Doença do bico e das penas

· julho 31, 2018
Muitas das aves que sofrem com esta doença morrem sem remédio, antes de um ano desde o início dos sintomas. Geralmente, é transmitida por via oral.

A doença do bico e das penas é uma condição que afeta diferentes espécies de papagaios.  É causada por um vírus que, apesar de incomum, pode causar grandes malformações e outros sintomas importantes, é uma das doenças de aves em cativeiro mais prejudiciais.

Como a doença do bico e das penas é propagada

É uma doença viral, então o responsável por ela é um vírus conhecido como a doença do bico e das penas. Este agente etiológico, representativo do circovírus, foi descoberto após vários surtos na Austrália, no início do século 20.

Os vírus têm muitas rotas de infecção e, neste caso, são normalmente transmitidos por via oral, uma vez que são eliminados pelas fezes e penas das aves infectadas. Um dos fatores que podem desencadear a transmissão desse vírus é o hábito dos papagaios de cuidar uns dos outros. No entanto, também pode ser transmitido aos ovos se os pais estiverem infectados.

Papagaios

Os vírus têm muitas rotas de infecção e, no caso do vírus da doença do bico e das penas, normalmente são transmitidos por via oral, uma vez que são eliminados pelas fezes e penas das aves infectadas.

Quais são os sintomas da doença do bico e das penas?

A doença do bico e das penas afeta principalmente as aves jovens, e essa patologia afeta o fígado e o cérebro, as penas e o sistema imunológico, o que permite a participação de infecções secundárias.

Nesta doença há um crescimento excessivo do bico e das unhas, além da malformação e queda das penas, que apresentam um crescimento anormal. Essa condição pode ser assimilada a outras patologias, como os problemas da muda de penas em papagaios, ou até mesmo algum outro transtorno, como o bicar, que geralmente é causada por uma depressão nos papagaios.

papagaio espécie

É vital notar que alguns papagaios podem ser portadores da doença do bico e das penas e não apresentarem seus sintomas, mas podem espalhar o vírus. Isso ocorre especialmente em pequenos psitacídeos, como periquitos, ninfas e agapornis. Mesmo assim, muitos pássaros apresentam fortes sintomas e morrem antes de um ano de infectados.

Como já mencionado, esta doença causa imunossupressão que, em conjunto com a infecção, provoca malformações e feridas, o que também é uma das razões para a elevada taxa de mortalidade.

Tratamento e prevenção

Considerando estes sintomas, é aconselhável ir ao veterinário para descartar a presença desta doença que atualmente não tem cura. O diagnóstico é feito através de exames de sangue, porque os sintomas são bastante inespecíficos e não podemos diagnosticar a doença sem este exame.

Com relação à prevenção, no caso de adquirirmos um novo papagaio, os exames correspondentes devem ser realizados, assim como uma quarentena antes da união do indivíduo infectado com outros de sua espécie. Também, é importante limpar e desinfetar objetos que estiveram em contato com animais doentes ou que não conhecemos.

Esta doença é bastante rara e, em geral, os proprietários particulares não devem se preocupar com sua presença. Por outro lado, é uma patologia de grande importância em centros de reprodução ou nas mãos de pessoas com muitos desses pássaros.