Esta cadelinha descobriu o que é carinho após dois anos acorrentada

Quando se vê a imagem atual de Violet, brincando com um bichinho de pelúcia ou feliz de estar passeando pela natureza, talvez seja difícil acreditar que essa cadelinha só soube o que era carinho e bons tratos após 2 anos acorrentada. Agora, aguarda alguém que a adote em um abrigo do Novo México, nos Estados Unidos.

Conheça Violet, a cadela que passou dois anos presa

Violet foi resgatada, juntamente com outros cinco cães em igual situação de abandono e sofrimento, no final do ano passado. Os animais estavam amarrados e expostos às intempéries do meio ambiente, numa propriedade do Condado de San Miguel.

Os voluntários da organização NMDOG chegaram ao local através de uma denúncia vinda de uma mulher que explicou a situação. Essa entidade é especializada em ajudar os cães que passam seus dias acorrentados.

Mas, no caso desses cães, a situação era ainda pior. A pessoa responsável por eles havia sido presa, e os animais ficaram amarrados e sem acesso à comida.

Como nesse condado é ilegal possuir animais presos sem a presença dos proprietários, os voluntários conseguiram levá-los em custódia com a ajuda do xerife local e de outra organização que socorre animais abandonados e que opera na região.

Te contamos a história de Violet, uma cadelinha que passou dois anos acorrentada em uma região do Novo México, Estados Unidos. A cadela só descobriu o que era carinho quando foi resgatada por voluntários de uma organização sem fins lucrativos. Os membros da NMDOG providenciaram os cuidados veterinários e trabalharam na sua ressocialização.

Graças a quem lhe resgatou, a cadelinha por fim conheceu o carinho

Pelo que os membros da NMDOG puderam determinar, Violet tem cerca de 2 anos. Desse modo, pode-se afirmar que, até o momento de seu resgate, passou boa parte de sua vida carregando uma enorme corrente em seu pescoço com um cadeado pesado.

A cadelinha e seus companheiros de cativeiro tiveram que receber atenção veterinária imediata. Violet apresentava queimaduras causadas pelo sol em grande parte de seu corpo. Além disso, tinha uma grave infestação de larvas de moscas em sua pele.

Mas, além de suas más condições físicas, não duvidamos de que essa cadelinha apenas descobriu o que era amor e carinho quando foi resgatada. Por isso, também teve que aprender a perder o medo e a começar a confiar nos seres humanos.

Por exemplo, quando alguém fazia movimentos bruscos com as mãos perto dela, a cadela se encolhia, porque achava que iriam lhe bater. Porém, ela tem respondido bem aos esforços de ressocialização feitos pelos membros dessa organização sem fins lucrativos.

Violet aguarda ser adotada

No momento, Violet está saudável e bastante feliz com sua nova vida. Seus cuidadores na NMDOG esperam que alguma família decida adotá-la.

Enquanto aguarda por essa nova oportunidade, a cadelinha vai ganhando confiança no abrigo. Brinca com seu bichinho de pelúcia e aproveita os passeios pelo parque.

Quem decidir levá-la para casa, deve saber que ela deverá estar protegida dos raios solares na maior parte do tempo. Já sofreu várias queimaduras provocadas pelo astro rei durante o tempo em que passou acorrentada e sem proteção.

Além disso, é necessário dizer que todas as pessoas que decidem ter um cão devem tratá-lo com amor e ter a responsabilidade de proporcionar os cuidados necessários.

Por um mundo sem correntes, nem maus-tratos

Angela Stell, diretora da NMGOD, acredita que Violet conseguirá deixar seu passado de maus-tratos e correntes para atrás e aproveitar uma vida que todos os animais de estimação merecem ter com uma família humana que a ame e a proteja.

Essa organização vem trabalhando desde 2011 com o principal objetivo de resgatar animais acorrentados, de curar seus corpos e almas e de encontrar um lar para os mesmos. A sede fica em Albuquerque, no Novo México.

Esperamos que muitos cães como Violet, que passam por essa terrível situação em vários lugares do mundo, tenham a possibilidade de serem libertados e possam ter uma segunda oportunidade.

Fonte das fotos: Facebook da NMDOG