5 animais hematófagos que você não conhecia

A relação simbiótica estabelecida entre o parasita hematófago e sua vítima parece favorecer apenas um dos membros do casal.
5 animais hematófagos que você não conhecia

Última atualização: 15 Abril, 2021

Os animais hematófagos – aqueles que se alimentam de sangue – não são raros na natureza. No entanto, vários deles podem não ser tão conhecidos quanto os morcegos ou os mosquitos. Alguns dos seres mencionados nas linhas a seguir poderão surpreender você mais do que o esperado.

A hematofagia é uma estratégia mais do que viável que esses animais têm para obter alimentos de qualidade, desde que haja outros animais por perto. É um tipo de parasitismo, pois o hospedeiro perde recursos e saúde, enquanto o parasita pode sobreviver graças ao prejuízo alheio.

Muitas vezes, essa forma de alimentação pode ser um caminho para a propagação de doenças, mas outras vezes o hospedeiro dificilmente percebe o sugador de sangue está se aproveitando dele. A seguir, vamos apresentar 5 animais que se alimentam de sangue que você talvez não conheça.

1. O tentilhão Geospiza septentrionalis

Quando Darwin pisou nas Ilhas Galápagos, ele descobriu muitas espécies de tentilhões que foram essencial para o desenvolvimento da teoria da evolução. O que Darwin certamente não esperava era encontrar um pequeno passeriforme que se alimenta do sangue de outros animais: estamos falando do tentilhão Geospiza septentrionalis.

Existem duas teorias sobre a forma como essa espécie se alimenta, que atualmente consiste em abrir feridas na base de penas de várias espécies de aves do gênero Sula para beber seu sangue.

Por um lado, acredita-se que no passado essas aves se alimentavam de carrapatos e outros insetos sugadores de sangue. A outra hipótese postula que essa adaptação é uma resposta à escassez de alimentos no final da estação seca que ocorre nessas ilhas.

Um tentilhão vampiro.

2. Barbeiro: um dos animais hematófagos mais perigosos

O barbeiro Triatoma infestans é um coleóptero nativo da América do Sul. Esse animal é o principal vetor da doença de Chagas, a patologia mais importante da América Latina, muito pior que a malária ou a dengue. Estima-se que existam, hoje, até 7 milhões de pessoas afetadas por essa doença.

Esse inseto hematófago é chamado de inseto beijador em alguns locais porque tende a picar ao redor da boca e dos olhos dos seres humanos, embora também outros vertebrados superiores como alvo. Seu horário de atividade é durante a noite, quando os animais dos quais se alimenta estão dormindo e podem passar despercebidos.

O besouro faz parte dos animais vampiros.

3. Pica-boi-de-bico-vermelho

pica-boi-de-bico-vermelho (Buphagus erythrorynchus) é uma ave nativa da África, com uma ampla distribuição. São pássaros pequenos, mais ou menos como um estorninho. Como estes, são animais muito gregários que gostam de habitats abertos com pouca vegetação.

São animais insetívoros e parecem ter uma boa relação simbiótica com os grandes mamíferos africanos, pois são responsáveis por retirar seus parasitas. No entanto, essas aves aproveitam as feridas abertas que permanecem após a remoção do parasita para beber o sangue.

Já foi visto como esses pássaros abrem feridas fechadas e causam outras novas quando a sede de sangue incita.

Um rabo de boi na cabeça de uma zebra.

4. Candiru

O candiru (Vandellia cirrhosa) é um peixe de água doce que habita apenas os rios Orinoco e Amazonas. É um animal muito alongado e transparente que se aloja nas brânquias de outros peixes. Uma vez alojado, ele desdobra alguns espinhos para se segurar e começa a se alimentar de sangue.

O mais curioso é que esses animais não sugam o sangue, e sim conectam-se a uma veia de seu hospedeiro, para que o sangue entre no sistema circulatório.

Por outro lado, sempre se acreditou que esses animais também entravam nos orifícios de banhistas nus, como a uretra, a vagina e o ânus. Uma vez lá dentro, eles espalhariam seus espinhos e seria impossível removê-los. Felizmente, a ciência mostrou que isso não é verdade e que esse animal não tem interesse por pessoas.

4. Cancellaria cooperii: um dos animais hematófagos mais incríveis

A espécie Cancellaria cooperii pode parecer um caracol normal com uma linda concha em espiral. No entanto, por trás dessa aparência comum, se esconde um parasita sugador de sangue.

Esse caracol é conhecido por parasitar as raias da Califórnia. Sua estratégia é grudar na pele da raia, na qual faz um pequeno corte, para entrar em seu corpo a uma profundidade considerável e sugar o sangue.

Em princípio, a raia parasitada não parece apresentar nenhum inconveniente na presença do parasita. Após 40 minutos de sucção do sangue, o caracol se solta sem deixar vestígios de sua presença na pele do hospedeiro.

Animais vampiros se alimentam de sangue.

Como vimos, existe uma infinidade de animais hematófagos além dos mais conhecidos. O sangue é uma boa fonte de nutrientes, rico em glicose e sais minerais, por isso poucos animais o rejeitariam na ausência de outras fontes nutricionais mais adequadas.

Pode interessar a você...
Os 4 animais aquáticos domésticos mais populares
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Os 4 animais aquáticos domésticos mais populares

Os animais aquáticos domésticos podem ser uma excelente primeira opção para animais de estimação. Eles tendem a ser mais independentes que outros pets.



  • BirdLife International. 2017. Geospiza septentrionalis (versión modificada de la evaluación de 2016). La Lista Roja de Especies Amenazadas de la UICN 2017: e.T103815245A119461181.
  • BirdLife International. 2018. Buphagus erythrorynchus . La Lista Roja de Especies Amenazadas de la UICN 2018: e.T22711009A131961538.
  • Lazzari, C. R. (1990). Fisiologia del Comportamiento de Triatoma infestans (Klug, 1834)(Heteroptera: Reduviidae). Orientación Térmica (Doctoral dissertation, PhD Thesis, Universidad de Buenos Aires, Buenos Aires).
  • Mehlhorn, H. (2014). Mito y realidad: Candiru, el pez chupasangre que puede entrar en los humanos. En murciélagos (quirópteros) como vectores de enfermedades y parásitos (págs. 179-181). Springer, Berlín, Heidelberg.
  • O’SULLIVAN, J. B., McConnaughey, R. R., & Huber, M. E. (1987). A blood-sucking snail: the Cooper’s nutmeg, Cancellaria cooperi Gabb, parasitizes the California electric ray, Torpedo californica Ayres. The Biological Bulletin, 172(3), 362-366.