5 répteis domésticos para ter como animal de estimação

Você quer se iniciar no mundo dos animais exóticos, mas não sabe por onde começar? Não se preocupe, confira aqui 5 répteis adequados como primeiro animal de estimação.
5 répteis domésticos para ter como animal de estimação

Última atualização: 01 Setembro, 2021

O mundo dos animais exóticos é tão fascinante quanto perigoso. Existem muitas espécies de répteis e anfíbios que são mantidos como animais de estimação, mas nem todos se adaptam bem à vida em cativeiro e alguns possuem toxinas e venenos nada desprezíveis. A isso se acrescenta o fato de que alguns desses animais são retirados de seu ambiente natural para serem vendidos, o que é antiético e prejudicial ao meio ambiente.

Ter um réptil em casa não é uma responsabilidade apenas com o espécime, mas com todo o ecossistema. Como indica a revista Nature, milhares de espécies de animais exóticos correm o risco de desaparecer, em parte devido à venda e remoção de indivíduos adultos de seu ambiente natural. Se você deseja ter um lagarto em casa, sempre deve se certificar da origem do animal.

A seguir, mostraremos 5 espécies de répteis que podem ser mantidos como animais de estimação sem problemas. Para a escolha dos representantes, consideramos: facilidade de cuidados, disponibilidade nas lojas, registro de reprodução em cativeiro e comportamento da espécie. Confira!

1. Lagartixa-leopardo (Eublepharis macularius)

A lagartixa-leopardo é o exemplo perfeito de animal de estimação exótico para iniciantes. É um animal de fácil cuidado, não é agressivo e, felizmente, é criado há décadas em instalações especializadas. Além disso, devido à seleção genética, muitos morfotipos marcantes dessa espécie foram criados. Portanto, sua variedade é impressionante.

Nativo dos desertos do sul da Ásia, esse réptil requer um terrário seco e com um gradiente de calor. Para imitar seu ambiente natural, você pode colocar um substrato de areia de cálcio especial para répteis e troncos ocos abundantes que servem de abrigo. É necessário colocar uma manta térmica sob o terrário para que o réptil possa se expor ao sol o quanto quiser.

  • Dimensões do terrário: 60 x 30 x 45 centímetros de comprimento, altura e largura para um único espécime. Muito maior se você quiser hospedar um grupo.
  • Temperatura: cerca de 25º C na zona fria e 32-33º C na zona quente.
  • Umidade: a umidade relativa deve ser baixa, mas você pode molhar um pouco a parte fria do terrário uma vez por semana.
  • Dieta: exclusivamente insetívora. Esse réptil come baratas, grilos e vermes. Mas não abuse dos vermes, pois eles têm um conteúdo muito alto de gordura.
  • Compatibilidade: os machos podem ser agressivos uns com os outros. Por essa razão, se você deseja juntar um grupo, este deve ser composto por 1 macho e 2 a 3 fêmeas.

Usar areia normal no terrário pode causar sérios problemas intestinais ao réptil. Se você não tiver areia especial, é melhor optar por papel higiênico como substrato.

 

Uma lagartixa-leopardo com seus filhotes.

2. A lagartixa Hemitheconyx caudicinctus

Muito semelhante à lagartixa-leopardo e um parente direto dela, essa lagartixa é outro réptil de estimação ideal. Essa espécie é endêmica da África Ocidental e está distribuída desde o Senegal até Camarões, mas prefere ambientes muito mais úmidos e escuros do que E. macularius.

Embora os parâmetros gerais mencionados para a espécie anterior possam ser aplicados quase igualmente com essa, há uma coisa a se ter em mente: ela precisa de muito mais umidade. Por esse motivo, recomenda-se colocar no terrário um substrato de fibra de coco, musgo e plantas naturais que proporcionem um ambiente um pouco mais “temperado”, sem chegar a ser tropical.

Essa espécie requer uma umidade relativa de aproximadamente 70%. Para atingir esse parâmetro, o substrato deve ser borrifado com água periodicamente.

 

Um dos répteis ideais como animal de estimação.

3. Dragão-barbudo (Pogona vitticeps)

O dragão-barbudo é uma espécie de sauropsídeo da família Agamidae que ingressou há muito tempo no hobby de animais exóticos. Apesar de apresentar cuidados bastante simples, é preciso ter em mente que um exemplar adulto dessa espécie chega a atingir 60 centímetros de comprimento, por isso precisará de uma instalação bastante grande para ficar confortável.

Além disso, esse réptil tem uma “dificuldade” extra no que diz respeito aos cuidados, uma vez que necessita de uma fonte de luz ultravioleta especial para se desenvolver corretamente. Melhor do que um cobertor elétrico, nesse caso também deve ser colocada na parte superior do terrário uma luz que emita calor, para criar o hot-spot sobre uma rocha.

  • Dimensões do terrário: 150 x 60 x 60 centímetros de comprimento, altura e largura para acomodar um trio, 1 macho e 2 fêmeas. 2 machos nunca devem ficar juntos, pois são muito territoriais.
  • Temperatura: entre 28 e 30º C na zona fria e cerca de 40º C no hot-spot. A temperatura pode cair para cerca de 25° C à noite.
  • Umidade: como estamos lidando com outra espécie desértica, a umidade relativa deve ser muito baixa, entre 35 e 40%.
  • Dieta: os dragões-barbudos são onívoros. As contribuições de proteína na forma de insetos devem ser alternadas com vegetais frescos, frutas e folhas. O cálcio é muito importante para o desenvolvimento desses répteis.
  • Compatibilidade: esses animais podem ser mantidos sozinhos ou em grupos de 1 macho e 2 fêmeas.

