5 animais que não têm cérebro

Existem animais que não têm cérebro e, além disso, não precisam desse órgão para sobreviver. Suas funções são guiadas por células especiais que os ajudam a se alimentar, se reproduzir e se defender.
5 animais que não têm cérebro

Última atualização: 22 Abril, 2021

É comum acreditar que todo ser vivo possui uma inteligência derivada de seu cérebro para realizar suas funções. No entanto, há animais que não têm cérebro e, embora pensemos que todos precisam de um para viver, podemos ficar surpresos ao descobrir que isso não é verdade. Existem muitas espécies que não possuem esse órgão vital e conseguem subsistir.

Esses animais sem cérebro têm uma capacidade extraordinária de se misturar ao ambiente ao seu redor, o que lhes dá a capacidade de sobreviver sem desenvolver funções biológicas complexas. A maioria desses descerebrados são criaturas marinhas. Vamos conhecer alguns deles.

O que substitui o cérebro e os animais descerebrados

Muitos seres vivos que não têm cérebro possuem células nervosas chamadas gânglios. Essas células cumprem o papel de orientar as funções de reprodução, alimentação e mecanismo de defesa. Porém, muitos dos animais marinhos não possuem essas células especiais, ou seja, quando se trata de sobrevivência, eles simplesmente agem.

1. Estrelas-do-mar

Sem dúvida, as estrelas-do-mar (classe Asteroidea) são os animais sem cérebro mais famosos do oceano. Elas não têm células ganglionares nem cérebro, mas têm olfato, visão e tato bem desenvolvidos. Por exemplo, seus braços são como um sonar que pode detectar tudo ao seu redor.

Principalmente quando percebem algum alimento, o braço que detecta a comida arrasta todo o corpo até chegar ao alvo. Um fato curioso sobre esses invertebrados aquáticos é que eles fazem partenogênese, ou seja, se um dos braços for cortado, em pouco tempo cresce de novo.

A reprodução em estrelas-do-mar é intrigante.

2. Esponjas

Além de serem animais que não têm cérebro, as esponjas marinhas (filo Porifera) possuem 2 características diferenciais que podem surpreender:

  1. Elas não têm sistema nervoso e digestivo. Apesar disso, esses seres vivos possuem células que migram por todo o corpo para se especializarem de acordo com as necessidades do animal.
  2. As esponjas marinhas podem espirrar, principalmente quando algo as irrita. Em primeiro lugar, elas absorvem a água e, e seguida, contraem o corpo e liberam a água na direção do que as estiver incomodando.

Sempre que você tiver a oportunidade de ver uma esponja, trate-a com cuidado, pois é um ser vivo. Além disso, esses organismos têm papéis essenciais nos ecossistemas marinhos, pois filtram a água de patógenos.

Um dos animais marinhos que eliminam vírus.

3. Ouriços-do-mar

Os ouriços-do-mar (classe Echinoidea) são animais que não têm cérebro, mas passam a vida no fundo do mar em busca de alimento. Eles rastejam pelo fundo do oceano e, quando encontram algum nutriente, o ingerem imediatamente. A maioria deles são detritívoros ou herbívoros, mas existem algumas espécies predatórias.

Essa pequena criatura marinha tem todo o seu corpo coberto de espinhos e as pontas dos espinhos de alguns desses animais contêm veneno. Essas estruturas são seus braços e ao mesmo tempo seu mecanismo de defesa contra predadores.

Um dos animais que não têm cérebro.

4. Anêmonas

Anêmonas (ordem Actiniaria) são animais sem sistema nervoso central. No entanto, elas se especializam em buscar comida através de seus tentáculos venenosos. Graças a eles, paralisam suas presas imediatamente. Além disso, sua boca funciona ao mesmo tempo como uma câmara digestiva para eliminar os resíduos.

Curiosamente, as anêmonas possuem uma rede neural semelhante à das águas-vivas e, mesmo assim, são animais que não têm cérebro. Sua vida gira em torno da caça para sobreviver e são criaturas solitárias. Sua aparência física é mais parecida com uma planta do que com um animal propriamente dito, embora não tenham nada a ver com os vegetais.

Anêmonas são animais que não têm cérebro.

5. Pepinos do mar

Os pepinos-do-mar (classe Holothuroidea) são espécies marinhas aparentadas com as estrelas-do-mar e, como elas, são animais que não têm cérebro. O que eles têm é um mecanismo de defesa bastante curioso: quando se sentem ameaçados, eliminam grande parte de seus órgãos internos ejetando-os pela boca.

Esses invertebrados também têm a capacidade de se misturar com o ambiente ao seu redor.

Um pepino-do-mar na areia.

A sobrevivência não precisa de um cérebro

Essas criaturas sem cérebro e sem massa cinzenta nos fazem pensar se a inteligência é uma característica própria dos animais com cérebro ou, na falta dele, uma intuição disfarçada de inteligência que depende do instinto para sobreviver.

Sem dúvida, a natureza tem tudo bem pensado para que os animais que não têm cérebro se destaquem por sua astúcia se é que se pode chamar assim , já que eles contam com a habilidade da camuflagem para caçar. Para o reino dessas criaturas marinhas, a sobrevivência será, em última instância, uma qualidade dos mais fortes e uma fraqueza dos mais negligentes.

Pode interessar a você...
Como se classificam as serpentes marinhas?
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Como se classificam as serpentes marinhas?

As serpentes marinhas se dividem em dois grupos e apresentam adaptações morfológicas para o seu correto desenvolvimento e sobrevivência.