

As lombrigas ou vermes em cães são um problema mais comum do que imaginamos. É necessário tratá-los a tempo para evitar complicações.