Fêmea de orangotango albina é libertada na natureza

janeiro 17, 2020
O caso dessa fêmea de orangotango albina é o único no mundo dentro da sua espécie, já que não é comum que existam primatas que apresentem essa característica.

Os animais selvagens de cor branca sempre nos chamaram a atenção, e o caso de Alba, a fêmea albina conhecida por ser o único exemplar de um orangotango com essas características, não foi diferente. O animal, resgatado há um ano, acaba de ser libertado.

Alba, a fêmea de orangotango albina

Alba é mais uma vítima do tráfico ilegal de primatas: os rumores de um orangotango albino no povoado de Tanggirang não passaram despercebidos em Bornéu. Assim, a descoberta de Alba em uma gaiola à espera de ser vendida foi rápida e definitiva para a história do animal.

Foi a Fundação para a Sobrevivência do Orangotango em Bornéu que resgatou esse exemplar de orangotango albino com sinais claros de má nutrição.

Depois de alguns meses no seu centro de resgate, ela se encontrava plenamente recuperada e socializando com outros de sua espécie. No entanto, os conservacionistas queriam dar a Alba a oportunidade de viver em seu habitat.

Os animais albinos são raros na natureza, e é especialmente chamativa a descoberta de um orangotango albino. Quase não se conhecem primatas que apresentam essa característica, ainda que um dos mais famosos seja o Floco de Neve, um gorila albino.

No entanto, nunca havia sido encontrado um orangotango albino e, assim, Alba ficou famosa imediatamente.

Fêmea de orangotango albina é libertada

Volta à natureza?

A libertação da fauna silvestre que viveu em cativeiro é complicada, ainda mais no caso de um animal albino com problemas na pele e com uma aparência tão chamativa para predadores e caçadores furtivos. É por isso que a ONG lançou uma campanha durante o ano passado para poder adquirir mais terrenos nos quais libertar esses animais.

Durante meses, Alba pôde se habituar a um ambiente muito parecido com a natureza. Os seus movimentos entre os galhos e as árvores que rodeavam o centro de recuperação indicavam que o animal talvez pudesse sobreviver na natureza.

Embora a princípio a ideia fosse soltar Alba em uma ilha demarcada, como em outros casos de libertação de primatas, ela foi finalmente libertada em um parque nacional conhecido como Bukit Baka Bukit Raya, uma floresta do centro de Bornéu que pode abrigar uma população de 200 orangotangos, e que é supervisionado pela ONG.

Orangotango em floresta

Alba foi libertada junto com Kika, outra fêmea de orangotango que passou por um processo semelhante de resgate. Ambas estabeleceram laços sociais e parecem aptas a sobreviver em liberdade.

Sem dúvida, a população selvagem de orangotangos de Bornéu está gravemente ameaçada: o cultivo de azeite de dendê e a caça predatória fizeram com que centenas de milhares de exemplares perecessem devido à diminuição de seu habitat.

Os orangotangos estão ameaçados principalmente devido à desaparição de seu habitat, algo que ocorreu especialmente com a espécie à qual Alba pertence, o orangotango de Bornéu.

Dessa espécie gravemente ameaçada, só restam 57.000 exemplares. Por isso, a libertação de Alba e de Kika foi de vital importância. A espécie está cada dia mais protegida, mas também mais encurralada pelo desmatamento que ocorre em Bornéu. Será que ainda há esperança para Alba?