O substrato ideal para essa espécie é uma argila compacta ou terra desértica que endurece com a adição de água. Novamente, a areia nunca é uma boa opção.

 

A lipidose hepática em répteis pode ser fatal.

4. A lagartixa Correlophus ciliatus

A lagartixa Correlophus ciliatus é uma espécie nativa da Nova Caledônia, um arquipélago localizado no Oceano Pacífico. Embora tenha sido criada em cativeiro por vários anos, é importante notar que esse réptil está classificado em um estado “Vulnerável (VU)” em seu ambiente natural. Portanto, adquirir espécimes retirados do ambiente pode ser extremamente prejudicial para a biodiversidade.

Ao contrário do resto das espécies mencionadas, essa é eminentemente arbórea e requer um ambiente tropical, com plantas vivas, ramos e múltiplos esconderijos para se refugiar. Apesar de ser um animal noturno, a implementação de uma luz ultravioleta durante o dia também é recomendada para simular o ambiente natural do réptil.

  • Dimensões do terrário: 45 x 60 x 45 de comprimento, altura e largura para um espécime. Como já dissemos, nesse caso a altura é mais importante do que a largura.
  • Temperatura: são necessários um ponto de aquecimento de cerca de 28º C e uma temperatura geral de 25º C. À noite, a temperatura pode cair.
  • Umidade: sendo uma espécie tropical, requer uma umidade relativa de 60-80%, que pode ser atingida ao adicionar plantas naturais ao terrário e pulverizar a instalação com água diariamente. O substrato de fibra de coco também retém bem a água.
  • Alimentação: são animais eminentemente insetívoros, mas também consomem frutas. A ingestão de proteínas deve ser complementada com alimentos especializados para essa espécie de lagartixa.
  • Compatibilidade: são animais solitários, por isso é melhor mantê-los sozinhos. Se você deseja manter mais de um espécime, eles sempre devem ser do sexo feminino.

Esse réptil que pode ser mantido como animal de estimação vive melhor sozinho.

 

Um dos répteis que são mantidos como animal de estimação.

5. O lagarto Tiliqua gigas

Tiliqua gigas é uma espécie de lagarto da família Scincidae que se destaca por ter corpo alongado e membros curtos. Apesar do seu tamanho (cerca de 60 centímetros), é um animal muito dócil que pode ser manuseado sem maiores problemas. Além disso, é extremamente longevo, pois com os devidos cuidados pode viver até 30 anos.

Essa espécie é endêmica dos solos da ilha da Nova Guiné e não deve ser confundida com seu parente próximo, Tiliqua scincoides, a qual pode ser encontrada na Austrália e requer um ambiente muito mais seco do que o réptil que estamos apresentando. Portanto, os parâmetros que citamos a seguir se aplicam apenas à espécie Tiliqua gigas. De qualquer modo, ambos são bons répteis de estimação.

  • Dimensões do terrário: 1,2 x 0,6 x 0,6 metros de comprimento, largura e altura para manter um espécime. Esse réptil requer uma instalação grande para se desenvolver.
  • Temperatura: 25º C na zona fria do terrário e cerca de 32-33º C na parte quente. A temperatura pode cair à noite.
  • Umidade: por ser uma espécie tropical, requer uma umidade relativa que varie entre 60 e 90%. Escolher um substrato que acumule água e acrescentar musgos na instalação pode ajudar a reter a água.
  • Dieta: são animais onívoros e adoram comer frutas, vegetais, folhas frescas e invertebrados vivos ou mortos, como minhocas, baratas e grilos. Também podem ser oferecidos patês e ração para cães esporadicamente.
  • Compatibilidade: esses animais podem ser mantidos em pares, mas o cruzamento é muito difícil. Por isso, são répteis de estimação que costumam viver sozinhos.

 

Um lagarto mostrando a língua.

O que você achou dessa lista de répteis como animais de estimação exóticos? Se algum deles chamou sua atenção, não deixe de pesquisar mais sobre sua biologia e seus requisitos, uma vez que os dados fornecidos aqui são apenas uma visão geral sobre seus cuidados. Lembre-se de que ter um animal em casa é uma fonte de diversão, mas também uma grande responsabilidade.

Pode interessar a você...
5 conselhos para cuidar de animais exóticos
Meus Animais
Leia em Meus Animais
5 conselhos para cuidar de animais exóticos

Cuidar de animais exóticos é uma atividade muito específica e exigente. Aqui você pode aprender alguns de seus aspectos mais importantes.



  • Siriwat, P., Nekaris, K. A. I., & Nijman, V. (2019). The role of the anthropogenic Allee effect in the exotic pet trade on Facebook in Thailand. Journal for Nature Conservation, 51, 125726.
  • Warwick, C. (2014). The morality of the reptile” pet” trade. Journal of Animal Ethics, 4(1), 74-94.
  • Cain, C. R., Tyre, D., & Ferraro, D. (2009). Incidence of Salmonella on reptiles in the pet trade. RURALS: Review of Undergraduate Research in Agricultural and Life Sciences, 4(1), 1.