Os 12 peixes mais perigosos do mundo

Nem todos os peixes perigosos mostram sua letalidade com corpos enormes e dentes pontiagudos. Não desvie o olhar, pois alguns representantes dessa lista vão deixar você fascinado.
Os 12 peixes mais perigosos do mundo

Última atualização: 04 julho, 2021

Os peixes são vertebrados eminentemente aquáticos, ectotérmicos (não produzem calor metabólico) e com respiração branquial. Sua superfície é coberta por escamas, eles têm barbatanas e o corpo é fusiforme, estando totalmente adaptado à vida e à locomoção debaixo d’água. Mais de 33 000 espécies foram registradas nesse grupo, mas você sabe quais são os peixes mais perigosos do mundo?

Em seus habitats naturais, os peixes tendem a se alimentar de pequenos invertebrados menores que eles (zooplâncton), algas, detritos e outras espécies de peixes. Nenhum desses animais tem como principal presa o ser humano, mas alguns têm dentes, toxinas e outras características que podem nos ferir gravemente. A seguir, vamos apresentar os 12 peixes que você não quer encontrar enquanto nada.

1. Baiacu

Os baiacus não são perigosos por causa de suas mandíbulas ou presas, mas se destacam por sua capacidade de inchar e pela presença de fortes espinhos externos. De qualquer modo, o perigo real de muitas dessas espécies são as substâncias tóxicas que contêm em seus órgãos internos.

Estamos falando da tetrodotoxina, uma toxina mortal poderosa e de ação rápida. Estudos demonstraram que esse composto tóxico é 160 000 vezes mais potente do que a cocaína e bloqueia rapidamente a condução axonal dos neurônios sensoriais. A intoxicação em humanos é causada pela ingestão acidental de órgãos de baiacu em restaurantes que manipulam peixes crus.

São mais de 120 espécies de baiacu, divididas em 28 gêneros diferentes.

 

O baiacu faz parte dos tetraodontídeos.

2. Peixe-leão

A denominação peixe-leão não engloba apenas uma espécie, e sim 9 espécies diferentes que estão agrupadas no gênero Pterois. Novamente, trata-se de um grupo de peixes que não se destacam por suas armas físicas, mas pelas toxinas que produzem. O efeito do seu veneno é inotrópico, afeta a contratilidade muscular, e cronotrópico, altera a frequência cardíaca. Esse animal injeta toxinas através dos espinhas presentes no seu corpo.

Em humanos, o veneno do peixe-leão causa náusea, vômito, confusão, tontura, diarreia e dor no peito. Nos casos mais extremos, pode ocorrer insuficiência cardíaca.

 

O peixe-leão é um dos peixes mais perigosos do mundo.

3. Tubarão-branco (Carcharodon carcharias)

Os tubarões-brancos são um dos animais mais famosos e temidos do mundo. Não é para menos, porque com seus quase 6 metros de comprimento, em média, um espécime é capaz de ingerir até 14 quilos de carne com uma única mordida. Apesar de conter cerca de 3000 dentes em sua boca, raramente os usa contra humanos. Ataques a pessoas por parte dessa espécie são anedóticos.

O tubarão-branco é um dos animais que estão em perigo de extinção na Europa.

 

4. Peixe-pedra Synanceia horrida

Esse é mais um dos peixes mais perigosos do mundo, mas não por causa de suas mandíbulas, e sim por causa de seu veneno. Esse peixe-pedra é o actinopterígio mais venenoso do mundo. Devido às suas neurotoxinas e citotoxinas, o contato direto com as nadadeiras de um espécime dessa espécie é capaz de acabar com a vida de um ser humano. De qualquer modo, já faz muito tempo que não é registrada uma morte por sua ação.

Desde 1959 existe um antiveneno contra as toxinas desses peixes. Isso reduz drasticamente seu potencial mortal.

 

Um dos peixes mais venenosos do mundo.

5. Peixe-tigre Hydrocynus vittatus

Passemos para a água doce, pois o peixe-tigre habita as massas de água terrestres da África, onde as temperaturas são altas e há abundância de presas. Esses animais atingem até 100 centímetros de comprimento, possuem dentes muito poderosos e são capazes de caçar aves durante o voo, saltando da água com rapidez e eficácia.

 

6. Piranhas

O termo “piranha” engloba várias espécies de peixes carnívoros que habitam águas doces de regiões tropicais. Os espécimes mais problemáticos geralmente são do gênero Pygocentrus, mas quase todos os ataques a humanos ocorrem quando há sangue na água ou a vítima já está com uma ferida aberta. Além disso, a maioria das espécies não representa perigo para os humanos.

 

Uma piranha de barriga vermelha em um aquário.

