Cardiomiopatia dilatada em furões

A cardiomiopatia dilatada é uma condição que ocorre principalmente em furões mais velhos. Essa doença se manifesta com uma ampla gama de sinais clínicos muito inespecíficos.
Cardiomiopatia dilatada em furões

Última atualização: 27 Novembro, 2021

A cardiomiopatia dilatada é a doença cardíaca mais comumente diagnosticada em furões adultos. Essa doença se caracteriza pela perda progressiva da contratilidade cardíaca, que resulta em uma série de sinais clínicos bastante genéricos, como apatia, perda de apetite e letargia. O quadro pode ser confundido com os efeitos da idade, mas se trata de uma condição patológica.

A cardiomiopatia dilatada é apenas uma das condições comuns em furões, mas existem muitas outras. É necessário ir ao veterinário prontamente assim que uma série de sintomas específicos forem percebidos no animal, por isso não deixe de ler. Veja como detectar insuficiência cardíaca em seu animal de estimação antes que seja tarde demais.

O que é a cardiomiopatia dilatada?

O termo cardiomiopatia dilatada é usado em vertebrados para descrever uma doença específica do músculo cardíaco. Nessa condição ocorre um alongamento e uma redução da força do miocárdio (tecido do músculo cardíaco), o que torna mais difícil para esse órgão movimentar o sangue por todo o corpo. Como resultado, alguns tecidos param de receber a quantidade de nutrientes e O₂ de que precisam.

A cardiomiopatia dilatada (CMD) é a patologia cardíaca e circulatória mais comum em furões adultos, junto com patologias valvulares adquiridas e certos tipos de arritmias. Por outro lado, considera-se que a miocardite, as doenças infecciosas do coração, a endocardite e as neoplasias nesse órgão têm baixa incidência nesses mustelídeos.

Essa condição é mais comum em furões adultos com mais de 4 anos de idade (especialmente se levarmos em consideração que sua expectativa média de vida varia entre 5 e 10 anos). Por outro lado, não existe tendência maior para nenhum dos sexos. Machos e fêmeas são igualmente propensos a desenvolver cardiomiopatia.

Com o tempo, o enfraquecimento do coração pode levar à insuficiência cardíaca súbita. Também causa problemas vasculares graves, arritmias (batimentos cardíacos irregulares) e trombose. É necessário diagnosticar o animal rapidamente, pois essa condição é considerada uma emergência médica.

À medida que os músculos do coração se tornam frágeis, o coração se dilata e para de bombear o sangue com a força que deveria.

Um furão dormindo.

Causas da cardiomiopatia dilatada em furões

A causa da cardiomiopatia dilatada nessa espécie é desconhecida. Em gatos domésticos, foi detectado que o enfraquecimento do músculo cardíaco está associado à falta de aminoácidos na dieta (especificamente taurina), mas isso não parece ser o caso dos furões. Em qualquer caso, não se pode descartar uma possível origem relacionada à alimentação.

Essa condição é muito mais comum em furões idosos. Portanto, sua causa é frequentemente atribuída à idade.

Sintomas

A maioria dos furões com menos de 2 anos de idade não mostra sinais de cardiomiopatia hipertrófica. Em qualquer caso, o dano cardíaco piora lenta e continuamente com o tempo, o que faz com que uma série de sinais inespecíficos apareçam no animal. Dentre eles, destacamos os seguintes:

  • Taquicardias sinusais: os batimentos por minuto normais nessa espécie variam entre 180 e 250, mas em um quadro de CMD podem aumentar acima de 250.
  • Respiração mais rápida do que o normal e dificuldades respiratórias.
  • Gengivas azuladas: os tecidos ficam azulados ou cianóticos devido à falta de oxigênio resultante da insuficiência cardíaca.
  • Perda de apetite e anorexia.
  • Apatia generalizada.
  • Armazenamento de fluidos no tórax e abdômen (inchaço).

Infelizmente, os sintomas citados geralmente não aparecem até que o coração já esteja gravemente danificado. Portanto, tratar o animal de estimação é mais difícil nesse ponto.

Diagnóstico

Uma vez na clínica, o veterinário fará uma avaliação física geral do furão. Isso inclui escutar o ritmo cardíaco e os sons respiratórios anormais com um estetoscópio. Em qualquer caso, o exame superficial não permitirá um diagnóstico diferencial.

As radiografias torácicas são muito úteis para detectar condições como essa, pois permitem avaliar o tamanho do coração e os possíveis danos sofridos ao longo do tempo. Por outro lado, a ecocardiografia permite observar em tempo real como o miocárdio bombeia o sangue, o que é uma indicação do estado geral do coração.

Infelizmente, nem todos os veterinários têm acesso a esses tipos de testes de diagnóstico, que são muito caros.

Tratamento da cardiomiopatia dilatada em furões

Essa condição é considerada uma emergência médica. Portanto, o furão deve receber tratamento adequado de acordo com suas necessidades assim que o quadro for diagnosticado. A abordagem clínica tem 2 objetivos específicos: fazer com que o coração do animal distribua melhor o sangue por todo o corpo e reduzir a quantidade de líquido que se acumula no tórax e no abdômen.

Para conseguir a redução dos fluidos acumulados, o veterinário irá prescrever medicamentos diuréticos para facilitar a micção. Por outro lado, a digoxina e o enalapril são úteis para melhorar a circulação, pois aumentam a capacidade de contração do coração e diminuem a resistência oferecida pelos vasos sanguíneos.

As doses padrão são 0,005-0,01 miligramas de digoxina por quilo do animal a cada 12-24 horas e 0,25-0,5 miligramas de enalapril por quilo no mesmo intervalo de tempo. Alguns furões não reagem bem a esse último fármaco. Portanto, o animal deve ser monitorado.

Um furão no veterinário.

Prognóstico e cuidados em casa

O prognóstico da cardiomiopatia dilatada é reservado, pois a maioria dos furões começa a mostrar sinais quando o dano cardíaco já é irreversível. Em qualquer caso, uma qualidade de vida aceitável pode ser mantida no cavalo com mudanças na dieta e a administração de medicamentos prescritos.

Por exemplo, é recomendado oferecer ao furão uma dieta com baixo teor de sódio, o que diminuirá sua retenção de líquidos. Também é apropriado proporcionar uma dieta com baixo teor de gordura (especialmente se o animal for obeso), pois ele terá alguma relutância em se mover e queimar calorias. Se você seguir as instruções do médico, o resto da vida do seu animal será agradável.

Pode interessar a você...
Texugo-furão-chinês: habitat e características
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Texugo-furão-chinês: habitat e características

O texugo-furão-chinês é um mamífero comprido e flexível, capaz de conviver com o homem e de ser um bom controlador de pragas.