Quais são as causas de morte súbita em cães?

Embora seja de difícil assimilação, a morte dá sentido e faz parte da vida. Assim como acontece no caso humanos, existem múltiplas causas de morte súbita em cães.
Quais são as causas de morte súbita em cães?

Última atualização: 29 julho, 2022

Perder um parceiro é sempre um golpe difícil de assimilar, pois os cães são apenas mais um membro da família. De todas as formas possíveis de perder um animal de estimação, talvez a morte súbita em cães seja a mais indesejável, pois não dá tempo para despedidas e só deixa o sentimento de impotência e raiva por não ter acompanhado o ente querido nos últimos momentos de sua vida.

As causas de morte súbita em cães são variadas e podem ocorrer em qualquer idade e em qualquer circunstância. Nas linhas seguintes vamos comentar as doenças ou os processos patológicos de natureza aguda que podem desencadear um final tão terrível.

Morte súbita: o fim sem despedida

A morte súbita, como o próprio nome sugere, é aquela que ocorre de forma aguda, violenta, na ausência de doença óbvia e, na maioria dos casos, sem possibilidade de ressuscitação.

Existem muitas doenças que causam a morte do animal. Algumas o fazem de forma mais lenta e gradual, como um processo carcinogênico ou síndromes degenerativas. Outras causam a morte rapidamente em questão de dias, como certas doenças infecciosas ou envenenamento.

O traço mais característico da morte súbita é, da mesma forma que nos humanos, a instantaneidade do processo que põe fim à vida do animal. Vamos rever algumas dessas alterações que causam morte súbita em cães.

Morte súbita em cães.

1. Doença cardíaca

As doenças cardiovasculares são, sem dúvida, uma das principais causas de morte súbita entre os cães. O coração é um órgão cuja falência leva à morte quase certa, daí a implicação disso num final rápido e trágico.

A isso, deve-se acrescentar que as patologias cardíacas em muitos casos não apresentam sintomas óbvios. Isso significa que, regularmente, há situações em que há uma doença cardíaca oculta que predispõe à insuficiência cardíaca. Entre as causas mais frequentes de morte súbita relacionadas ao coração, encontramos:

  • Doença da válvula cardíaca.
  • Hipertrofia cardíaca.
  • Degeneração miocárdica.
  • Processos neoplásicos.

Infelizmente, muitas dessas mortes súbitas são imprevisíveis, mas outras podem ser prevenidas diagnosticando precocemente a doença cardíaca subjacente e instituindo o tratamento adequado. Por isso, os exames veterinários, principalmente em cães geriátricos, são muito importantes.

2. Acidentes

Outra causa comum de morte súbita é mediada por acidentes, sejam atropelamentos por algum tipo de veículo, golpes fortes ou quedas de certa altura. Todo tutor sabe que uma queda feia ou um golpe forte pode ser fatal para os humanos, e é exatamente a mesma coisa que acontece com os cães.

Às vezes, esses acidentes passam despercebidos pelos tutores, e quando a assistência veterinária é acionada já é tarde demais. Isso acontece especialmente em cães que vivem em semiliberdade, como pode ser no caso de cães que vivem em cidades ou áreas rurais.

O mesmo acontece com cães de guarda ou que residem em fazendas ou lotes, onde não costumam ter contato próximo com seus tutores.

Entre as consequências orgânicas derivadas desses acidentes e as responsáveis por causar a morte do animal, podemos citar as seguintes:

  • Trauma cranioencefálico.
  • Hemorragias maciças derivadas de rupturas de vasos ou órgãos, com consequente insuficiência cardíaca.

3. Síndrome de dilatação/torção gástrica

Embora esta condição não possa ser considerada no sentido estrito um processo que causa morte súbita, é verdade que em muitas ocasiões é impossível recuperar o animal quando essa síndrome já começou. De fato, a taxa de sobrevivência é de cerca de 54% nos piores casos.

A síndrome de dilatação/torção gástrica é causada por um acúmulo de gás no estômago (chamado timpanismo) que causa uma torção nele. Esse deslocamento da porção gástrica produz uma série de alterações fisiológicas que desencadeiam a morte do animal em questão de horas.

