Como alimentar um pássaro corretamente

· março 14, 2019
Seja um filhote que acabamos de adotar ou um pássaro ferido que resgatamos, devemos ser especialmente sensíveis ao alimentar um pássaro.

Durante um passeio pelo campo, ou até mesmo nos arredores da cidade, é relativamente comum encontrar um pássaro ferido.

Embora a princípio possamos ter medo de tocá-lo, nossa ajuda pode oferecer ao pássaro ferido uma oportunidade de sobreviver.

Caso seja uma espécie muito grande ou agressiva, é melhor chamar as autoridades responsáveis. No entanto, podemos ajudar filhotes e pequenas aves, fornecendo primeiros socorros, comida e calor.

Na verdade, essas manobras de emergência não substituem os cuidados proporcionados pelos veterinários. Por esse motivo, será essencial levar a ave encontrada a um especialista veterinário para verificar seu estado de saúde. Além disso, a seguir daremos algumas dicas para alimentar e hidratar um pássaro corretamente.

Por que é tão importante alimentar um pássaro ferido?

Quando encontramos um pássaro ferido, não temos como precisar há quanto tempo o animal está esperando por ajuda.

Em alguns casos, é possível que a ave esteja ferida e impedida de voar e se mover por várias horas ou dias.

Além de sentir dor e medo, essa ave provavelmente não comeu nem bebeu água durante muito tempo.

Como resultado, seu corpo está fraco e mais vulnerável a inúmeras doenças. Trata-se de evitar um quadro de desnutrição ou desidratação no animal.

Provavelmente a ave não vai querer ingerir qualquer alimento no momento em que a salvamos ou a levamos para casa.

Isso é completamente normal, considerando que o animal experimentou experiências muito estressantes em um curto espaço de tempo.

Pássaro se alimentando

Por todas essas razões, não devemos obrigar a ave a comer a comida que você está oferecendo contra a vontade dela.

No entanto, é essencial assegurar que, pouco a pouco, o animal consuma alguns alimentos para recompor sua força e se recuperar com sucesso.

Como alimentar um pássaro corretamente?  

A primeira coisa que devemos considerar é que essa ave é um animal silvestre que não está acostumado a conviver com pessoas; não podemos esperar que a ave esteja confiante ou relaxada em nossa presença.

Nos primeiros dias, é mais provável que o pássaro tenha medo e evite se aproximar de nós. Lembre-se de que a desconfiança com estranhos é essencial para os animais sobreviverem na natureza.

Para sermos eficazes, precisamos ser muito cuidadosos, gentis e pacientes quando se trata de alimentação.

Não devemos fazer movimentos repentinos ou ruídos altos, e devemos nos aproximar do animal devagar e gentilmente.

Como iniciar a alimentação

Como o estômago da ave provavelmente não recebe comida há algum tempo, as primeiras ingestões devem ser mínimas.

Se a ave comer muito de uma só vez depois de passar muitas horas ou dias sem comer, é provável que tenha vômitos e problemas digestivos.

Para garantir que o animal coma uma quantidade razoável de alimentos, repetiremos essas ingestões mínimas várias vezes ao dia.

Com quatro ou cinco porções por dia durante a primeira semana, o pássaro resgatado terá os nutrientes essenciais para fortalecer seu corpo.

O método mais simples e eficaz de alimentar uma ave em doses mínimas é com a ajuda de uma seringa.

Em qualquer farmácia, podemos comprar uma seringa de tamanho médio que nos permita inserir o mingau dentro do seu bico.

Pássaro se alimentando com uma seringa

Como preparar papinha para alimentar um pássaro?

Se encontrarmos um filhote ou um pássaro enfraquecido, é melhor oferecer uma papinha para facilitar a alimentação.

Os alimentos sólidos são mais difíceis de digerir e exigem que a ave faça um esforço maior para ingeri-los. Além disso, a papinha cremosa e quente geralmente desperta o apetite dos pássaros por seu aroma e textura.

Nas lojas de animais e em algumas clínicas veterinárias, podemos encontrar papinhas prontas para filhotes e pássaros de várias espécies.

O mais interessante sobre estes produtos é que eles oferecem uma mistura equilibrada dos nutrientes que a ave precisa para crescer forte e saudável ou se recuperar de uma lesão.

Também podemos preparar misturas muito nutritivas em casa com sementes germinadas, vegetais, ovos cozidos e até frutas.

Uma boa papinha caseira de emergência pode ser feita com arroz integral ou cuscuz, cozido em água, cenoura e ovo cozido, muito bem ralado ou processado.

Depois de colocar uma colherada de mingau na seringa, você deve se aproximar da ave muito lentamente.

Desta forma, podemos tentar aproximar a ponta da seringa de seu bico, para que ele identifique que é comida; tudo isso deve ser feito observando suas reações, para não gerar mais medo ou estresse.

Com paciência e carinho, veremos que a ave irá, pouco a pouco, se acostumar com a nossa presença e poderá se alimentar com mais serenidade. Enquanto se recupera, a ave pode começar a provar alimentos sólidos e comer por conta própria.

Mais uma vez, lembramos a importância de ir a um especialista veterinário para verificar o estado de saúde da ave.

O profissional também pode nos orientar a como fornecer uma dieta completa e equilibrada ao nosso novo animal de estimação.