É possível adestrar um gato?

· junho 7, 2017

Ouvimos falar muito sobre adestrar cães, ensinar-lhes comandos, como: venha, solta, vamos, senta, deita ou fica quieto”. Parece a coisa mais simples do mundo, e que nós mesmos podemos fazer em casa! No entanto, não é tão comum ouvir sobre a possibilidade de fazer o mesmo com os felinos. O que você pensa sobre isso? É possível adestrar um gato?

Existem muitas diferenças entre os cães e os gatos. Dizem que os cães estão entre os animais mais inteligentes que existem e que, por isso, é simples ensiná-los a obedecer ordens. Mas, e quanto aos felinos? Eles também podem ser educados a cumprir regras básicas em casa.

Caso contrário, o gato viveria de forma independente e faria o que quisesse sem nenhum líder que o guiasse. Os animais agem por instinto, por causa disso, precisam de um guia para saber qual caminho seguir e como se comportar.

É possível adestrar um gato?

A resposta é sim e vamos mostrar como fazer isso.

Avalie quais são os maus comportamentos dele

Antes de tentar acabar com um mau comportamento, devemos aprender a reconhecê-lo para poder saber de onde vem o problema e atacar o mal pela raiz. Nos gatos, os problemas de comportamento mais comuns são:

  • Evitar a caixa de areia
  • Marcar móveis e outras coisas com urina e com as unhas
  • Arranhar você ou outros membros da família enquanto brincam
  • Apresentam comportamentos agressivos em relação ao dono ou a outras pessoas
  • Comportam-se de forma agressiva com outros gatos da casa ou outros animais de estimação
  • Estresse a ansiedade
  • Medo de objetos ou de pessoas

Sabendo quais são os maus comportamentos mais comuns, já estamos preparados para pôr mãos à obra em nossa tarefa de adestrar um gato.

Corrija o comportamento dele

Como já sabemos quais coisas os gatos não devem fazer, ou seja, quais comportamentos não naturais eles apresentam, agora, já estamos prontos para modificar esses comportamentos. Para isso, evitaremos os castigos, não importando se forem verbais ou físicos. Nenhum dos dois é aceitável no trato de nenhum ser vivo.

Os castigos não levam a lugar algum, mais ainda, conseguirão o efeito inverso do que aquele que você desejava. Ele sentirá medo de você e não vai querer nem brincar com você nem com outros membros da família, além de ser possível ele apresentar comportamentos agressivos.

Embora possa parecer que os castigos oferecem soluções rápidas, essas sempre são a curto-prazo. Por isso, ainda que seja normal se aborrecer quando o animal faz algo errado, respire fundo ou dê uma volta por aí até que você se acalme para não dizer ou fazer nada que possa causar-lhe arrependimento depois.

Corrija a distância

O que quer dizer isso? Significa fazer o animal relacionar texturas, odores e sabores ou sons desagradáveis com o erro cometido e assim evitar que ele volte a repeti-lo. Como fazer isso?

  1. Papel-alumínio, adesivo, tapete de plástico ou qualquer outro material que você ache que desagrada o seu gato. Eles podem ser colocados sobre os lugares que você não quer que seu gato vá.
  2. Se existem superfícies ou lugares nos quais você não quer que seu gato fique, coloque bolas de algodão com citronela, aromatizador, aloe vera, eucalipto ou qualquer essência que você ache que seja desagradável para o seu animal de estimação.
  3. Cítricos, molhos picantes, pimenta-vermelha ou qualquer outro odor que você saiba que seu animal de estimação não gosta. Você pode esfregá-la por todos os lugares ou superfícies, nas quais você não quer que seu gato fique.
  4. Um assovio, por exemplo, para advertir o seu gato de que não pode subir ali, ou um sino ou qualquer outro barulho que o incomode, é uma excelente ideia para adestrar seu gato.

Junto a essas dicas, lembre-se dos seguintes pontos, muito importantes:

  • Não lhe dê atenção quando ele se comportar mal em um momento de brincadeira.
  • Não perturbe as rotinas dele.
  • Ofereça-lhe arranhadores e brincadeiras diárias.
  • Utilize feromônios artificiais que são vendidos em Pet Shops para reduzir o estresse e a ansiedade dele.