Como evitar a propagação da gripe entre animais de estimação

junho 23, 2020
A gripe em animais de estimação é comum e, apesar do baixo perigo que representa, é aconselhável tomar uma série de medidas para evitar a transmissão entre os animais.

É sabido que muitos animais podem sofrer os efeitos da gripe. Esse vírus se manifesta universalmente em animais, que podem ter sintomas como espirros, dificuldade respiratória, fraqueza geral, febre, entre outros. Pois bem, você conhece alguma medida para evitar a propagação da gripe se o seu animal de estimação ficar gripado? Aqui nós vamos dar algumas dicas para você.

Animal doente

O que é a gripe?

A gripe é uma doença infecciosa causada pelo Influenzavirus A ou Influenzavirus B, ambos vírus de RNA da família Orthomyxoviridae.

O vírus Influenza B afeta apenas os seres humanos, enquanto o Influenza A pode afetar uma grande variedade de espécies, chegando também a infectar acidentalmente pessoas em casos pontuais. Exemplos claros são os casos da gripe aviária ou gripe suína, ambas doenças zoonóticas (que podem ser transmitidas de animais para humanos).

De qualquer forma, se você tiver um animal de estimação e ele ficar gripado, não precisa se preocupar. A propagação da gripe entre animais de companhia, como cães ou gatos, para seus responsáveis é praticamente impossível, uma vez que os microrganismos que causam a doença nas duas espécies são diferentes, apesar dos sintomas serem muito semelhantes.

Embora a taxa de mortalidade por influenza em animais de estimação seja insignificante, é preciso ter em mente que essas cepas virais são altamente contagiosas entre animais da mesma espécie. Essa facilidade de contágio é agravada em centros de proteção animal, como zoológicos, onde precauções extremas devem ser tomadas com os animais doentes.

O que é a gripe?

A primeira barreira é a prevenção

A seguir, apresentaremos uma série de dicas para evitar a propagação da gripe do seu animal de estimação e para que ela vá embora da melhor maneira possível:

  • A primeira barreira é a prevenção. Em estudos, descobriu-se que o vírus da gripe é mais estável ​​e permanece no ar por mais tempo em climas frios e secos. Portanto, evitar expor seu animal de estimação às janelas abertas ou correntes de ar é essencial para o bem-estar do animal.
  • Se você suspeitar que seu animal contraiu gripe, procure um veterinário o mais rápido possível. Além dos sintomas descritos anteriormente, um que geralmente costuma enganar é a temperatura corporal. Por exemplo, a temperatura normal dos cães fica entre 38 e 39 graus. Um valor mais alto indicará que algo está errado.
  • Se a doença for confirmada, a melhor coisa a fazer é isolar o animal dos outros o máximo possível. Em animais que vivem em comunidade, como coelhos ou roedores, é sempre aconselhável ter uma gaiola independente vazia para esse tipo de caso. O animal doente deve ser removido o mais rápido possível da colônia e tratado em um espaço separado do restante.
  • Em animais sociais como os cães, é essencial limitar o contato com outros animais da mesma espécie. Se dois cães coexistirem no mesmo núcleo familiar, será essencial limpar diariamente as superfícies que o animal doente tem contato, mesmo que não sejam compartilhadas. Isso inclui a desinfecção de bebedouros, alimentadores, brinquedos e cobertores, entre outros.
  • Limitar o contato também é essencial durante as caminhadas. Evite sair nas horas mais frias e também impeça o contato com os animais de outras pessoas. As interações e brincadeiras poderão retornar quando seu animal tiver se recuperado.
A primeira barreira é a prevenção

E você, como você pode se proteger?

Embora esse tipo de gripe seja uma doença exclusiva das espécies animais, um aumento de temperatura ou outros sintomas semelhantes aos da gripe podem indicar várias patologias que não correspondem a essa doença.

Assim que você levar seu animal de estimação ao veterinário e receber um diagnóstico, é necessário proteger sua própria saúde. O CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) fornece algumas diretrizes:

  • Lavar frequentemente das mãos é essencial, principalmente após o contato com os animais, evitando o contato direto com as fezes.
  • Limpar imediatamente as fezes do animal e descartá-las adequadamente, usando luvas e tomando medidas extremas de higiene.
  • Evitar, em qualquer circunstância, manipular os alimentos após interagir ou ter contato com os animais.

Com todas essas medidas de prevenção, é possível evitar que um animal doente transmita gripe para outras espécies, sejam elas do mesmo núcleo familiar ou não. Por fim, é necessário que os tutores tenham cuidados com a própria saúde, pois até que um diagnóstico veterinário seja recebido, uma possível doença zoonótica não pode ser descartada.

  • Influenza en animales, CDC. Recogido a 26 de abril en https://espanol.cdc.gov/flu/other/index.html
  • Animales (zoonóticos), CDC. Recogido a 26 de abril en https://www.cdc.gov/parasites/es/animals.html