Como mudar a dieta do seu gato: algumas dicas

· maio 1, 2018

Mudar a dieta do seu gato pode ser um verdadeiro desafio sem os conhecimentos necessários para proceder de forma correta e gradual. A seguir, resumiremos alguns conselhos para ajudá-lo a diversificar ou adequar a alimentação de seu felino de forma saudável.

O paladar “seletivo” dos gatos domésticos

Ouvimos com muita frequência que os gatos domésticos possuem um paladar muito seletivo. Por causa desse sentido apurado, dizem que é muito complexo fazer mudanças em sua dieta rotineira. Porém, o que é verdade e o que é mito nessas crenças populares?

A alimentação dos felinos selvagens

Gatos selvagens são animais carnívoros de caráter muito independente. Por isso, seu organismo evoluiu para aperfeiçoar suas habilidades de caça. Dessa forma, o gato pôde se posicionar no topo da cadeia alimentar.

Gato comendo

Em vista disso, a dieta desses animais, em seu habitat silvestre, não depende apenas de suas capacidades evolutivas. Sua nutrição também varia segundo as mudanças climáticas, a disponibilidade de alimento em seu entorno, a intervenção humana em seu ambiente, etc.

Por isso, imagine o que aconteceria se um felino selvagem desenvolvesse certos hábitos caprichosos como os gatos domésticos. Pois bem, não é difícil perceber que esses comportamentos seletivos seriam um perigo para a sobrevivência da espécie.

E por que gatos domésticos rejeitam mudanças na dieta?

Se os felinos não são realmente caprichosos, como explicar que muitos gatos domésticos sejam donos de um paladar tão exclusivo? Ora, a resposta está na própria pergunta. Afinal, os gatos desenvolvem certos comportamentos seletivos em relação à alimentação, graças ao processo de domesticação.

Tudo começa quando o felino não precisa mais caçar para se alimentar. Em seguida, ele começa a se adaptar e consumir alimentos balanceados. Além disso, também influencia o fato de ser criado em ambientes com pouco espaço, como os apartamentos, que não passam pelas transformações naturais de um habitat silvestre. Isso faz com que seu organismo se prenda facilmente a uma rotina alimentar limitada, para sentir-se mais seguro.

Para entender mais facilmente este fenômeno adaptativo, podemos tomar como exemplo os gatos de rua. Esses animais experimentam algo muito similar aos felinos selvagens. Assim como os animais silvestres, sua sobrevivência depende diretamente de sua capacidade adaptativa.

Por fim, uma consequência do estilo de vida dos gatos de rua é que sua alimentação geralmente é mais variada. Da mesma maneira, seu paladar é muito menos seletivo que o de um gato doméstico.

Mudar a dieta do seu gato: a importância da adaptação precoce

Os gatos definem os critérios – ou preferências – de seu paladar durante os primeiros seis ou sete meses de vida. Durante a época em que são filhotes, é mais fácil que aceitem provar novos sabores, aromas, texturas e umidades. Esta é a idade ideal para acostumá-los a uma dieta variada e evitar que recusem as mudanças alimentares.

Se deixarmos para apresentar novos alimentos a um gato após seu paladar estar formado, sua adaptação será muito mais lenta. Um animal adulto é menos flexível às mudanças de rotina e geralmente rejeita sabores desconhecidos.

Se oferecemos uma série de odores, texturas, formas e sabores, criaremos um gato de maior tolerância alimentar. Portanto, a adaptação precoce é a melhor forma de preparação para mudar a dieta do seu gato na idade adulta.

Substitua a dieta do seu gato lentamente e gradualmente

Como dissemos, os felinos se apegam à sua rotina para se sentirem mais seguros. Por isso, expor os animais a uma mudança radical de ambiente, alimentação ou hábitos geralmente provoca reações negativas em seu corpo e mente.

Gato comendo patê

Se a mudança for drástica, o animal pode desenvolver condutas agressivas e/ou autodefensivas, mudanças comportamentais e sintomas diversos como letargia, diarreia, desnutrição, etc.

Portanto, é essencial mudar a dieta do seu gato de forma lenta e gradual. Dessa forma, você evitará distúrbios comportamentais e orgânicos. O ideal é começar por substituir uma pequena porcentagem (5% a 10%) de seu alimento antigo pelo novo alimento de sua dieta diária. Essa porcentagem deve ser aumentada semanalmente.

Matizar sabores

Uma boa opção para disfarçar as mudanças no alimento é misturar os ingredientes novos com um pouco de patê ou comida úmida. O aroma forte e o sabor agradável desses complementos ajudarão a estimular o apetite do seu gato.

Embora ela funcione bem, é importante utilizar essa técnica apenas durante as primeiras semanas. Assim, você evitará que o animal se acostume a consumir os complementos diariamente.

Por outro lado, a atenção deve ser reforçada para mudar a dieta de um gato adulto ou idoso que consumiu o mesmo tipo de alimento por muito tempo. Afinal, o organismo desse animal se adaptou a digerir e absorver os nutrientes oferecidos pela fórmula da comida. Então, mudar radicalmente sua alimentação pode provocar danos sérios.

Em qualquer caso, é indispensável consultar um veterinário antes de mudar a dieta do seu gato. Por isso, tenha em mente que o animal deve estar saudável para enfrentar positivamente uma mudança na rotina. Além disso, o profissional poderá ajudar a escolher um novo alimento adequado às necessidades nutricionais do seu animal.