Ocorre mais frequentemente em cães de grande porte, como o pastor alemão, mastim espanhol, dogue de Bordeaux ou dogue alemão. Na maioria dos casos, quando o animal chega à consulta, as chances de sobrevivência são muito limitadas.

Como medidas para prevenir esta situação indesejável, recomendamos:

  • Evite alimentos e bebidas antes e depois das caminhadas.
  • Coloque o comedouro e o bebedouro em local elevado.
  • Use comedouros “anticomilões” se necessário.
  • Ofereça ração de qualidade.
  • Evite a ingestão de corpos estranhos, ossos, pedras, areia e outros materiais.
Um cachorro morto na garagem.

4. Intoxicação por veneno

Outra das causas mais frequentes de morte súbita em cães é a intoxicação por venenos. Esses tipos de casos ocorrem devido ao descuido dos tutores, já que a curiosidade dos cães os faz procurar e experimentar qualquer coisa no chão.

Os venenos que são usados de forma caseira têm o objetivo de afetar o sistema de coagulação. Portanto, as vítimas sofrem diferentes hemorragias internas que acabam causando sua morte. O mesmo acontece com os cães, só que em alguns casos é possível ver sintomas que alertam sobre a intoxicação.

A intoxicação por veneno geralmente se torna aparente 3 dias após a ingestão da substância. Claro que este momento é crucial para salvar a vida do cão, pois dependendo do dano e da quantidade de sangue perdido, ele poderá ser salvo ou morrer em poucas horas. Então, quando você detectar que algo está errado com seu animal de estimação, não hesite em ir a um veterinário.

5. Hepatite viral canina

As condições hepáticas geralmente exibem sintomas degenerativos que pioram à medida que a doença progride. No entanto, esta patologia causa morte espontânea em filhotes, pois sendo tão pequenos eles são incapazes de responder à infecção. O cão afetado pode morrer em apenas algumas horas.

Na verdade, a doença hepática é uma das principais causas de morte em cães, embora algumas delas possam ser evitadas através de vacinas ou visitas recorrentes ao veterinário. Portanto, não aja com negligência e busque a saúde e o bem-estar do seu animal.

Apesar de termos tratado aqui de um tema escabroso, esperamos que tenha sido de seu interesse e que você possa obter informações valiosas sobre como proteger a saúde dos cães e, assim, evitar na medida do possível esse tipo de situação.

Pode interessar a você...
A insuficiência cardíaca em cães
Meus Animais
Leia em Meus Animais
A insuficiência cardíaca em cães

Os diagnósticos de insuficiência cardíaca em cães crescem, afetando, principalmente, os pacientes caninos de média ou avançada idade. A doença não ...



  • Vanoli, E., De Ferrari, G. M., Stramba-Badiale, M., Hull Jr, S. S., Foreman, R. D., & Schwartz, P. J. (1991). Vagal stimulation and prevention of sudden death in conscious dogs with a healed myocardial infarction. Circulation research68(5), 1471-1481.
  • Billman, G. E., Kang, J. X., & Leaf, A. (1999). Prevention of sudden cardiac death by dietary pure ω-3 polyunsaturated fatty acids in dogs. Circulation99(18), 2452-2457.
  • Freitas, J. L., Andrade, T. S., Martins Filho, E. S., D’Soares, C. S., Souza, A. C. S. N., Silva, A. W. O., … & Peixoto, T. C. (2021). Causes of spontaneous death and euthanasia in dogs: A background study in Bahia, Brazil. Veterinární medicína, 66(4), 156-166.
  • Eleni, C., Scholl, F., & Scaramozzino, P. (2014). Causes of death in dogs in the province of Rome (Italy). Veterinaria italiana, 50(2), 137-143.
  • Carrillo, J. D., Escobar, M. T., Martínez, M., Gil-Chinchilla, J. I., García-Fernández, P., & Jiménez-Peláez, M. (2016). Síndrome de dilatación-vólvulo gástrico (DVG). Clínica veterinaria de pequeños animales, 36, 163-177.