Fases do desenvolvimento embrionário dos peixes

abril 18, 2020
O desenvolvimento embrionário dos peixes é composto por várias fases, que acontecem em mais ou menos tempo de acordo com a espécie e a temperatura da água.

Sem dúvida, o desenvolvimento embrionário dos peixes é tão incrível quanto o de qualquer outro animal. Os processos que acontecem para formar uma nova vida são fascinantes. Neste artigo, vamos mostrar como o peixe se desenvolve até o nascimento.

Desenvolvimento embrionário: conceitos gerais

Antes de falar sobre o desenvolvimento embrionário dos peixes, seria interessante aprender um pouco sobre a embriologia em geral.

Para começar, existem diferentes tipos de ovos, dependendo da organização do vitelo no seu interior. Eles podem ser isolécitos (como nos mamíferos), centrolécitos (artrópodes) e telolécitos (moluscos, peixes, répteis, pássaros ou anfíbios). De qualquer forma, existem três fases do desenvolvimento embrionário, que são as seguintes:

1. Segmentação

Ocorrem as divisões celulares, terminando em um estado chamado de blástula.

2. Gastrulação

As células se reorganizam e dão origem à blastoderme.

3. Diferenciação e organogênese

Os tecidos e órgãos são formados, o que define a estrutura do novo indivíduo a se desenvolver.

Além disso, não podemos ignorar a temperatura, um fator fundamental para o desenvolvimento embrionário não só dos peixes, como também de outras espécies de animais. É mais provável que os ovos completem o seu ciclo – isto é, que os filhotes nasçam – se a temperatura ambiente não variar mais do que 8 °C.

Quando isso não acontece e eles enfrentam temperaturas extremas, há menos chances de que os ovos possam eclodir e é mais provável que os filhotes nasçam com anomalias graves ou não sobrevivam às primeiras horas de vida.

Fases do desenvolvimento embrionário dos peixes

Como ocorre o desenvolvimento embrionário dos peixes?

Agora que já conhecemos algumas noções básicas de embriologia, vamos explicar brevemente quais são os diferentes estágios pelos quais um embrião de peixe passa dentro de um ovo telolécito antes de nascer:

1. Fase zigótica

Uma vez que o óvulo é fertilizado pelo macho, ele permanece em estado de zigoto até que a primeira divisão ocorra. Quanto tempo leva esse processo? Tudo vai depender das espécies e da temperatura das águas. O peixe-zebra precisa de 40 minutos para realizar a primeira segmentação após a fertilização, por exemplo.

Embora possamos pensar que não há mudanças na fase zigótica, na verdade ocorrem muitos processos dentro do ovo, que posteriormente resultarão no nascimento de uma nova vida.

2. Fase de segmentação

Começa quando a primeira divisão do zigoto ocorre, e é uma segmentação meroblástica. Isso acontece porque os ovos dos peixes têm um vitelo que limita a área onde o embrião pode se desenvolver. Portanto, há um espaço reduzido para a segmentação.

As divisões – tanto verticais quanto horizontais – são rápidas e sincronizadas, o que tem como resultado a blástula discoide, um ‘amontoado’ de células dentro do vitelo.

3. Fase de gastrulação

Nesta terceira fase, há um rearranjo das células através de movimentos morfogenéticos (para que todas tenham as mesmas informações). No desenvolvimento embrionário dos peixes, essa fase é conhecida como involução.

Esta fase é caracterizada por uma redução na taxa de divisão celular e por um crescimento nulo. Apesar disso, muitas coisas interessantes acontecem; a endoderma, a ectoderma e a discogástrula, todas elas camadas celulares, são formadas nesta etapa.

Ovos de peixes

4. Fase de diferenciação

Agora é a hora dos órgãos específicos que permitam a identificação do novo indivíduo aparecerem. Nesta fase de diferenciação, aparecem as vesículas cefálicas (cérebro), ópticas (olhos) e o blastóporo (ânus).

Gradualmente, os ossos da coluna vertebral, os músculos e os outros órgãos também se formarão: epiderme, derme, sistema nervoso, trato digestivo, órgãos reprodutivos, sistema circulatório, etc.

Uma vez que o indivíduo está perfeitamente formado, chega a hora da eclosão, a fase final do desenvolvimento embrionário dos peixes. Quando nascem, eles já têm a mesma forma que terão quando adultos, mas em tamanho pequeno. É como se fossem uma cópia exata dos seus pais!