Dieta leve para cães

· julho 8, 2018
Os cães também podem apresentar vômitos e diarreias causados pelos excessos alimentares e intoxicações.

Os cães também podem apresentar vômitos e diarreias causados pelo excesso na alimentação e pelo consumo de substâncias tóxicas. Nesses casos, a ração industrializada pode ser de difícil digestão e pouco apetitosa para os nossos melhores amigos. Por isso, uma dieta leve pode ser uma ótima opção para evitar o quadro de desnutrição e desidratação.

Ressaltamos que é muito importante consultar um veterinário ao observar qualquer mudança na rotina do animal. O profissional poderá analisar a saúde do cão e diagnosticar a causa de qualquer anomalia. Mesmo assim, é sempre útil saber como e quando preparar uma dieta leve para facilitar o apetite e a digestão de nossos cães.

Quando a dieta leve para cães é recomendada?

O principal objetivo da dieta leve é proporcionar um alimento altamente digerível, mas que mantenha o cão bem nutrido e hidratado. Esse tipo de alimentação é muito indicada para os quadros de diarreia e vômito.

Essa dieta também é recomendada para os seguintes casos:

  • Perda de apetite
  • Etapa de transição de uma dieta industrializada – ração – para uma alimentação caseira e natural (BARF)
  • Dificuldade ou problemas digestivos
  • Recuperação de procedimentos cirúrgicos
  • Casos de desnutrição ou debilidade avançada
  • Durante o tratamento de câncer

Nos casos de desnutrição ou debilidade, a dieta suave deve ser altamente calórica, de modo a suprir as deficiências nutricionais do animal. O ideal é oferecer um maior aporte de proteínas altamente digeríveis e gorduras boas, como ômegas 3, 6 e 9.

Os carboidratos estão presentes neste tipo de tratamento, mas em quantidade moderada. Assim, evitamos a formação de gases e problemas digestivos.

Como preparar uma dieta leve e nutritiva para cães?

Uma dieta leve caseira, nutritiva e natural para cães deve conter cerca de 80% de proteínas de origem animal e 20% de frutas ou verduras. A fonte de proteína animal deve priorizar carnes brancas com baixo teor de gordura, como frango, coelho, peixes, peru etc.

As verduras e frutas devem ser de fácil digestão e ricos em fibras, como maçãs, abóboras, batatas, cenouras, morangos ou pêssegos. O ideal é ferver esses alimentos e aproveitar o caldo para preparar a comida.

As verduras de folhas verdes e as frutas cítricas deverão ser evitadas na dieta leve. Esse tipo alimento pode provocar danos no trato digestivo dos cachorros.

O organismo dos cães é biologicamente preparado para digerir carne crua. Para evitar o risco de salmonela ou outros patógenos, basta esquentar a carne na grelha e oferecê-la ao animal semi-crua.

Os condimentos também devem ser evitados. Algumas raras exceções, como a cúrcuma, são muito boas para o sistema imunológico e digestivo dos cachorros. Entretanto, é importante respeitar a dose diária de 60 miligramas, duas ou três vezes por semana, para cães adultos.

Como oferecer uma dieta leve a um cão?

Um cão com diarreia, vômitos ou perda de apetite ficará com muita forme e provavelmente estará desidratado. Por essa razão, devemos evitar o risco de indigestão e oferecer porções pequenas e de forma progressiva.

As quantidades diárias específicas serão definidas pelo médico veterinário, de acordo com o diagnóstico da causa do problema digestivo. De maneira geral, um cão com diarreia poderá ingerir quatro ou cinco porções diárias.

dietas BARF para cães

O objetivo de reduzir a quantidade de alimento ingerido por porção é estimular o funcionamento do trato digestivo, sem sobrecarregar o organismo. Ou seja, fazer com que o animal volte a sua alimentação normal o mais rápido possível.

A dieta leve deve ser mantida até que os sintomas de vômito e diarreia desapareçam. Normalmente, um cão adulto melhora em dois ou três dias. Porém, esse tempo pode variar de acordo com o estado de saúde do animal. Os filhotes e cães idosos necessitam de atenção especial para a evolução do seu estado clínico.

Probióticos para complementar a dieta leve do seu cão

Depois de um quadro de diarreia ou problemas digestivos, a flora intestinal do seu animal será afetada. Isso não só dificulta ainda mais a digestão e a absorção de nutrientes, mas também enfraquece o sistema imunológico.

Para ajudá-lo a repor as bactérias benéficas do trato digestivo, ofereça alimentos probióticos. As melhores fontes naturais são o iogurte e o kefir, sempre na dose máxima de duas colheres de sopa ao dia.

Também é possível usar os probióticos como suplementos na dieta do cão. Os probióticos são substâncias não digeríveis de origem vegetal, que servem de alimento para as bactérias benéficas do trato intestinal.

Em qualquer um dos casos, e para dar maior segurança, é fundamental consultar o veterinário de confiança antes de mudar a dieta dos nossos melhores amigos.