Cães de raças pequenas que mancam

· janeiro 30, 2019
Devido a um defeito congênito, existem certos cães que, entre 4 e 12 meses, passam a mancar, algo que pode se tornar uma doença degenerativa se não for tratada.

Os cães de raças pequenas que mancam desde filhotes são os que apresentam a doença de Legg-Calvé-Perthes, embora alguns comecem a apresentar sintomas apenas na vida adulta. Nós falaremos mais sobre isso neste artigo.

Cães de raças pequenas que mancam: o que saber

Os cães de raças pequenas estão mais propensos a sofrer de uma doença conhecida como Legg-Calvé-Perthes, em que o sangue não chega adequadamente aos músculos dos membros posteriores.

Isso causa algumas dificuldades para andar e eles passam a mancar em diferentes graus. Esta condição também é conhecida como “necrose avascular” e afeta principalmente a cabeça do fêmur. 

O distúrbio causa atrofia e, em alguns casos, é muito doloroso. É diagnosticada entre 4 e 12 meses de vida do animal e, se não for tratada, pode ser degenerativa e, também, afetar o quadril.

Alguns veterinários recomendam o uso de cintos ou faixas, nos cães de raças pequenas, que mancam devido à doença de LCP. Também é aconselhável o descanso e imobilização das patas traseiras do animal.

Mas, em muitos casos, os profissionais acabam optando por realizar uma intervenção cirúrgica para reverter a situação, principalmente quando o problema já está avançado.

Cães de raças pequenas que mancam devido à luxação de rótula

Uma luxação de rótula pode estar por trás desse problema. A rótula é uma ossificação do tendão e está localizada no quadríceps.

A tendência à luxação pode ter origem hereditária, embora possa ser agravada por fatores nutricionais ou ambientais.

Além da dor ao caminhar, o animal provavelmente andará mancando e o problema se tornará ainda pior quando o animal estiver acima do peso ou fizer muito esforço.

Esse tipo de claudicação é frequente em cães de raças pequenas, porque é um defeito congênito.

Ao nascer, seus joelhos são saudáveis, mas à medida que crescem, o sulco do fêmur perde profundidade e a patela circula “livremente”. Isso faz com que ela se desvincule do local e complique o andar.

Ao contrário da doença LCP, a luxação da rótula pode aparecer nas patas dianteiras ou traseiras.

Quais são os cães de raças pequenas que mancam?

Cães de raças pequenas têm muitas características em comum, além do seu tamanho. Por exemplo, muitos deles mancam devido a doença conhecida como Legg-Calvé-Perthes, como já dissemos anteriormente.

Estes são os cães mais vulneráveis ​​ao problema:

  1. Bichon Maltês

Este cão, originário da ilha mediterrânea de Malta, mas que se tornou famoso na Itália, é bastante saudável, embora possa vir a mancar principalmente devido a problemas nos joelhos e rótulas. É necessário evitar o ganho de peso.

Bichon Maltês

  1. Yorkshire terrier

Esta pequena raça nativa da Inglaterra (surgiu no auge da Revolução Industrial) pode sofrer de muitos problemas de saúde, incluindo luxação de rótula, alergias de pele, problemas cardíacos, catarata, ceratite seca e sistema digestivo delicado.

Yorkshire terrier

  1. Poodle toy

Este é outro dos cães de raça pequena que mancam mais comumente do que as outras sub-raças (grandes, médias ou anãs).

poodle toy mede no máximo 28 centímetros e essa é a principal característica que o diferencia dos outros poodles.

Poodle toy

  1. Pug

pug é uma raça de cães da China, muito querida no Reino Unido, que se tornou bastante “famosa” nos últimos tempos.

Do tipo molosso, o pug sofre da síndrome braquicefálica devido ao seu focinho achatado; ele não suporta o calor e sua respiração é difícil.

Pug ou Carlino

Mas também esses cães tendem a sofrer de obesidade, pois comem muito e não gostam de se exercitar.

Isso piora o quadro e aumenta as chances de ele vir a mancar, já que suas articulações sofrem com o fato de ter que suportar tanto peso ao caminhar.

Se no momento de levar seu animal de estimação para passear, você detecta que ele está mancando, busque a causa.

Talvez seja porque pisou em falso, por uma dor específica, porque ele tem algo preso nas almofadinhas… mas se ele continuar a fazer isso depois de vários dias, recomendamos que você consulte o veterinário para um exame, especialmente se ele for de uma raça pequena.

Vargas-Carvajal, I. X., & Martínez-Ballesteros, Ó. F. (2012). Enfermedad de Legg-Calvé-Perthes. Revisión actualizada. Semergen. https://doi.org/10.1016/j.semerg.2011.09.012