Como separar uma briga entre gatos?

Assistir a uma briga de gatos é desagradável para os humanos, mas não tão desagradável quanto para os felinos, que podem ficar gravemente feridos. Aqui estão algumas dicas para evitar essa situação.
Como separar uma briga entre gatos?

Última atualização: 29 Outubro, 2021

Assistir a uma briga de gatos provoca em nós uma resposta automática: entrar no meio e interromper a briga. No entanto, isso não é recomendado, pois acarreta risco para os felinos e para o ser humano que intercede.

Por outro lado, é verdade que uma ação rápida é necessária para separar os felinos antes que lesões graves ocorram. Então o que fazer? Aqui vamos dar todas as informações necessárias para se preparar caso você venha a presenciar uma briga desse tipo, então não deixe de ler.

Briga entre gatos

Nas consultas veterinárias é comum ver tutores com felinos machucados por causa de brigas entre gatos. Sem entrar em muitos detalhes, 1 em cada 4 gatos apresenta comportamentos agressivos com seus coespecíficos ou com os humanos com quem convivem. Contudo, um arranhão superficial não é a mesma coisa que uma briga.

Uma briga entre gatos implica que o conflito se agravou ao ponto de que ambos os gatos passaram à agressão direta. Nesse cenário, eles gritam, se arranham, se mordem e não se soltam de jeito nenhum. Essa situação é perigosa, pois pode causar ferimentos graves ou até a morte de um dos felinos.

Por que os gatos brigam?

Normalmente, a briga é precedida de avisos e marcações por um tempo e, se a tensão não for resolvida, aumenta até a briga ocorrer. Os principais motivos para uma briga entre gatos são os seguintes:

  • Territorialidade: os gatos são animais solitários que marcam seu próprio espaço, tanto na rua quanto em casa. A presença de outro felino em seu território pode gerar conflitos.
  • Hierarquia: quando os gatos vivem em grupo, uma hierarquia é estabelecida entre eles. Até que essa hierarquia seja estabelecida (ou se algum dos gatos não a respeitar) ocorrem agressões.
  • Problemas de adaptação: quando um novo gato chega a uma casa onde outro já mora, é normal que ocorram algumas agressões isoladas, como bufos ou arranhões. Isso é de se esperar, pois os gatos estão se conhecendo e estabelecendo a hierarquia. Porém, é fundamental administrar a situação para que não se transforme em uma briga sangrenta.
Como separar 2 gatos que estão lutando?

Como agir em uma briga entre gatos?

A melhor ação antes de uma briga entre gatos sempre será a prevenção. Os sinais de alerta que os gatos enviam uns aos outros são claros e podemos ver que aumentam de intensidade com o tempo. Algumas dicas para evitar brigas futuras são:

  • Faça uma boa apresentação entre os membros quando um novo gato chegar em casa.
  • Descubra qual fator problemático seus gatos estão enfrentando e resolva: pode ser que haja pouca comida, sobreposição de espaços ou problemas ao interagir com você, por exemplo. Ao eliminar a causa do conflito, você reduzirá o estresse que os leva a brigar.
  • Quando os gatos ameaçam uns aos outros, distraia a atenção deles: você pode jogar um brinquedo, por exemplo. Tenha cuidado ao pegá-los no colo ou interceder fisicamente, pois você pode provocar uma agressão redirecionada contra você.
  • Recompense-os se eles se retirarem do conflito: reforçar comportamentos não agressivos ajudará os felinos a entenderem que viver com outro gato tem vantagens. Isso é muito útil quando se trata dos primeiros dias de convivência entre dois indivíduos.
  • Castrá-los: a esterilização reduz comportamentos agressivos e territoriais, entre muitas outras vantagens (como a prevenção de tumores gonadais).
  • Use feromônios artificiais: embora devam primeiro ser aprovados por um veterinário, os feromônios ajudam os gatos a se sentirem mais confortáveis em seu espaço, especialmente quando estão começando a se conhecer.

Ainda assim, existe a possibilidade de você não ser capaz de observar esses sinais de alerta (porque pode se tratar de dois indivíduos de uma colônia de gatos que não é monitorada o dia todo, por exemplo). Se a brigar começar e você não tiver conseguido evitá-la, veja a seguir a maneira correta de agir para separar os envolvidos.

Como interromper uma briga entre gatos?

Interromper os conflitos entre gatos é urgente, mas também perigoso. A primeira coisa que você deve saber é que nunca deve separar os felinos com as mãos, pois você pode ficar sujeito a agressões que são passíveis de complicações (não só pela lesão em si, mas também por infecções).

Você também não deve usar instrumentos como vassouras (ou similares) para separar os gatos de longe, pois os animais podem se machucar. Além disso, provavelmente eles estão tão imersos na luta que nem percebem que um objeto estranho está tentando separá-los.

Portanto, a melhor solução é criar uma distração intensa o suficiente para que os gatos se separem. Pode ser um grito, um barulho alto ou o arremesso de um objeto. Não é preciso dizer que esse objeto não deve causar nenhum dano aos felinos, ou seja, deve ser algo macio para não fazer nenhum mal.

Uma opção muito comum é o típico pulverizador que lança um jato d’água, já que os gatos são bastante reativos a esse estímulo.

Depois de separá-los (e se a briga tiver ocorrido dentro de casa), coloque cada gato em um cômodo diferente até que ambos se acalmem. Não os castigue, pois isso só aumentará a ansiedade do momento. Uma vez que os dois felinos estiverem calmos, controle seus encontros para que eles sejam progressivos e a briga não recomece.

Um gato muito zangado fora de uma casa.

Uma consideração final a ter em mente é que, embora existam medicamentos específicos para apaziguar os instintos territoriais e agressivos dos gatos, eles só serão eficazes quando aplicados em conjunto com uma intervenção comportamental em casa. Caso você não conseguir resolver o conflito em longo prazo, procure um especialista.

Pode interessar a você...
Como apresentar dois gatos
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Como apresentar dois gatos

Não é fácil que dois gatos convivam bem. Por isso, vamos mostrar algumas dicas para apresentar dois gatos. A seguir, mais detalhes!



  • Curtis, T. M. (2008). Human-directed aggression in the cat. Veterinary Clinics of North America: Small Animal Practice38(5), 1131-1143.
  • Amat, M., Manteca, X., Brech, S. L., Ruiz de la Torre, J. L., Mariotti, V. M., & Fatjó, J. (2008). Evaluation of inciting causes, alternative targets, and risk factors associated with redirected aggression in cats. Journal of the American Veterinary Medical Association233(4), 586-589.
  • Moesta, A., & Crowell-Davis, S. (2011). Intercat aggression–general considerations, prevention and treatment. Tierärztliche Praxis Ausgabe K: Kleintiere/Heimtiere39(02), 97-104.
  • U.S. pet ownership statistics. (s. f.). American Veterinary Medical Association. Recuperado 27 de septiembre de 2021, de https://www.avma.org/resources-tools/reports-statistics/us-pet-ownership-statistics