Conheça 5 golfinhos que vivem em rios

· outubro 13, 2018
Alguns deles estão correndo risco de extinção, devido às represas que são criadas ao longo dos rios. Existem hoje cerca de mil exemplares ou menos dessas espécies em perigo.

Quando pensamos em um golfinho, podemos imaginar um belo animal entre as ondas do mar. No entanto, existem também golfinhos que vivem em rios, que preferem as águas doces e mais calmas. Nós falaremos sobre eles neste artigo.

Quais são os golfinhos que vivem em rios?

Eles são semelhantes aos do golfinhos que vivem no mar em termos de aparência e tamanho, mas diferem em termos de cor (mais rosa ou marrom) e do habitat que escolhem para viver. Vamos apresentar então os golfinhos que vivem nas águas dos rios:

  1. Golfinho-da-Amazônia

É conhecido como boto-cor-de-rosa e é famoso por ser rosa (como seu nome já diz).

Este golfinho, que vive na Amazônia – foto que abre este artigo – é o maior de toda a sua família de água doce: pode medir mais de dois metros de comprimento e pesar cerca de 185 quilos.

Os machos são até duas vezes maiores que as fêmeas.

Ele pode se mover pelas florestas alagadas sem problemas, graças a suas barbatanas peitorais bem preparadas e, também, graças às suas barbatanas dorsais.

Alimenta-se de peixes, incluindo piranhas e corvinas, bem como de caranguejos e tartarugas.

Pode mover sua cabeça de maneiras diferentes, já que ela não apresenta vértebras cervicais fundidas, como as espécies oceânicas.

A cor rosada que dá nome a essa espécie nem sempre é tão marcante, mas muda de tom de acordo com a idade e o sexo. No nascimento e até durante a juventude pode ser cinza escuro, depois passa para um cinza claro, e finalmente se torna rosa.

Os machos são ainda mais claros que as fêmeas.

  1. Golfinho do rio Araguaia

É outra das espécies de golfinhos de rio que vivem na América do Sul, especificamente na bacia dos rios Araguaia e Tocantins.

Em 2012, foi separado do rosa, depois de várias pesquisas e comparações da morfologia dos crânios: o do Araguaia tem uma cabeça maior e menos dentes do que seu parente amazônico.

Golfinho do rio Araguaia

Ainda não temos muita informação sobre o golfinho do Araguaia, cuja população é estimada em cerca de mil exemplares. Por isso, foi declarado em perigo de extinção. A principal ameaça é a criação de barragens ao longo do rio onde ele vive.

  1. Golfinho do rio Ganges

O golfinho-do-ganges ou shushuk, como os hindus o chamam, vive nos rios Ganges e Brahmaputra, bem como em seus afluentes.

Seu habitat compreende três países: Índia, Nepal e Bangladesh.

Golfinho do rio Ganges

Quanto ao seu corpo, possui um focinho longo e pontudo (como os outros golfinhos de rio). Uma particularidade é que seus dentes permanecem visíveis mesmo quando está com a boca fechada. Sua cor é marrom, para poder se misturar às águas do rio.

Uma das características mais importantes desse golfinho é que ele é cego, pois carece do cristalino dos olhos.

Da mesma forma, e apesar do fato de que as águas onde vive são muito turvas, ele consegue detectar luzes.

Além disso, é orientado por meio de ecolocalização.

As fêmeas são maiores que os machos, a gestação dura cerca de 10 meses e os filhotes permanecem próximos da mãe por um curto período.

Todos se alimentam de carpas, bagres e camarões.

  1. Golfinho do Rio Del Plata

É conhecido como ‘la franciscana’ e habita o estuário do Rio da Prata e as costas do Oceano Atlântico, na América do Sul.

É outro dos pequenos golfinhos de rio (não ultrapassa 1,6 metros de comprimento, no caso dos machos, e 1,8 metros no caso das fêmeas).

Seu corpo é marrom acinzentado (como as águas) e a barriga é mais clara.

Golfinho do Rio Del Plata

O golfinho do rio Del Plata vive cerca de 20 anos, alimenta-se de peixes, camarões, polvos e lulas. Seus principais predadores – tubarões e baleias assassinas – são encontrados em mar aberto, de modo que não se aventuram muito nas águas oceânicas.

  1. Golfinho Indo-fluvial

O último dos golfinhos de rio desta lista vive no Paquistão e em algumas áreas da Índia, onde compartilha o habitat com o do Ganges.

Também é cego, já que não possui lentes cristalinas e, para caçar e se mover, usa a ecolocalização.

Golfinho Indo-fluvial

Tem um longo focinho, seu corpo mede cerca de 2,5 metros e está em perigo de extinção, pois sua população não ultrapassa 600 exemplares. A construção de barragens ao longo do rio Indo é a principal causa de seu rápido desaparecimento: os indivíduos são isolados uns dos outros e nem sempre conseguem comida.