O comportamento das galinhas

O comportamento das galinhas é cheio de surpresas: elas não são as simples aves que todos pensam. Você quer saber por quê?
O comportamento das galinhas

Última atualização: 28 agosto, 2021

O modo de vida dessas aves é amplamente desconhecido, com várias surpresas e complexidades camufladas com ditados e livros didáticos. O verdadeiro comportamento das galinhas é um enigma para quem não convive com elas, apesar de todos esses anos vivendo domesticadas em ambientes humanos.

As galinhas são aves pertencentes à ordem Galliformes, especificamente à família Phasianidae. Seus ancestrais selvagens eram capazes de pequenos voos, mas as espécies de hoje mal conseguem alcançar o topo de uma árvore. São aves pequenas, pesando no máximo 4 quilos, mas com certeza você se encantar depois de ler este artigo.

Comportamento das galinhas

O comportamento das galinhas é diurno, pois elas passam mais da metade do dia ocupadas procurando comida. São aves tímidas e, mesmo dentro de fazendas humanas, têm predadores, como raposas, mustelídeos ou lobos. Quando não estão forrageando, é comum vê-las exibir alguns desses comportamentos se estiverem em um ambiente adequado:

  • Bater as asas: elas batem as asas com força, mas sem alçar vôo. É um movimento destinado a esticar e fortalecer as asas, bem como para soltar penas velhas e verificar se há parasitas.
  • Catação: através da extração do óleo de sua glândula uropígea com a cabeça e o bico, as galinhas dão brilho, arrumam e limpam as penas.
  • Termorregulação: as galinhas são muito sensíveis a altas temperaturas, por isso têm vários comportamentos para se resfriar em climas quentes. Alguns deles são: beber água em vez de comer, abrir as asas ou ofegar com o bico aberto. Quando estão com frio, muitas vezes afofam as penas para reter ar entre elas e, assim, mantê-las aquecidas.
  • Banho de areia: esse ato tem funções sociais — pois elas podem ser vistas tomando banho em grupo —, de termorregulação e de autocuidado, pois assim as galinhas também se livram dos ácaros e outros parasitas que possam estar em suas penas.

 

Você conhece o comportamento social das galinhas?

Comportamento social

São aves gregárias que se organizam hierarquicamente. Usando a ordem por bicadas, as galinhas estabelecem sua dominância até que reste uma alfa, que geralmente ocupa os melhores lugares para dormir e comer, geralmente ao lado do galo dominante. O comportamento submisso é demonstrado abaixando a cabeça e fugindo com as pernas ligeiramente dobradas.

Os galos têm uma hierarquia própria, paralela à das fêmeas, que também inclui a territorialidade e os comportamentos de ameaça entre eles.

Normalmente os grupos são formados por um galo dominante, talvez um jovem galo subordinado, e as galinhas. Os machos cumprem o papel de protetores do grupo, e as fêmeas os seguem dentro do território que marcam como seu. É comum ver todas as galinhas descansando ao redor do macho, que se mantém em pé e vigilante.

Quando os grupos oscilam em torno de 25 indivíduos, a hierarquia é suficiente para manter a paz no grupo. No entanto, em locais onde mais de 80 espécimes ficam aglomerados – como na indústria de exploração – os ataques são mais comuns e a hierarquia se baseia no tamanho do corpo e da crista.

Além disso, essas aves são capazes de distinguir se outro espécime é seu parente direto ou não. Elas tendem a formar alianças mais facilmente com galinhas consanguíneas, então apresentar novos membros ao grupo pode levar a graves agressões se o processo não for feito corretamente.

A comunicação no comportamento das galinhas

Mais de 30 vocalizações diferentes foram documentadas em galinhas, todas com funções próprias: botar ovos, estimular a monta, alertar sobre o perigo e até transmitir tranquilidade quando todas descansam juntas. Os galos são os que emitem os famosos cantos de madrugada, embora seja comum ouvi-los esporadicamente ao longo do dia.

O comportamento reprodutivo

As galinhas são aves políginas, ou seja, o macho dominante é aquele que se reproduz com as fêmeas do grupo. Porém, em grandes grupos você pode ver alguns pares monogâmicos, nos quais o galo protege sua parceira de outros machos. Os comportamentos mais comuns na reprodução das galinhas são 3:

  1. Cortejo: o galo exibe o tamanho e a cor de sua crista e seu peito. Posteriormente, ele abaixa uma asa no chão e se move em círculos em uma dança de cortejo. As fêmeas, ao se mostrarem receptivas, abaixam a cabeça e levantam o rabo.
  2. Posta: uma vez fecundadas, as galinhas procuram no solo locais protegidos por arbustos e com temperatura adequada.
  3. Incubação: durante esse período, diz-se que a galinha está “chocando”. Ela pode perder peso e algumas penas na região peitoral e abdominal, o que facilita a transferência de calor para os ovos. A incubação dura cerca de 20 dias, durante os quais a galinha só sai do ninho para dar um pequeno passeio, comer e beber.

Comportamento alimentar

As galinhas passam a maior parte de sua vigília em busca de comida, arranhando o chão com os pés e bicando o que encontrarem no solo. Apesar de serem principalmente granívoras, elas também podem consumir pequenos insetos.

Seu comportamento é diferente dependendo do alimento que estiverem consumindo: se for um inseto, as galinhas o bicam primeiro para ver sua reação. Se o animal se defender e for considerado perigoso, elas o deixarão em paz.

Comportamento de galinhas sob estresse

O estresse em galinhas tem sido observado em granjas avícolas, onde esses animais vivem em condições de superlotação e não conseguem realizar seus comportamentos naturais. Nesses locais, é comum ver agressões graves e outros comportamentos, como os seguintes:

  • Bicar: consiste em arrancar as próprias penas por meio da catação excessiva. Pode ser identificado ao observar áreas da pele sem penas.
  • Canibalismo: às vezes, as bicadas de entre as galinhas se tornam tão insistentes que acabam perfurando a pele e consumindo seções inteiras de tecido.
  • Histeria aviária: em outros casos, o estresse é tão intenso que as galinhas acabam fazendo voos curtos ou batendo as asas descontroladamente. É um pânico que geralmente se espalha para o resto das aves ao redor.

 

Você conhece o comportamento das galinhas?

Como você pôde ver, o comportamento das galinhas não se limita a cacarejar e arranhar o chão. As pessoas que cuidam delas sabem que sua hierarquia é complexa e sua comunicação eficiente. Vê-las além do estigma de animais destinados ao consumo implica descobrir organismos sociáveis, curiosos, empáticos e com um incrível instinto maternal.

Pode interessar a você...
Por que meu cachorro ataca as galinhas e como evitar?
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Por que meu cachorro ataca as galinhas e como evitar?

Quando o cachorro ataca galinhas, o mais importante é fazer o animal compreender que não deve incomodá-las e se habituar à sua presença.



  • Costa, L. S., Pereira, D. F., Bueno, L. G. F., & Pandorfi, H. (2012). Some aspects of chicken behavior and welfare. Brazilian Journal of Poultry Science14, 159-164.
  • The Startling Intelligence of the Common Chicken. (s. f.). Scientific American. Recuperado 26 de julio de 2021, de https://www.scientificamerican.com/article/the-startling-intelligence-of-the-common-chicken/?error=cookies_not_supported&code=0995b0f1-4b7c-41a2-af57-e9b2037249f2
  • Edgar, J. L., Lowe, J. C., Paul, E. S., & Nicol, C. J. (2011). Avian maternal response to chick distress. Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences278(1721), 3129-3134.