7. Poraquê (Electrophorus electricus)

O próximo integrante da lista vem quebrar o padrão, porque o perigo não está em suas mandíbulas ou seu veneno. O poraquê é um problema devido à sua capacidade de produzir descargas elétricas, a partir das reações que ocorrem nos órgãos de Sachs e de Hut. As mortes causadas por desses animais são extremamente raras, mas aconteceram.

 

Um dos peixes mais perigosos do mundo.

8. Tubarão-tigre (Galeocerdo cuvier)

O tubarão-branco é o rei dos mares, mas seu parente, o tubarão-tigre, é o que mais causa problemas para os humanos. Esses peixes cartilaginosos se aventuram em portos, canais e costas, tornando os encontros com pessoas muito mais comuns. Existem vários estudos que registraram mortes de humanos por causa de ataques desses animais.

Essa espécie é considerada um dos peixes mais perigosos do mundo. É a causa de 50 ataques em média por ano contra seres humanos.

 

Um tubarão-tigre.

9. Barracuda

As barracudas estão incluídas no gênero Sphyraena, um grupo de peixes que tem comprimentos de 50 centímetros a pouco mais de 1 metro. São o terror dos mares para as pequenas espécies de peixes, pois sua velocidade incomum, de 0 a 90 quilômetros/hora em uma única disparada, e seus dentes pontiagudos não deixam nenhuma chance às suas presas.

 

Um dos peixes mais perigosos do mundo.

10. Gar-bicudo (Lepisosteus osseus)

Embora em um ser humano só possa dar um susto, o gar-bicudo é um peixe que chega a ter 200 centímetros e é um superpredador nos rios que habita, nos Estados Unidos. Esses animais são extremamente longevos, pois podem viver entre 15 e 20 anos, com um máximo registrado de 39 anos. Como curiosidade, é importante ressaltar que estão se tornando populares como animais de estimação.

Espécime jovem de um gar-bicudo.

11. Raias

As raias são um grupo de peixes cartilaginosos que pertencem à ordem dos Rajiformes. Das 4 famílias nas quais esse grupo se divide, apenas 2 delas possuem espécimes que possuem ferrões venenosos no primeiro terço da cauda. O maior perigo dessa arma não está em seu potencial tóxico, mas em seu tamanho, pois pode atingir até 30 centímetros de comprimento.

A morte mais notória por uma raia foi a de Steve Irwin, um conservacionista e divulgador australiano. Ele morreu porque o ferrão de um espécime atravessou seu coração.

 

Uma raia gigante de água doce.

12. Moreias

As moreias são peixes em formato de cobra que podem atingir 150 centímetros de comprimento. São excelentes predadoras que se alimentam de invertebrados marinhos e pequenos peixes.

 

As moreias e suas incríveis mandíbulas faríngeas

Como você pôde notar, as estratégias de ataque e defesa no ambiente aquático são tão fascinantes quanto numerosas. Curiosamente, muitos dos peixes mais perigosos do mundo representam um problema quando ingeridos ou se tivermos contato com eles, não por causa de seu potencial como predadores. Certamente, na natureza nem tudo é o que parece.

Pode interessar a você...
7 peixes que respiram fora d’água
Meus Animais
Leia em Meus Animais
7 peixes que respiram fora d’água

Os peixes que respiram fora d'água existem há muitos anos. Hoje, eles sobrevivem graças às suas características especiais.



  • Emilio Salceda y Aída Ortega. «Neurotoxinas: significado biológico y mecanismos de acción». Recogido a 13 de junio en https://web.archive.org/web/20141217154201/http://www.elementos.buap.mx/num74/pdf/29.pdf
  • Simpfendorfer, C. (1992). Biology of tiger sharks (Galeocerdo cuvier) caught by the Queensland shark meshing program off Townsville, Australia. Marine and Freshwater Research, 43(1), 33-43.
  • Keynes, R. D., & Martins-Ferreira, H. (1953). Membrane potentials in the electroplates of the electric eel. The Journal of physiology, 119(2-3), 315-351.
  • Simões, E. M. D. S., Mendes, T. M. A., & Adão, A. (2015). Poisoning after ingestion of pufferfish in Brazil: report of 11 cases. Journal of venomous animals and toxins including tropical diseases, 20, 1-2.
  • Cohen, A. S., & Olek, A. J. (1989). An extract of lionfish (Pterois volitans) spine tissue contains acetylcholine and a toxin that affects neuromuscular transmission. Toxicon, 27(12), 1367-1376.
  • Rahn, H., Rahn, K. B., Howell, B. J., Gans, C., & Tenney, S. M. (1971). Air breathing of the garfish (Lepisosteus osseus). Respiration physiology, 11(3), 285-307.