As 10 intoxicações mais comuns em cães

A prevenção é essencial para evitar as intoxicações mais comuns em cães. Aqui você poderá conhecer os 10 mais comuns nas residências e como evitá-los.
As 10 intoxicações mais comuns em cães

Última atualização: 11 Outubro, 2021

Os cães podem se tornar verdadeiros aspiradores de pó de comida e encontrar sabores apetitosos e cheiros ocultos. Se certos produtos e alimentos não forem mantidos em segurança, você terá que levar o animal ao veterinário por causa de alguma das intoxicações mais comuns em cães.

Muitas vezes, porém, é difícil saber quais substâncias podem representar um problema e quais não. Para ajudar você a entender melhor, aqui estão os alimentos e produtos mais comuns que podem intoxicar seu canídeo em casa. Não perca.

As 10 intoxicações mais comuns em cães

Uma intoxicações em um cão tem sintomas específicos dependendo da substância ingerida e variam desde vômitos até sinais neurológicos. Portanto, se você notar algo estranho no seu cão (diarreia, dificuldades respiratórias, falta de coordenação motora e muito mais) dirija-se imediatamente à clínica: pode ser uma questão de vida ou morte.

Embora seja sempre melhor procurar ajuda profissional, é sempre bom saber quais são as possíveis toxinas domésticas para os cães, a fim de prevenir problemas. Aqui estão as 10 mais comuns.

1. Medicamentos

Tanto pelo cheiro quanto pelo gosto, os medicamentos podem ser vistos como um petisco pelo seu cão (medicamentos para crianças, por exemplo, às vezes contêm açúcar). Portanto, se você não tomar precauções seu cão pode se intoxicar por ingerir um princípio ativo venenoso para ele ou por overdose.

Os medicamentos mais comuns em casa e perigosos para um cão são o ibuprofeno, o naproxeno e o paracetamol. Outros, como antidepressivos, medicamentos para TDAH, derivados da vitamina D, relaxantes musculares ou pílulas anticoncepcionais podem causar choque tóxico em cães se ingeridos em grandes quantidades.

Existem muitos tipos de laxantes para cães.

2. Rodenticidas

O cão pode se intoxicar ao comer o veneno rodenticida ou ao caçar um roedor que o ingeriu. Esses produtos químicos para ratos e similares geralmente contêm uma neurotoxina chamada brometalina, que causa perda de apetite, problemas motores ou paralisia nos membros posteriores, tremores musculares e convulsões.

Existem também compostos anticoagulantes que fazem o roedor morrer de hemorragia interna. Sua ingestão representa uma emergência veterinária.

3. Chocolate, uma das intoxicações mais comuns em cães

O chocolate contém teobromina, assim como os refrigerantes de cola, o extrato de guaraná e o chá (embora este último a contenha em menor quantidade). Essa substância é altamente tóxica e produz sede extrema, diarreia, frequência cardíaca irregular, respiração ofegante, tremores e convulsões nos cães que a consomem.

A urgência vai depender do tamanho do cão e da quantidade de chocolate ingerida, mas não deixe de levar o animal à clínica por mais leve que o quadro possa parecer.

4. Lixo

Os cães que conseguem enfiar a cabeça no lixo e se banquetear podem se intoxicar com comida estragada lá. A liberação de toxinas por bactérias em decomposição causa sinais neuromotores e digestivos no animal.

Oleaginosas mofadas contêm Penitrem A, uma neurotoxina que causa dor abdominal, vômito, diarreia e desidratação, e leva a um estado de choque.

5. Plantas venenosas

Outra das intoxicações mais comuns em cães ocorre em casas com jardins. Algumas plantas, embora bonitas, podem ser um perigo real para o seu cão. Os sinais mais comuns após a ingestão de vegetais tóxicos são vômitos, salivação excessiva, aumento da frequência cardíaca, convulsões, coma e até morte.

