Dermatite acral em cachorros

novembro 21, 2017

Animais que lambem seu corpo compulsivamente em determinada área. Essa é a característica principal da dermatite acral em cachorros. A zona geralmente é nas patas, e eles se lambem até que se criem feridas.

A ação de se lamber sem parar faz com que a pele do animal se inflame. Progressivamente, a zona afetada pode se endurecer. Os folículos da pelagem e as glândulas apócrinas (responsáveis pela sudorese) racham. Também podem aparecer infecções bacterianas.

O tratamento para esta doença é, em geral, bastante demorado e incômodo, tanto para o próprio animal quando para seus donos. No entanto, uma vez confirmado o diagnóstico, o tratamento deve ser cumprido até o final.

Sintomas e fatores que causam a doença

O principal sintoma da dermatite acral em cachorros é o animal estar se lambendo compulsiva e incansavelmente. Em alguns casos, a ação com a língua é complementada por mordiscadas de média e grande intensidade.

Cão lambendo o focinho

O aparecimento das feridas pode ser visível em períodos curtos de tempo (apenas horas). Também é possível que leve várias semanas do momento em que o animal adquire o hábito de se lamber até que as primeiras lesões apareçam.

Esta doença tem várias origens:

  • Podem ser causadas por alergias a fatores ambientais ou pela ingestão de alguns alimentos;
  • batérias, fungos, parasitas ou ácaros atuando sobre as camadas de pele;
  • picada de alguns insetos;
  • traumas nas articulações (fraturas), que em geral vêm acompanhadas de muita dor;
  • aparecimento de artrite;
  • em alguns casos, pode demonstrar a manifestação de um câncer;
  • desordem hormonal;
  • fatores psicológicos, como transtorno obsessivo compulsivo (TOC) em cachorros;
  • estresse, chateação ou ansiedade;
  • estereótipo (ações repetidas por alguns animais carentes e entediados. Cachorros confinados em ambientes de espaço reduzido ou em abrigos são mais propensos a sofrer com este transtorno).

Raças e questões genéticas

Até o momento, não foi possível estabelecer de forma contundente a relação entre fatores genéticos e o aparecimento da dermatite acral em cachorros. No entanto, estatisticamente, algumas raças se mostram mais propensas a sofrer com esse problema.

A maioria dos cachorros afetados são de raças de grande porte:

  • Pastor Alemão
  • Golden Retriever
  • Mastim Espanhol
  • Dogue Alemão
  • Labrador Retriever
  • Doberman Pinscher

Diagnóstico e tratamentos

A grande maioria dos donos de animais de estimação afetados decidem consultar um veterinário quando a doença já está avançada. Isso dificulta muito o trabalho do especialista. Não apenas para estabelecer o diagnóstico, mas também no momento de definir o tratamento a ser feito.

Quando o médico avalia pela primeira vez um animal com feridas evidentes, não pode determinar a ordem de aparecimento dos sintomas. É preciso averiguar se as lambidas começaram como consequência produzida por algumas feridas ou o contrário.

Para evitar complicações desnecessárias, os donos que encontrarem seus cães se lambendo compulsivamente devem levá-los imediatamente ao consultório veterinário. O mesmo se aplica para quem notar as patas dos animais constantemente úmidas.

Como os casos de dermatite acral em cachorros são causados por diversos fatores, as medidas podem variar. Antes de poder receitar um tratamento, o especialista precisa saber exatamente o que originou o quadro adverso.

Controle dos sintomas

Em um primeiro momento, ataca-se os sintomas: deve-se evitar que o cachorro se lamba para que as feridas possam se curar. Para isso, pode-se recorrer ao colar elisabetano para que o cão não seja capaz de alcançar as zonas afetadas. Também pode ser feito um curativo para proteger a lesão. Mas a única forma de corrigir a raiz deste comportamento é eliminar por completo o fator causador, seja ele de ordem física, ambiental ou psicológica.

Quando o quadro de dermatite acral em cachorros estiver ratificado, é preciso outros especialistas. O ideal é que ao menos um dermatologista veterinário e um etnologista canino supervisem a evolução do paciente.

Cachorro tomando banho

Como evitar a dermatite acral em cachorros

Todos os cães e seus donos devem seguir as normas de higiene e limpeza mais estritas. É fundamental reduzir a incidência de bactérias, fungos, ácaros ou parasitas. Também é importante evitar o estresse e mudanças bruscas na rotina dos animais de estimação.

Raças como o Golden Retriever e o Boxer demandam muito exercício físico para soltar toda a energia que têm guardada. Caso contrário, não só se chateiam, mas também se tornarão ansiosos ao extremo.

Outras raças, como o pastor alemão, não requerem apenas sair para caminhar, correr e saltar. Também necessitam de jogos mentais para relaxar e se afastar da monotonia.