Dicas para evitar o cheiro de cachorro molhado

· julho 27, 2018
Se, após uma higiene específica e prescrita, o seu animal de estimação continuar a exalar um odor desagradável, é possível que ele possua algum tipo de problema dermatológico. Mas é possível evitar o cheiro de cachorro molhado.

A coexistência com cães traz muitas satisfações para a família, mas também alguns problemas desconfortáveis, como o cheiro de cachorro molhado. Este, acontece quando os cães se molham, porque eles produzem um cheiro forte e característico que não estamos acostumados e, também, que difere do das higienizadas casas humanas.

É um fedor doce e ácido, semelhante à matéria em decomposição, e que pode se intensificar ainda mais em um ambiente quente e úmido.

Qual é a explicação para esse cheiro de cachorro molhado? Ele é formado pelas peculiaridades fisiológicas do cão. Dermatologicamente falando, eles têm camadas de gordura na pele que os protegem da desidratação e de fatores externos. Esta camada oleosa é preenchida com sujeira, bactérias e excreções, que são mantidas sem penetrar em sua pele.

Ao molhar, todos os germes são mobilizados, o que gera um cheiro desagradável e forte. Ocorre tanto no cão quanto nas superfícies que eles entram em contato, como carpetes, móveis e espaços próprios do animal.

Dicas para eliminar o cheiro de cachorro molhado

Este cheiro de cachorro molhado não pode ser evitado, a menos que o cão tenha sido lavado recentemente, embora seja possível amenizá-lo, assim que ele aparecer. A seguir, daremos algumas sugestões:

  • Xampu para cães. Você deve aproveitar a oportunidade, quando o seu animal de estimação estiver molhado, para lhe fazer uma lavagem com algum xampu especialmente desenvolvido para ele.
  • Secagem extrema. A pelagem dos cães deve ser muito bem secada e apenas o uso da toalha não será suficiente para se conseguir isso. Um secador de cabelos elétrico é uma boa opção, mas alguns cães ficam aterrorizados. Neste caso, isso deverá ser feito de forma muito gradual e a baixa temperatura, de modo que o animal se acostume.
  • Recomenda-se escová-lo ao mesmo tempo, para mobilizar os germes que produzem o mau cheiro, especialmente se o animal for de pelos longos.
  • Frequência dos banhosOs cães não devem ser banhados com frequência, pois isso remove a oleosidade natural de suas peles, o que os deixa propensos ao ressecamento, a coceiras, a irritações e torná-os vulneráveis ​​a desenvolverem problemas de pele. O veterinário recomendará a frequência necessária para cada tipo de animal.
  • Rotina de escovação. Especialmente os cães de pelos longos devem fazer uma escovação periódica. Isso distribui sua gordura, remove partículas mortas, matérias estranhas e deixa os pelos com um lindo brilho.