Comportamento e alimentação do macaco prego de cara branca

julho 30, 2019
Este primata nativo da América Central tem um papel muito importante na dispersão de sementes em seu habitat. Ele também se destaca pela sua capacidade de criar e utilizar ferramentas para obter alimentos.

O macaco prego de cara branca é uma espécie que vive em grande parte da Amazônia brasileira e na região noroeste da América do Sul. Eles são nativos da América Central, mas sua presença se estendeu aos Andes colombianos e a outras regiões vizinhas.

Os primeiros registros dessa espécie foram feitos no século XVII, incluindo-os no grupo das espécies do Novo Mundo.

Sua pelagem é curta e preta nas costas e amarelada na frente. Seu rosto é cor-de-rosa com pelos brancos, daí seu nome e o epíteto “capuchinho”, pelo qual também é conhecido por sua semelhança com os trajes usados pelos monges desta ordem religiosa.

Esses primatas não são muito grandes. Na verdade, a maioria deles mede apenas 45 cm de altura. O rabo merece uma menção especial, pois pode chegar a 55 cm. Além disso, é a força dela permite que ele mantenha seu peso e se mova entre as árvores.

O habitat do macaco prego de cara branca

Como uma espécie do Novo Mundo, o macaco prego de cara branca é encontrado exclusivamente no continente americano. Seu habitat favorito está nas florestas úmidas da América Central.

No entanto, ele mostrou uma grande adaptabilidade em alguns tipos de florestas tropicais ou nas áreas com alta disponibilidade de fontes de água na América do Sul.

Também está distribuído em áreas do norte da Argentina. Nas últimas décadas, tornou-se popular em algumas partes da América do Norte, embora não existam registros de grupos populacionais nesta área.

Macaco prego de cara branca

Esta espécie é considerada uma das mais inteligentes do Novo Mundo graças à sua capacidade de usar paus e pedras como armas ou ferramentas para a obtenção de alimentos.

A este respeito, diversos espécimes foram documentados cavando com palitos obtidos a partir de galhos de árvores. Além disso, eles usam pequenas pedras para esmagar as folhas ou alguns vermes que são esfregados em seu corpo como remédios para arranhões ou outros desconfortos.

Comportamentos desta espécie

Esses primatas têm regras de comportamento muito interessantes em que sua curiosidade e simpatia se destacam.

Geralmente gastam muito tempo se limpando mutuamente e se comunicam com certos tipos de vocalizações. Quanto ao seu temperamento, costumam ser relaxados e gostam de ficar nas copas das árvores.

Normalmente vivem em grupos de aproximadamente 20 indivíduos. Além disso, sua organização social é baseada na liderança de um macho alfa que pode dominar seu grupo por cerca de 15 anos.

Eles são polígamos e geralmente o macho dominante é o maior responsável por gerar a maior parte dos descendentes de seu grupo.

O período de gestação leva cerca de seis meses e o mais comum é o nascimento de um único filhote, embora existam casos de nascimentos de gêmeos. A fêmea carrega seus filhotes nas costas por seis semanas e integra-os gradualmente às atividades do grupo familiar.

O macaco prego de cara branca atinge a maturidade sexual aos três anos, embora haja um período de sete anos até a primeira gestação. Em geral, as mulheres permanecem em sua família materna. Os homens, por outro lado, normalmente migram para novos grupos, onde esperam se tornar dominantes.

Para isso, os macacos migrantes matam os filhotes dos novos grupos para estimular a ovulação das fêmeas e aumentar as chances de reprodução. Os machos existentes no grupo defendem os jovens e suas fêmeas, então o vencedor se torna o líder e ganha o apoio dos sobreviventes.

Macaco prego de cara branca em família

O que o macaco prego de cara branca come?

A dieta do macaco prego é basicamente onívora, e as frutas são sua comida preferida. Destas, buscam comer as frutas maduras ingerindo principalmente a polpa, embora também gostem de consumir suas flores e os brotos das folhas.

20% de sua dieta é baseada em invertebrados, como gafanhotos, besouros, larvas e algumas aranhas. No entanto, a ingestão de ovos de aves, sapos, moluscos e alguns pequenos mamíferos não é descartada.

Eles se hidratam com água encontrada nas cavidades das árvores e nascentes ou poços. Nas épocas de seca, a luta pelo líquido vital pode se tornar sangrenta e provocar grandes conflitos.

Estes primatas desempenham um papel importante na disseminação de sementes, que germinam mais rapidamente quando são ingeridas e, posteriormente, evacuadas.

Existem algumas subespécies de macacos pregos de cara branca que estão em perigo de extinção, como o Kaapori, o louro e o peito amarelo.

No entanto, a maioria desses espécimes tem uma população estável, mas tem sido encurralada pelo desmatamento de seu habitat. Além disso, eles são ameaçados pela captura excessiva do homem, que o vende como animal de estimação.