Clamidiose felina: causas, sintomas e tratamento

· maio 16, 2018
A transmissão dessa inflamação dos olhos entre os gatos é bastante comum. Especialmente, quando há muitos gatinhos que vivem juntos. Saiba mais sobre a clamidiose felina neste artigo.
Quando um gato tem secreção ou inflamação em um ou ambos os olhos, pode ser um sinal de que ele tem clamidiose felina. Essa doença, altamente contagiosa, ocorre especialmente em lugares onde vivem muitos gatos. Como o nome sugere, afeta apenas esses animais e não é transmitida ao homem.

Clamidiose em criadouros e abrigos

A causa dessa doença felina é uma bactéria gram-negativa: Chlamydophila felis. Como não é muito resistente ao meio ambiente, é necessário um gatinho para abrigá-la de forma que ocorra o contágio.

Gatos de todas as idades e de todo o mundo sofrem com essa bactéria. Entretanto, ela afeta principalmente animais entre cinco semanas a três meses de vida.

É geralmente difícil de erradicar em locais de reprodução e abrigos. Isso porque o estresse que os gatinhos podem sofrer nesses lugares deixa o sistema imunológico dos animais enfraquecido.

Gatinho sendo escovado

Com um período de incubação de 3 a 10 dias, a anteriormente denominada pneumonite felina raramente é fatal. Exceto em casos em que haja complicações devido a outros problemas de saúde do animal, como a rinotraqueíte.

Clamidiose felina: sintomas

As primeiras manifestações da clamidiose felina são as secreções em um dos olhos. A aparência é semelhante a um prurido no globo ocular. Além disso, a inflamação e vermelhidão na terceira pálpebra do gato são muito perceptíveis.

Gato com clamidiose felina

Com o passar dos dias, as secreções ficam mais viscosas e ganham uma cor esverdeada. Logo, o outro olho pode ser afetado. As úlceras da córnea também podem aparecer.

O focinho pode ser atingido, gerando secreção nasal e espirros constantes no animal. A infecção raramente atinge os pulmões.

Além disso, o gato pode ter uma febre passageira. Entretanto, é improvável que perca o apetite durante o desenvolvimento da doença. Nesse caso, você tem que incentivá-lo a comer e, assim, evitar o enfraquecimento e perda de peso.

Tratamento da doença

Embora 30% das conjuntivites em gatos sejam causadas pela Chlamydophila felis,  o veterinário precisa confirmar a presença da doença por meio de um teste laboratorial. Para fazer isso, será preciso recolher uma amostra para análise.

Uma vez confirmado o diagnóstico, o profissional prescreverá antibióticos. Eles serão administrados por meio de colírios e também por via oral ou intravenosa. Entre os medicamentos mais utilizados, estão:

Gato no veterinário

Essas drogas devem ser administradas geralmente por cerca de quatro semanas. Assim, é possível garantir que a bactéria seja permanentemente eliminada. De qualquer forma, o médico deverá avaliar como o tratamento deve ser realizado.

Clamidiose felina: prevenção e cuidados

Os gatos com clamidiose felina devem ser mantidos isolados de animais saudáveis ​​para evitar a disseminação da doença. Além disso, é conveniente higienizar o local com um desinfetante comum para eliminar as bactérias. Entretanto, elas tendem a viver por pouco tempo no ambiente.

Durante o curso da doença, é necessário limpar os olhos e o nariz do gatinho com um lenço especialmente indicado para essa tarefa. O veterinário determinará qual é o mais adequado. Tenha em mente que, mesmo semanas ou meses depois, uma secreção escura e pegajosa pode permanecer, especialmente nos dutos lacrimais.

Resta esclarecer que a clamidiose felina pode ser prevenida através da vacinação. No entanto, ela não garante que o gato não desenvolverá a doença, mas atenua os sintomas.

Em qualquer caso, se você suspeitar que seu gato tem algum sintoma da doença, evite maiores problemas e consulte um veterinário confiável com urgência.