Algumas das plantas venenosas mais comuns em jardins e casas são lírios, oleandros, suculentas e crisântemos. Se você quiser saber quais vasos são seguros para o seu cão, a Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade com os Animais (ASPCA) fornece uma lista completa de plantas a serem consideradas nesse âmbito.

6. Maconha e outras drogas

O uso de maconha, cocaína ou outras substâncias facilmente acessíveis também pode causar acidentes em cães. A maconha, por exemplo, causa dilatação da pupila, hipotermia, mudanças repentinas de comportamento, agressividade pontual, tremores musculares, nistagmo (movimentos involuntários dos olhos) e convulsões.

7. Produtos de limpeza doméstica

Os produtos de limpeza são tão tóxicos para você quanto para o seu cão, então não há dúvidas sobre quais deixar fora de alcance. Os sintomas variam de vômitos e diarreia até convulsões e morte passando por úlceras e sinais neurológicos. Alguns são mais perigosos do que outros, mas todos afetam a saúde do seu cão após a ingestão em maior ou menor grau.

8. Inseticidas

Os produtos inseticidas (seja para uso doméstico, jardim ou agrícola) são a causa de algumas das intoxicações mais comuns em cães. Mesmo que não o ingiram diretamente, podem inalá-lo no caso de difusores ou sprays.

Existem vários sintomas associados às intoxicações por inseticida: febre, vômito, anorexia, depressão, tremores musculares, pupilas contraídas, aumento da frequência cardíaca e insuficiência respiratória. Dependendo da quantidade à qual o cão tiver sido exposto, ele pode não apresentar sinais clínicos ou necessitar de assistência imediata.

9. Metais pesados

Embora possa parecer difícil de imaginar, um cão pode se intoxicar com metais pesados pelo ar, bebendo água contaminada ou até comendo alimentos tratados com certos produtos químicos. A emergência veterinária mais comum é quando o cão bebe o conteúdo de uma lata de tinta aberta.

10. Cogumelos venenosos, uma das intoxicações mais comuns em cães de campo

Levar os cães para o campo deve ser uma atividade supervisionada, pois o animal pode comer algo perigoso para sua saúde se ninguém estiver olhando para ele. É o caso dos cogumelos, já que algumas espécies são venenosas, como a Amanita phalloides ou a Lepiota brunneoincarnata, muito parecidas com o champignon.

A intoxicação começa a ser notada entre 6 e 8 horas após a ingestão, e os sintomas são fortes dores gastrointestinais, vômitos e diarreia.

Os cuidados de um cão esterilizado são múltiplos.

Nunca espere que os sintomas apareçam

Como você pôde perceber em todos esses exemplos, os sintomas causados pela intoxicação são, em muitos casos, semelhantes entre si. Se você não viu o que seu cão pode ter comido, não será capaz de dizer pelos sinais clínicos.

Nunca espere para levar seu cão ao veterinário, mesmo que seus sintomas sejam leves. Pode ser necessário evitar as consequências subsequentes, uma lavagem do estômago, a aplicação de carvão ativado ou fornecer um antídoto ao animal. Para sua segurança e paz de espírito, previna as intoxicações e tenha o contato de um veterinário de emergência 24 horas.

Pode interessar a você...
Por que a cor do vômito do meu cachorro é verde?
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Por que a cor do vômito do meu cachorro é verde?

Se a cor do vômito do seu cachorro for verde, é melhor levá-lo ao veterinário. Com animais de estimação, é melhor prevenir do que remediar.



  • Toxic and Non-Toxic Plant List – Dogs. (s. f.). ASPCA. Recuperado 11 de septiembre de 2021, de https://www.aspca.org/pet-care/animal-poison-control/dogs-plant-list
  • Daza, M., & Ayuso, E. (2004). Intoxicaciones más frecuentes en pequeños animales. Clínica veterinaria de pequeños animales24(4), 0231-239.
  • Albaine Pons, J. R. (1985). Biología de Cannabis Sativa (Marihuana): efectos sobre animales de laboratorio. Ciencia y sociedad.