O que fazer se a cadela sentir falta dos filhotes?

Quando os filhotes são separados da mãe prematuramente, a cadela sente falta dos pequenos. No entanto, às vezes não há outra alternativa.
O que fazer se a cadela sentir falta dos filhotes?

Última atualização: 18 Novembro, 2021

Todas as espécies que realizam cuidados parentais estabelecem um vínculo mãe-filho. Isso é necessário para o desenvolvimento adequado e a sobrevivência da prole, de modo que tanto os filhos quanto os pais mostrarão sinais de estresse se forem separados. Portanto, quando uma cadela sente falta de seus filhotes, devem ser realizadas intervenções a fim de aliviar seu desconforto.

Embora se saiba que os filhos não devem ser separados da mãe até que estejam prontos para se emancipar, existem certas situações que exigem distanciamento entre eles, como algumas doenças. Esse e outros cenários semelhantes são analisados no artigo a seguir, no qual você pode aprender a lidar com a situação da melhor maneira possível para mães e filhotes. Não perca.

O que acontece se os filhotes forem separados da mãe?

Se você está pensando em separar prematuramente os filhotes de sua mãe, é necessário saber quais as consequências do ato. Essa separação precoce irá influenciar negativamente o desenvolvimento do filhote e a saúde mental da cadela. Estes são os perigos mais comuns que você pode encontrar:

  1. Se todos os filhotes forem retirados ao mesmo tempo, o acúmulo de leite nos seios pode causar mastite na cadela.
  2. O leite materno é o que transmite as defesas necessárias para os filhotes em sua primeira fase de vida. Sem ele, seu sistema imunológico fica prejudicado.
  3. O vínculo entre mãe e filhos estabelece as bases para o afeto saudável nos filhotes, tanto na infância quanto na vida adulta.
  4. Sem a educação da mãe, o filhote terá problemas para socializar com outros cães.
  5. A cadela sente falta dos filhotes, por isso sofre de ansiedade, estresse e uma profunda tristeza que podem acabar levando ao transtorno depressivo.
Os sintomas do parto em cadelas são múltiplos.

Quando é necessário separar os filhotes de sua mãe?

Mesmo sabendo das complicações da separação prematura dos filhotes, às vezes não há outra escolha. Geralmente, é uma medida necessária nos casos em que a vida da mãe ou dos filhotes pode ser comprometida. Aqui estão as situações mais comuns que podem nos obrigar a realizar esse ato.

Separação forçada por doença

Quando um filhote contrai uma doença, geralmente ele fica fraco e é negligenciado pela cadela, o que coloca em risco a vida do pequeno. Além disso, o filhote doente pode infectar seus irmãos, por isso deve ser separado e tratado.

Quando o filhote volta para a mãe, ela costuma identificá-lo quase imediatamente. Quando ele é retirado de perto dela, ela percebe que falta um e o procura por um tempo, por isso é normal que o receba bem quando voltar.

Por complicações após o parto

Às vezes, as complicações que surgem após o parto da cadela exigem a retirada dos filhotes, seja para tratar a mãe ou para que ela não transmita nenhuma doença ou infecção aos filhotes. Algumas das doenças que forçam essa separação são as seguintes:

  • Parto por cesariana: não se trata tanto de a cadela sentir saudades dos filhotes, mas de que ela não os reconhece porque seu parto não foi natural. No entanto, o vínculo geralmente é restabelecido assim que os hormônios da mãe se estabilizam algumas horas após o parto.
  • Eclâmpsia: a mobilização do cálcio para o leite materno pode causar uma queda desse mineral no corpo da cadela, provocando convulsões, problemas respiratórios, perda de consciência, coma e até a morte.
  • Metrite: é uma infecção bacteriana que ocorre no útero por diferentes causas. Provoca febre, letargia, anorexia, vômito, diarreia e secreções com mau cheiro. É uma emergência, porque a cadela pode morrer.
  • Mastite séptica: é uma infecção nas mamas que causa muita dor e pode levar a uma sepse, que comprometerá a vida da mãe. A infecção é transmitida aos filhotes pelo leite. Portanto, eles devem ser alimentados com mamadeira até que a cadela se recupere.

E se a cadela sentir falta de filhotes mortos?

Existe um caso extremo em que a cadela sente saudades dos filhotes: quando eles morrem. Seu corpo vem se preparando hormonalmente há meses para se relacionar com sua prole, então perdê-la é um golpe emocional severo.

Quando isso ocorre, deve ser feito um acompanhamento veterinário para evitar complicações como mastite ou piometra. Na seção psicológica, a mãe pode precisar de algum medicamento para lidar com a situação. Porém, o que a cadela mais vai precisar é que você fique ao lado dela, mostre seu carinho e deixe que ela processe o luto no seu próprio ritmo.

O luto é um sentimento normal no mundo natural. Deixe que a cadela tome seu tempo.

Quando os filhotes devem ser separados da mãe?

Na natureza, os cães jovens se separam da mãe por conta própria quando estão prontos para se defenderem sozinhos. No entanto, em uma família humana costuma ser um ato intencional, uma vez que os filhotes geralmente são doados para alegrar outras casas.

Os filhotes nunca devem ser separados antes das 8 semanas de idade. Embora comecem a comer alimentos sólidos com 4-5 semanas, a dieta dura costuma ser compatível com a amamentação, assim o processo de adaptação não precisa ser interrompido.

Uma cadela brincando com seus filhotes.

Se os filhotes puderem ficar com a mãe até que aprendam com ela tudo o que precisam para interagir com outros cães, tanto melhor. Desta forma, garante-se uma emocionalidade equilibrada e um conjunto de competências sociais que estarão muito mais estabelecidas nos cães jovens do que se as tivessem aprendido por si próprios ou de um ser humano.

Pode interessar a você...
Emergências comuns durante a gestação em cadelas
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Emergências comuns durante a gestação em cadelas

O período de gestação em cadelas é um dos mais críticos e, por isso, a atenção permanente ao seu estado de saúde é indispensável.



  • De los Reyes, M. (1999). Características y cuidados de la preñez y parto de la perra. TecnoVet5(1).
  • Kaszak, I., Ruszczak, A., Kanafa, S., Piłaszewicz, O. W., Sacharczuk, M., & Jurka, P. (2018). New insights of canine mastitis‒a review. Animal Science Papers and Reports36(1), 33-44.
  • Oftedal, O. T. (1984). Lactation in the dog: milk composition and intake by puppies. The Journal of nutrition114(5), 803-812.
  • Moon, P. F., Erb, H. N., Ludders, J. W., Gleed, R. D., & Pascoe, P. J. (2000). Perioperative risk factors for puppies delivered by cesarean section in the United States and Canada. Journal of the American Animal Hospital Association36(4), 359-368.