5 conselhos para cuidar de um gato surdo

abril 15, 2020
Os gatos surdos podem ser animais de estimação tão felizes quanto qualquer outro. A seguir, explicaremos o que fazer para que seu felino esteja sempre saudável e feliz.

Cuidar de um gato surdo pode parecer uma tarefa complicada. Além das suas necessidades habituais, ele terá que aprender novas maneiras de comunicar o que precisa.

Embora pareça difícil, a realidade não é tão complicada. Gatos e humanos são seres muito adaptáveis ​​e, com alguma constância, podem ser entendidos sem problemas. Neste artigo, daremos cinco dicas para cuidar de um gato com deficiência auditiva.

Os gatos surdos

Alguns gatos nascem surdos e outros ficam surdos no decorrer de suas vidas. A causa mais comum de surdez não congênita em gatos é a idade. Outras causas podem ser as infecções do canal auditivo, como a otite.

Há evidências de uma relação entre a pigmentação da pelagem dos gatos domésticos e a incidência de distúrbios auditivos congênitos. Nem todos os gatos brancos são surdos, mas os gatos brancos de olhos azuis são mais propensos a ter surdez congênita.

Gato branco com olhos coloridos
Sintomas de surdez em gatos

Para saber se o seu gato é ou está ficando surdo, leve-o ao veterinário e preste atenção ao seu comportamento. Um sintoma comum de surdez em gatos é o aumento do tempo de sono. Esse sintoma pode ser um pouco confuso, já que os felinos gostam muito de dormir.

Um gato surdo também pode parecer mais atento. Se você notar um interesse incomum do seu gato por você ou por outros animais domésticos, ele pode estar observando seus movimentos com mais cuidado.

Muitos gatos surdos ficam atentos ao seu comportamento ou ao de outros animais para saber o que está acontecendo ao seu redor. Outros sinais comuns podem ser:

  • Seu gato não percebe quando você entra em casa.
  • Não responde a sons do dia a dia, como ser chamado pelo nome, barulhos altos e brinquedos estridentes.
  • Não acorda com barulhos altos, como a campainha.
  • Maior sensibilidade a aromas e à temperatura.

Estes são alguns dos possíveis sinais de surdez em gatos. Lembre-se de que, se tiver dúvidas, consulte o seu veterinário.

Dicas para cuidar de um gato surdo

Apesar da sua condição, um gato com deficiência auditiva pode ser um excelente animal de estimação. Em geral, cuidar de um gato surdo não é muito diferente de cuidar de um gato que ouve bem. Só precisamos levar em consideração certos detalhes que facilitarão a sua vida e tornarão a convivência mais fácil.

1. Evite sustos

Gatos que vivem em ambientes fechados ainda mantêm seus instintos selvagens que os fazem acreditar que estão sempre sendo caçados. Por esse motivo, pode causar muito estresse se você sempre se aproximar de repente do seu gato, mesmo que por acidente.

É aconselhável usar sinais visuais para indicar ao seu gato que você se aproximará. Se ele estiver dormindo e você quiser chamar a sua atenção, certifique-se de causar algumas vibrações. Caminhe com pisões fortes ou bata palmas. O tremor irá alertá-lo para a sua presença.

Gato dormindo na rua

2. Eduque seu gato surdo

Embora eles sejam ligeiramente diferentes, é igualmente importante educar o seu gato surdo. Como eles estão mais sintonizados com os estímulos visuais, aproveite a oportunidade para usar seu corpo como uma forma de comunicação.

Quando ele olhar para você, abaixe-se no chão e estenda a mão para chamá-lo. Fortaleça seu instinto ao abordá-lo usando uma pequena guloseima.

Você pode se levantar e agitar os braços acima da cabeça ao se aproximar para comunicar o seu desagrado quando ele pular em cima da mesa da cozinha, por exemplo.

Além disso, você pode ensinar um gato surdo a não pular em uma mesa usando uma garrafa com spray cheia de água para molhá-lo. Um jato de água não é doloroso e atrai a atenção do gato se ele estiver virado para o outro lado. Além disso, de acordo com alguns especialistas, pode ajudar a corrigir o comportamento sem causar medo no animal.

3. Mantenha seu gato surdo em segurança

Existem muitas ameaças ao ar livre para um gato surdo, por isso é importante cuidar bem deles. Eles não conseguem ouvir cães latindo, buzinas ou pessoas gritando.

Por esses motivos, é importante fornecer uma área de descanso confortável ao lado de uma janela onde ele possa olhar para fora e ver tudo o que está acontecendo. Se você tiver espaço suficiente, é ideal que tenha acesso a uma gaiola para gatos no quintal. Lá, ele poderá respirar ar fresco e ver outros animais.

Também é uma opção ensiná-lo a andar com coleira. Ele vai se divertir muito andando pelo bairro enquanto se mantém seguro. Ele aprenderá mais rápido do que você imagina!

Dono passeando com gato surdo

4. Procure uma companhia para ele

Todos os gatos se beneficiam de ter outros animais de estimação ao seu redor, principalmente outros gatos. Isso é especialmente verdade no caso de gatos surdos. Em geral, nessas condições, os felinos pegarão dicas do comportamento de outros animais para saber o que está acontecendo.

O ideal seria ter dois gatos desde filhotes para facilitar a convivência quando os dois forem mais velhos. Se você tem um gato surdo e quer trazer um novo companheiro, é importante garantir que a personalidade de ambos seja compatível.

Além disso, você deve entender que ambos passarão por um período de adaptação. Isso pode levar de alguns dias a meses. Se você fizer a escolha certa e fornecer a eles quantidades adequadas de exercício, os dois gatos ficarão felizes em ter um novo amigo.

5. Estabeleça uma rotina

Gatos são criaturas exigentes que amam rotina e confiança. Isso é ainda mais verdadeiro quando seu gato não tem um dos sentidos. Para evitar desorientá-lo e causar estresse, mantenha uma rotina de refeições confiável e evite reorganizar os móveis.

Ao criar um cronograma e segui-lo, você pode ensinar as rotinas domésticas importantes rapidamente a um gato. Seus felinos podem aprender quando as refeições ocorrem e qual é o local da alimentação.

Gatos, surdos ou não, continuam sendo animais de estimação felizes. Em geral, fazer adaptações simples para um animal com deficiência auditiva não é difícil.

Ao abrir sua casa para um companheiro de quatro patas com deficiência auditiva, você irá descobrir um amigo inseparável. Vocês dois vão aprender novas maneiras de se comunicar!

  • Cao, Z., Xu, Y., Tan, X., Suematsu, N., Robinson, A., & Richter, C.-P. (2018). Electrical and optical co-stimulation in the deaf white cat. In Optical Imaging, Therapeutics, and Advanced Technology in Head and Neck Surgery and Otolaryngology 2018 (Vol. 10469).
  • Muniak, M. A., Connelly, C. J., Tirko, N. N., O’Neil, J. N., & Ryugo, D. K. (2013). Synaptic Organization and Plasticity in the Auditory System of the Deaf White Cat, 83–128.
  • Hartmann, R., Klinke, R., & Heid, S. (1997). Functional Organization of the Auditory Cortex in the Congenitally Deaf White Cat, 561–575.