Devo levar meu cachorro a um psicólogo?

· janeiro 14, 2019
Quando, sem justa causa, um cão apresenta sintomas de depressão, comportamentos agressivos ou mudanças em sua rotina, é hora de contar com a ajuda destes profissionais.

Os cães podem passar por situações ou circunstâncias que os impedem de serem felizes e equilibrados, e é por isso que eles podem precisar de um psicólogo. Isso era impensável há alguns anos, mas hoje parece que o estresse da vida é transmitido a eles e nossos pets podem precisar de ajuda adicional.

Como saber se meu cachorro precisa de um psicólogo?

Obviamente, isso não significa que todos os cães tenham que ir a um psicólogo, mas, em alguns casos, sim.

Cães são animais sociais e, às vezes, conviver com humanos e outros da sua espécie pode ser difícil para eles também. Estas são as razões pelas quais um animal de estimação pode precisar de um psicólogo:

Comportamento agressivo

Às vezes, podemos adotar um cão que já mostra comportamentos agressivos ou, ainda, nosso animal de estimação pode vir a tê-los de repente. 

Isso pode ter sido causado por traumas, medos ou outros fatores que não podemos controlar.

A melhor coisa para ajudar o nosso animal de estimação em tais casos é levá-lo a um psicólogo para que ele possa determinar a melhor maneira de tratá-lo e até mesmo iniciar um tratamento, se necessário.

Depressão

Depressões em cães são mais comuns do que imaginamos, embora não devam ser confundidas com tédio ou tristeza passageira por um evento específico.

Se você tem certeza de que seu animal está deprimido, não hesite em levá-lo a um psicólogo.

cão deprimido

A maneira de determinar isso é observando as mudanças nas atitudes do seu cão. Se ele está letárgico, não quer andar, brincar ou comer, dorme mais do que o habitual, e se sente assim sem causa aparente, não hesite em levá-lo a um psicólogo.

Repare que dizemos sem justa causa, pois às vezes os animais podem passar por um momento triste devido à morte de outro animal de estimação, um parente ou outras razões.

Mudanças na sua rotina

Os cães são animais de rotina e, quando ela muda, é possível que o corpo e as emoções sofram desequilíbrios. 

Estas mudanças podem ser, como mencionado acima, a morte de um animal de estimação com quem compartilhou parte de sua vida, uma mudança de lar, a morte de um membro da família ou trauma de abuso, acidente ou outras causas.

Deve-se ter em mente que todas essas causas requerem um processo de aceitação e superação, e que é necessário um tempo até que o animal comece a se sentir melhor.

Mas quando esse tempo se prolonga demais, um problema pode estar presente, algo que apenas um psicólogo poderá resolver.

Como escolher um bom psicólogo para cães

Se você acredita firmemente que seu cão está em uma dessas situações, é necessário que você decida levá-lo a um psicólogo. A questão que pode surgir é como encontrar um que possa ajudar nosso animal de estimação.

Cachorro triste

Embora seja verdade que os veterinários estão preparados para resolver muitas situações pelas quais nosso animal de estimação passa, também é verdade que há alguns problemas que eles não conseguem resolver.

No entanto, a fim de escolher um bom psicólogo de cães, o primeiro passo é pedir ao seu veterinário para recomendar um. 

Eles se conhecem e sabem como recomendar um bom profissional para ajudar seu cão a superar qualquer problema que tenha causado um bloqueio emocional.

Você pode pedir que ele lhe dê mais de uma sugestão para procurar informações sobre eles na internet. Além disso, as redes sociais também são uma excelente ferramenta para encontrar um bom psicólogo para cães.

Às vezes é possível que, em vez de um psicólogo, seu animal de estimação precise apenas de um treinador para corrigir alguns comportamentos.

Portanto, o primeiro passo é conversar com seu veterinário para saber qual profissional se deve procurar.

Agora que você sabe que esses profissionais de saúde animal podem ajudar, não demore a levá-lo se você perceber que é necessário.

Lembre-se de que garantir a sua saúde mental também é um dever seu, incluído na responsabilidade da posse do animal de estimação.