Existem cachorros mudos?

· maio 14, 2017

Você já viu alguma vez um cachorro que não late? Não? Pois existem! Ainda que pareça incrível, existem cachorros mudos, ou cães que não sabem latir. Contaremos tudo sobre eles.

Apesar de ser uma pergunta estranha, das que pensamos que nunca poderíamos ter uma resposta positiva, você verá que não é bem assim. Vejamos o que se sabe sobre esse assunto.

Os cachorros mudos realmente existem

Recentemente, descobriu-se que os cachorros mudos não são uma exceção à regra. Sendo assim, existem mais casos do que imaginamos. Ao que parece, a maioria deles está concentrada nos países latino-americanos, os que Cristóvão Colombo descobriu.

Parece que os cães indígenas não sabiam latir, mas sim ganir. Por isso, começaram a ser conhecidos como cães mudos. Segundo dizem, estiveram presentes no século 7 e daí em diante foram levados a países como Venezuela ou Cuba.

Mais tarde, foram se espalhando, pois são conhecidos casos de cães mudos no Alasca e em algumas partes dos Estados Unidos mais próximas da América Latina.

Este é um cachorro em particular – é um cão elegante, de pelo curto e com o pescoço comprido – mas não quer dizer que existam cães de qualquer raça que sejam mudos. Conseguimos saber isso graças aos historiadores. Também existem algumas esculturas desses cães que foram encontradas em diversas partes da América Latina, como, por exemplo, em Cuba.

Por que existem cães mudos?

Ao que parece, não é um problema genético ou alguma doença, como todos poderíamos pensar, mas simplesmente uma raça em especial que não tem a capacidade de emitir vocábulos da mesma maneira que fazem os outros cães.

Era um animal ideal e muito apreciado como protetor, caçador e animal de estimação, apesar de apenas emitir pequenos grunhidos, o que o tornava diferente dos outros. Era muito estimado por todos.

Ao que parece, esses cachorros nunca tiveram antepassados que soubessem latir e que os ensinassem. Recordemos que os cachorros são como bebês, irão aprendendo tudo de seus pais e de seu entorno.

Você se lembra do filme “Mogli, o menino lobo”? Mogli não sabia falar, porque havia sido criado entre os gorilas e chimpanzés, por isso, sabia somente emitir sons similares a eles. Neste caso dos cães mudos, acontece o mesmo: não sabem latir porque não puderam aprender de ninguém.

Quando foram descobertos os cães mudos?

Como dissemos anteriormente, os cães mudos foram encontrados nas terras que Cristóvão Colombo descobriu. Porém, não se teve total conhecimento deles até que se encontraram restos desses exemplares no Chile, os quais pareciam ter mais de oito mil anos de linhagem.

É possível que eles tenham chegado ate lá trazidos pelos primeiros antilhanos que viajaram a América do Sul e que se espalharam mais tarde por Cuba e Porto Rico, lugares em que ainda se tem conhecimento de que existam alguns exemplares de cães mudos.

Os primeiros espanhóis que viveram em Cuba levaram cães consigo e que os ajudaram a ver as diferenças entre os seus e os que viviam na ilha. Isso criou dúvidas sobre se realmente existiram ou não cães mudos em Cuba.

Ainda que finalmente tenha sido confirmado que existiram ao menos três raças. De fato, no diário de Cristóvão Colombo, algumas delas são mencionadas.

A natureza nunca deixa de nos surpreender. É provável que, ao ver cachorros mudos, você tenha pensado que não teriam capacidade de latir, mas, como pode ver, acabamos de descobrir mais um segredo da mãe natureza, a mesma que sempre nos faz  ver a vida de forma mais interessante. Os cachorros mudos pareciam ser um de seus segredos mais bem guardados.