Cuidados para ter um réptil como animal de estimação

abril 12, 2020
Ao escolher um réptil como animal de estimação, é importante estar bem informado não apenas sobre os répteis em geral, mas também sobre as espécies específicas que você deseja ter.

Antes de decidir ter um réptil como animal de estimação, é importante entender bem as necessidades específicas desses animais. Essas criaturas são muito diferentes dos mamíferos e o senso comum pode não servir para lidar com as suas peculiaridades.

Portanto, é importante enfatizar que, como o comportamento e as necessidades dos répteis são tão diferentes das nossas, mantê-los em segurança pode ser difícil para iniciantes.

Você deve estar preparado para cuidar adequadamente do seu animal de estimação. Também é importante que você o compre de um vendedor credenciado. Aqui estão algumas tarefas que você deve realizar antes de levar um réptil para a sua casa:

Providencie cuidados veterinários para o seu réptil

É importante saber que todos os répteis são classificados como animais de estimação exóticos. Por esse motivo, não é o tipo de animal que uma clínica veterinária local está habituada a receber regularmente.

A realidade é que a maioria das clínicas gerais só pode realizar exames e cuidar de alguns problemas muito básicos em animais de estimação exóticos. Nesse contexto, será importante que, antes de dar esse passo, você faça uma visita a uma clínica ou a um veterinário especializado em répteis para obter instruções.

Crie o habitat ideal para ter um réptil como animal de estimação

Um habitat é diferente de uma gaiola. Embora você possa querer ter uma gaiola para mover seu animal de estimação, um habitat é a verdadeira casa de um réptil. A gaiola impede que o réptil corra pela casa. Um habitat contém tudo o que o réptil precisa para sobreviver. Ele deve ter comida, água, abrigo, uma fonte de calor e algum tipo de “paisagismo”.

Iguanas de aquário
Fonte: Chitty J. Chitty J. Topics in Medicine and Surgery: hospitalization of birds and reptiles.

Calor e umidade

Os répteis são animais de sangue frio. Assim, a maioria deles precisará de algum tipo de fonte de calor em seu habitat. Isso pode ser feito através de uma lâmpada quente.

É importante que você tenha a fonte de calor definida na temperatura certa para o tipo de espécie que você possui. Além disso, lembre-se de que pode ser necessário alterar a temperatura ao longo do ano. Você também precisará saber qual nível de umidade eles precisam e se certificar de que possui esses equipamentos complementares antes de trazer seu réptil para casa.

Risco de doenças

Em muitos países, não é possível manter répteis venenosos como animais de estimação legalmente. No entanto, além do aspecto legal, é importante saber que os répteis podem transmitir doenças para outros répteis e também para as pessoas.

A transmissão de bactérias patogênicas, como a Salmonella, é bastante comum. Por esse motivo, é fundamental manter bons hábitos de higiene para lidar com o seu animal de estimação e proteger os cuidadores.

Informações básicas sobre a biologia dos répteis

Na natureza, muitos répteis e anfíbios passam por um processo chamado de brumação, que é um tipo de hibernação induzida pelo clima mais frio. Este processo está intimamente ligado à sobrevivência em condições adversas.

Caso você pretenda usar seu réptil para a reprodução, é recomendável induzir a hibernação. Considerando que o gerenciamento da hibernação em casa pode ser desafiador e complexo, é recomendável estudar a biologia desses animais.

Hábitos alimentares do réptil escolhido como animal de estimação

Este ponto é crucial para os novatos, pois os répteis têm requisitos de alimentação muito específicos, que nem sempre se adequam aos que os donos gostariam.

Alimento para uma cobra

É necessário oferecer pequenas presas vivas aos animais. No entanto, antes disso, você deve torná-las mais nutritivas administrando proteína em pó. Você também terá que limpar os cadáveres. Esse é um ponto inevitável para ter esse tipo de animal de estimação.

É importante ter um suprimento confiável e de boa qualidade de presas para que você possa alimentar seu réptil. Da mesma forma, você terá que estar informado sobre a qualidade e a quantidade de alimento requerida pela espécie escolhida, uma vez que isso varia muito entre diferentes espécies.

É interessante saber que, em cativeiro, a maioria das cobras se alimenta de camundongos e ratos. Outras espécies, como lagartos, comem insetos, mas dragões barbudos que comem insetos também comem frutas e vegetais. Também existem espécies que são estritamente herbívoras, como as iguanas verdes.

  • Warwick, C., Lambiris, A. J., Westwood, D., & Steedman, C. (2001). Reptile-related salmonellosis. Journal of the Royal Society of Medicine, 94(3), 124-126.
  • Warwick, C., Arena, P., Lindley, S., Jessop, M., & Steedman, C. (2013). Assessing reptile welfare using behavioural criteria. In Practice, 35(3), 123-131.