Espirros em gatos: por que ocorrem e o que fazer?

O espirro em gatos é tão comum quanto em outras espécies, mas vale ficar atento às suas possíveis causas para evitar doenças.
Espirros em gatos: por que ocorrem e o que fazer?
Sara González Juárez

Revisado e aprovado por a psicóloga Sara González Juárez.

Última atualização: 10 outubro, 2022

Os espirros em gatos é um daqueles sintomas que nunca são exclusivos de uma única doença. Claro que os gatos espirram de vez em quando, como qualquer outro animal, mas quando isso acontece de forma contínua e são acompanhados de outros sinais, é hora de ir ao veterinário.

Se você tem dúvidas sobre quais podem ser as causas e como agir, aqui vai encontrar alguns dos casos mais comuns. Em geral, não costuma ser uma preocupação, mas é bom saber com que frequência e as situações em que pode ser um problema. Então não perca nada!

Causas de espirros em gatos

Meu gato rouba coisas de mim: por quê?

O espirro é um reflexo pelo qual os patógenos são expelidos do corpo através do trato respiratório, como vírus, bactérias, partículas de poeira ou substâncias irritantes. Portanto, é algo perfeitamente normal, com o objetivo de proteger o corpo de potenciais perigos externos.

No entanto, quando estes se repetem com muita frequência e não desaparecem com o passar dos dias (ou aparecem sintomas adjacentes), é hora de encontrar as causas e decidir se é necessário ir a uma consulta. Aqui estão algumas das causas mais comuns de espirros em gatos.

Causas ambientais

Os gatos têm quase três vezes mais receptores olfativos que os humanos. Enquanto nós temos 20-30 milhões, eles têm 60 milhões. Portanto, odores fortes, como produtos químicos de produtos de limpeza e purificadores de ar, serão muito agressivos para eles. É normal que espirrem se houver aromas fortes em sua casa.

Outras causas são geralmente ar seco ou a presença de poeira. Ambientes muito secos irritam o trato respiratório e é normal o felino espirrar com mais frequência.

Patologias respiratórias

Uma causa mais preocupante de espirros em gatos são as doenças que podem estar causando-os. Estes geralmente apresentam mais do que apenas sintomas de espirro, por isso é útil saber sobre eles abaixo:

  • Infecções virais: vírus como herpes felino ou calicivírus afetam o sistema respiratório dos gatos. Nesses casos, você também observará tosse e febre. Pode desencadear pneumonia.
  • Vírus da imunodeficiência felina (FeLV): esta doença provoca uma queda considerável nas defesas, deixando o animal muito mais suscetível a infecções e outras doenças. Se o gato apresentar sintomas respiratórios, febre ou perda de peso, pode ser necessário fazer um teste para esta doença.
  • Infecções bacterianas: clamídia e bordetella são duas das mais comuns e são altamente contagiosas. Aqui é fácil notar presença de muco e dificuldade para respirar.
  • Alergias: assim como outros animais, o gato pode estar reagindo a algum alérgeno em seu ambiente. Essa opção não deve ser descartada, pois as alergias produzem espirros contínuos e outras reações.

Presença de corpos estranhos no trato respiratório

Um corpo estranho é um objeto que entra no corpo, se aloja nele e causa complicações na saúde do animal. Um exemplo disso são os espinhos ou lâminas de grama, que, ao entrarem nas narinas do gato, irritam sua mucosa e produzem espirros constantes.

Tumores

Embora essa causa esteja um pouco longe de ser a mais comum quando se trata das causas de espirros em gatos, não deve ser descartada. É claro que um tumor não é a primeira coisa a se pensar quando você vê um gato espirrando, mas a presença de caroços na área do rosto ou nariz é sempre um motivo para visitar o veterinário.

O que fazer se meu gato espirrar muito?

Às vezes é possível resolver o problema em casa. Se o seu gato começou a espirrar muito e não há outros sintomas, há várias coisas que você pode fazer:

  • Se houver muita poeira no ambiente (por causa de obras na rua, por exemplo), você pode tentar fechar as janelas e fazer uma limpeza mais profunda para ver se resolve.
  • O mesmo vale para odores fortes: procure guardar melhor os produtos de limpeza ou troque-os por outros menos agressivos. Coloque purificadores de ar apenas onde o gato não entra ou use métodos mais naturais, como plantas aromáticas.
  • Mantenha as vacinas do seu gato em dia, principalmente se ele tiver acesso ao ar livre.
  • Espere e veja se aparecem mais sintomas ou se o espirro passa sozinho.
Um veterinário com parasitas.

Mesmo com tudo isso, não espere muito se estiver preocupado com o assunto. A melhor recomendação que você encontrará aqui é ir ao veterinário e tirar suas dúvidas. Antes de conviver com a preocupação ou arriscar que a possível doença se desenvolva a ponto de colocar em risco a vida do animal, consulte um profissional de confiança.

Algo tão comum quanto um espirro pode ser a causa subjacente de um problema sério ou simplesmente não ser nada. Diante de tamanha ambiguidade, lembre-se de que a saúde do seu felino está em suas mãos, por isso nunca fique na dúvida.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


  • Gehring, U., Heinrich, J., Jacob, B., Richter, K., Fahlbusch, B., Schlenvoigt, G., … & Wichmann, H. E. (2001). Respiratory symptoms in relation to indoor exposure to mite and cat allergens and endotoxins. European respiratory journal18(3), 555-563.
  • Jarvis, D., Zock, J. P., Heinrich, J., Svanes, C., Verlato, G., Olivieri, M., … & Burney, P. (2007). Cat and dust mite allergen levels, specific IgG and IgG4, and respiratory symptoms in adults. Journal of allergy and clinical immunology119(3), 697-704.
  • Sigrist, N. E., Adamik, K. N., Doherr, M. G., & Spreng, D. E. (2011). Evaluation of respiratory parameters at presentation as clinical indicators of the respiratory localization in dogs and cats with respiratory distress. Journal of veterinary emergency and critical care21(1), 13-23.

Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.