Como prevenir alergia alimentar em cães

· julho 16, 2018
A alergia alimentar em cães geralmente é consequência da ingestão de carne, ovos, peixe e alguns legumes. Se seu cão apresentar esse tipo de rejeição, ele não irá parar de se coçar, a ponto até de causar feridas abertas, mas uma visita ao veterinário e uma dieta natural resolverão esse problema.

Os cães, assim como os seres humanos, podem sofrer de alergias por comer certos alimentos. A primeira coisa a considerar sobre isso é que você deve saber distinguir uma alergia alimentar em cães de uma intolerância alimentar.

Intolerâncias alimentares e alergias

Em geral, a intolerância alimentar faz com que o cão expulse certos alimentos por vômito ou diarreia. E toda vez que o cachorro come a mesma comida, ele experimenta a mesma rejeição.

Em contraste, as alergias alimentares em cães costumam produzir vários sintomas no animal de estimação. Alguns deles são: coceira em algumas partes do corpo, como peito, pernas, axilas, ânus e orelhas. Como resultado dessa mesma picada, o animal se coça frequentemente, o que causa vermelhidão e ardor.

Uma complicação que geralmente ocorre é a infecção gerada por feridas abertas por arranhões. Olhos vermelhos e buracos na pelagem podem ser outros sinais de alergia alimentar em cães.

Filhote de cachorro

Os alimentos que mais produzem essas alergias são produtos como frango, vitela, peixe, ovos, cordeiro, milho, soja e trigo. Estes mesmos ingredientes estão presentes em muitos alimentos processados ​​para animais de estimação (rações animais).

Por que ocorre a alergia a alimentar em cães?

Tal como acontece com os humanos, algumas proteínas ingeridas nos alimentos não são reconhecidas pelo organismo do animal. Como resultado, o corpo ativa seu sistema imunológico para combatê-lo. Quando os sintomas começam e o dono do cão suspeita de uma alergia alimentar, ele não deve diagnosticar ou medicar o animal de estimação.

Muitas outras doenças têm sintomas semelhantes, por exemplo, certos tipos de sarna, picadas de insetos, parasitas intestinais, atopia e infecções. O veterinário é o único autorizado a diagnosticar com precisão e indicar o tratamento ou a solução apropriada.

Como uma alergia alimentar em cães é tratada

Quando o veterinário detecta a existência de uma alergia alimentar, geralmente prescreve uma dieta em que o animal é privado do ingrediente suspeito. O tempo aproximado para esta dieta é de entre 6 e 12 semanas.

Após este tempo, o animal é alimentado novamente e é observado para confirmar se esta foi a causa da alergia. Este processo é chamado de dieta de eliminação e teste de provocação.

Cão no veterinário

Para aqueles cães que são alérgicos a um componente alergênico, eles podem ser instruídos a consumir uma ração comercial que contenha proteína hidrolisada.

Este tipo de proteína não costuma causar uma reação alérgica no corpo do cão, uma vez que ela é degradada por enzimas que produzem peptídeos mais leves. Essas moléculas são hipoalergênicas e mais digeríveis para o animal.

Em vez destas fórmulas especiais, em outros casos, uma dieta caseira pode ser indicada, o que permite controlar ou impedir a ingestão de alérgenos alimentares. A dieta caseira BARF, especialmente concebida para este fim, é bem conhecida.

Outra medida recomendada pelos veterinários, quando uma reação alérgica muito forte já está presente, é a tomada de anti-histamínicos e corticosteroides.

Como é a dieta BARF?

A dieta BARF para cães é a sigla em inglês de “Biologically Appropriate Raw Food”, que em português significa “Alimentos crus biologicamente apropriados”.

alergia alimentar em cães

Consiste em alimentar os cães com os ingredientes que eles escolheriam em um ambiente natural. Basicamente, se trata de dar ao cão carne crua e proteínas vegetais, alguns óleos, iogurte, queijo e alguns outros carboidratos. Estes alimentos devem ser fornecidos completamente crus ou levemente cozidos.

Alguns tipos de ossos podem ser adicionados à lista, ossos cercados por carne, carnes de órgãos, ovos crus e um pouco de frutas. Qualquer um desses produtos pode causar problemas em nosso animal de estimação.

Isto é como imitar a dieta ancestral de lobos e canídeos antes do surgimento da alimentação animal industrial. Dada a preocupação de saber se esta comida crua ou semi-cozida pode contaminar o cão com bactérias, o ideal é congelar o alimento durante pelo menos três dias.

Uma desvantagem dessa dieta é que sua preparação pode ser trabalhosa, cara e desequilibrada se não for bem planejada. Lembre-se que as rações industriais calculam as necessidades nutricionais e vitamínicas dos animais de estimação.

Como vemos, o problema da alergia alimentar em cães é uma reação adversa a um ingrediente da comida, e tem diferentes soluções. Qualquer tratamento deverá ser sempre indicado pelo veterinário.