Como cuidar de um pato em casa?

· maio 23, 2018

Quando as famílias decidem adotar um animal de estimação, ter um pato em casa é uma situação que, para muitos, pode parecer insólita.

O “mercado” dos animais de companhia é dominado por duas espécies: em primeiro lugar, os cachorros, e logo depois, os gatos.

Opções menos convencionais, mas que aparecem com certa frequência, são os coelhos e os pássaros. Outros preferem peixes ou tartarugas. Alguns optam por animais um pouco mais exóticos (e até perigosos), como serpentes, aranhas e escorpiões.

Em algumas zonas rurais, os patos geralmente são companheiros das galinhas como animais criados para alimentação. Ter um pato em casa como animal de estimação é uma novidade, e tem virado moda em países como os Estados Unidos.

É possível ter um pato em casa como animal de companhia?

É uma opção pouco ortodoxa, mas é sim possível. Os patos são aves muito sociáveis, que gostam de brincadeiras e de estar com pessoas. Se recebem atenção constante, podem chegar a entender ordens e, em alguns casos, até sair para passear na rua com seus donos.

patos

Quem decide assumir um pato como um membro a mais de seu grupo familiar deve ser consciente dos requerimentos mínimos que essa ave demanda.

Ter um animal de estimação é um compromisso de vida que se estabelece com o animal. Uma vez assumida, a responsabilidade deve ser cumprida plenamente.

O lar ideal

Essas aves podem se adaptar à vida doméstica sem grandes dificuldades. Se além de receber atenção e cuidados, a família que o acolhe dispõe de um lar com pátio ou espaços ao ar livre, melhor ainda. E se o animal tem livre acesso a um tanque onde pode nadar e se banhar com frequência, será perfeito.

Um pato em um apartamento?

Essa é uma opção que nem sequer deve ser considerada. As razões contrárias são várias e afetam a comodidade e o bem-estar do próprio animal:

  • Os patos precisam de espaço ao ar livre para caminhar e esticar suas asas. Mantê-los 24 horas em espaços fechados, sem receber os raios de sol de maneira direta, poderá deixá-los deprimidos.
  • Também necessitam se banhar de maneira constante e nadar. Quem tem um pato em casa e vive em um apartamento precisa considerar colocar uma pequena piscina plástica no meio do lugar.
  • Os patos defecam em abundância. Esse é um fator que o diferencia de cães ou gatos, não há como educá-los. Enquanto caminham ou nadam, quase com a mesma frequência que sacodem a rabinho, soltam seus dejetos sólidos. Algumas pessoas optam por colocar fraldas feitas especialmente para patos. Mas além de terem que ser trocadas com muita frequência, o animal não estará muito confortável com esse acessório.
  • São efusivos e escandalosos. Além disso, quando recebem afeto, retribuem com grunhidos altos. Os vizinhos de famílias que têm um pato em casa eventualmente podem chegar a reclamar pelo excesso de barulho.

Cuidados específicos para ter um pato em casa

Se você tomou a decisão de criar um pato, os seguintes aspectos devem ser levados em conta:

  • Os patos precisam de companhia. Quem opta por adotá-los deve saber que é conveniente levá-los a seu novo lar em casais, macho e fêmea.
  • Durante o primeiro mês de vida, são animais que têm dificuldades tanto para regular sua temperatura corporal, quanto para nadar. O recomendável durante esse período é que eles passem a maior quantidade do tempo em um ambiente fechado. Além disso, espaços que estejam longe das correntes de ar. Da mesma forma, durante os momentos na água, devem estar sob vigilância, já que podem se afogar.
patinhos

  • Depois de 2 meses de vida, suas plumas já se desenvolveram por completo. Isso lhes permite permanecer sem maiores restrições em espaços abertos e nadar sem inconvenientes.
  • O ideal é que os patos disponham de um curral, lugar onde possam entrar livremente para se resguardar das mudanças do clima. Esse lugar deve ficar completamente cercado durante a noite, para minimizar os riscos de ataques de predadores.
  • Necessitam água fresca e limpa. Seu recipiente de água para beber deve ser limpo duas vezes ao dia.
  • A maioria dos alimentos para essas aves disponíveis no mercado tendem a fazê-las engordar com grande rapidez. Para evitar o sobrepeso, as rações devem ser reduzidas pela metade do que indica o rótulo. Da mesma maneira, sua alimentação pode se basear ou ser complementada com sementes, vegetais, hortaliças, insetos ou peixes vivos.