Não, os gatos não são mais inteligentes do que os cães

· julho 22, 2018

Os cães são mais inteligentes do que os gatos? Aparentemente, agora, a ciência tem uma reposta para essa questão. Dessa forma, a seguir saberemos o desfecho de uma das maiores polêmicas do mundo dos animais de estimação.

Os cães são mais inteligentes do que os gatos?

O número de neurônios importa

Uma publicação da revista científica Frontiers in Neuroanatomy, afirma que o córtex cerebral dos cães abriga o dobro de neurônios que o dos gatos. A equipe de cientistas responsável por essa descoberta é oriunda de seis universidades localizadas nos Estados Unidos, Dinamarca, Brasil e África do Sul.

gato com brinquedo
Fonte: yoppy

A responsável pelo método para quantificar os neurônios do cérebro de uma espécie é a professora Suzana Herculano-Houzel. De acordo com a cientista, o primeiro passo para se chegar a um número aproximado é converter o cérebro em uma sopa, já que a partir desse momento é mais fácil isolar os núcleos das células neuronais e calcular o seu número.

Número de neurônios, medida de inteligência

O neurônio é a unidade básica do processamento de informação. A capacidade cognitiva de qualquer ser vivo, então, está diretamente relacionada com a quantidade de neurônios que ele tiver. E segundo Herculano-Houzel o fator quantitativo é chave:

“A quantidade absoluta de neurônios que tem um animal, especialmente no córtex cerebral, determina a riqueza de seu estado mental interno e sua capacidade de prever o que está a ponto de acontecer em seu entorno, de acordo com experiências passadas.”

Suas descobertas se baseiam na aplicação do chamado “método da sopa”, o córtex cerebral dos cães, o tecido nervoso que recobre os dois hemisférios cerebrais, com quase alguns milímetros de espessura. Geralmente chamado de “massa cinzenta”, esse tecido orgânico é essencial para o nosso processo de tomada de decisões.

A utilização dessa zona cerebral é especialmente relevante, porque nela se processam os estímulos externos que chegam às espécies através da visão e do tato.

Então, os cães são mais inteligentes?

Para chegar a conclusão de que os cães são mais inteligentes, o neurologista Herculano Houzel e sua equipe utilizaram três cérebros: um de gato, um de um Golden Retriever e outro de um cão vira-latas de pequeno porte.

Foram utilizados dois cérebros de cães por conta das grandes diferenças que costuma haver entre raças de tamanho diferente. Descobriu-se que o córtex cerebral de ambos os cães abrigava quinhentos milhões de neurônios e, enquanto isso, o do gato só contava com duzentos e cinquenta milhões.

Dessa forma, os pesquisadores analisaram os cérebros de oito espécies diferentes de carnívoro para estabelecer uma equivalência. Eles escolheram furões, mangustos, guaxinim, gatos, cães, hienas, leões e ursos-pardo.

Em comparação, estimou-se que a inteligência dos cães era similar a dos guaxinins e a dos leões, enquanto que a dos gatos apenas comparável a dos ursos. Cada ser humano, em contrapartida, conta com dezesseis bilhões de neurônios em seu cérebro. Em seguida, a espécie mais inteligente é o elefante com cinco bilhões e seiscentos milhões de neurônios.

golden retriever

Uma hipótese ainda sem confirmação

Um grupo de pesquisadores buscava, realmente, confirmar a hipótese de que os cérebros das espécies carnívoras tinham mais neurônios do córtex do que os das espécies de herbívoros. Isso não foi ser confirmado, porque não se encontram grandes diferenças na correlação de quantidade de neurônios/tamanho do animal.

Estima-se que isso é assim porque o estresse a que foram submetidos os herbívoros fez com que eles desenvolvessem sua capacidade cerebral. Na verdade, os carnívoros de maior porte costumam ser os que contam com menos neurônios. Por exemplo, o cérebro do urso é dez vezes maior que o do gato, mas ambos contam com os mesmos neurônios.

Além disso, os pesquisadores também se surpreenderam com o caso dos guaxinins: com o cérebro do tamanho do de um gato, possui o mesmo número de neurônios que um cão. Um guaxinim tem um número de neurônios superior à média de outros animais da mesma família.

Portanto, tanto cães quanto gatos podem ser excelentes companheiros de vida para o ser humano, embora agora os que preferem os gatos tenham um argumento a menos a seu favor.

Fonte da imagem principal: balnxii