5 doenças bacterianas dos elefantes

junho 5, 2020
Existem várias doenças bacterianas que afetam os elefantes, tanto selvagens quanto em cativeiro.

Você já se perguntou quais são as doenças bacterianas dos elefantes? Você acha que elas são as mesmas que podem ocorrer em outras espécies? Ou você não tem tanta certeza disso? Não se preocupe, pois, a seguir, vamos nos aprofundar nesse assunto tão interessante.

Embora geralmente tenham uma vida longa e uma aparência forte, os elefantes são animais que também podem adoecer.

A tuberculose, uma das doenças bacterianas dos elefantes

A tuberculose é uma infecção bacteriana bastante comum que afeta quase todas as espécies de animais. Foi observada em primatas, ruminantes, pássaros, rinocerontes e elefantes.

Como curiosidade, o primeiro caso de tuberculose – descrito em elefantes africanos – data de 1962.

doenças bacterianas dos elefantes

Etiologia

O agente causador é uma micobactéria do complexo Mycobacterium tuberculosis. Humanos e bovinos são o reservatório natural para a maioria das espécies dessa micobactéria.

Transmissão e sintomas

A via de transmissão usual é a ingestão ou inalação de bioaerossóis (ácaros, escamas de pele ou pelo, pólen, esporos de fungos, etc.). No caso dos elefantes, isso ocorre, por exemplo, pelo contato da trompa com a boca de outro espécime.

doenças bacterianas dos elefantes

A tuberculose só é transmissível se o animal tiver a doença ativa, e não apenas latente.

Vale destacar que os elefantes geralmente não apresentam sintomas claros. É possível perceber perda de peso, anorexia e fraqueza crônica. E uma total intolerância ao esforço. Às vezes, é possível ver um corrimento nasal anormal na trompa.

Biossegurança dos cuidadores

Por ser uma doença grave e altamente infecciosa, a prevenção por parte dos cuidadores que tratam os elefantes é essencial: o uso de máscaras, luvas e trajes especializados para lidar com animais doentes, além da higiene subsequente, principalmente das mãos.

Antraz, outra doença perigosa em elefantes

O antraz é uma doença febril aguda que afeta a maioria dos mamíferos domésticos e silvestres e até mesmo aves. Nos elefantes, aparece principalmente nos espécimes que estão em liberdade, embora também já tenha sido descrito em zoológicos.

Etiologia

O agente causador é a bactéria Bacillus anthracis, que produz esporos muito resistentes no ambiente. E a infecção é produzida pela ingestão desses esporos em sua forma vegetativa, os quais vão para o sistema respiratório, intestino, etc., e se disseminam pelo corpo todo. 

A gravidade dessa doença ocorre quando os esporos agem como exotoxinas, alterando a cascata da coagulação e causando hemorragias.

Transmissão e sintomas

Os elefantes podem ser infectados por diversas vias. Vetores, tais como moscas e mosquitos, podem contaminar as feridas na pele ou inocular a bactéria diretamente. Além disso, a bactéria também pode ser excretada com as fezes de animais infectados e contaminar a vegetação ou a água.

A infecção por via respiratória causa pneumonia e dificuldade de respirar. A ingestão das bactérias causa cólica e diarreia hemorrágica. E a condição sistêmica pode causar danos neuronais com paralisia e convulsões.

A salmonelose

A salmonelose geralmente é uma intoxicação alimentar, mas às vezes causa uma doença sistêmica que leva à sepse. E a bactéria causadora é a Salmonella spp.  

Transmissão e sintomas

A salmonela se aloja no trato gastrointestinal dos animais que atuam como reservatório. Ela é eliminada com as fezes, contaminando, assim, o meio ambiente. Portanto, a transmissão geralmente é fecal-oral.

Os elefantes infectados sofrem de anorexia, diarreia e cólica intestinal. Nos casos mais graves, conforme vimos no início, ocorre a sepse.

doenças bacterianas dos elefantes

A colibacilose

Nesse caso, estamos diante de um grupo de doenças causadas pela Escherichia coli. Algumas causam infecções invasivas dos tecidos, enquanto outras, uma enterotoxemia. Mas a E.coli geralmente faz parte da flora intestinal normal dos animais.  

Transmissão e sintomas

A colibacilose é transmitida pela via fecal-oral. Mas as formas clínicas são variadas:

  • Algumas cepas causam diarreia, enterotóxica ou não.
  • Outras produzem uma doença que invade os tecidos e leva à sepse.

A micoplasmose

A micoplasmose é uma infecção das mucosas e membranas serosas que pode chegar a causar uma doença autoimune.

O agente causador é o Mycoplasma spp. e costuma provocar infecções urinárias nos elefantes. A transmissão ocorre através da ingestão de água ou alimentos contaminados com a urina de animais doentes.  

O diagnóstico precoce é fundamental

Como podemos ver, existem várias doenças bacterianas dos elefantes que colocam a saúde desses animais em risco. Assim que os primeiros sintomas forem detectados, elas devem ser tratadas imediatamente da maneira adequada.

Um bom atendimento veterinário desde o início pode contribuir bastante para o processo de recuperação.

  • Fowler M, Mikota S. Biology, Medicine, and Surgery of Elephants. Hoboken: John Wiley & Sons; 2008