Gabapentina para cães: usos e dosagem

A gabapentina é usada em cães com diagnósticos muito específicos. Saiba como funciona e em que casos é prescrita.
Gabapentina para cães: usos e dosagem

Última atualização: 30 dezembro, 2021

A gabapentina é um medicamento para humanos que tem sido prescrito recentemente por alguns veterinários para tratar certos problemas médicos em cães. Vamos nos aprofundar na natureza desse medicamento, pois muitas dúvidas podem surgir nos tutores sobre sua composição, seus uso e seus possíveis efeitos colaterais.

Antes de continuar, é necessário deixar claro que não é aconselhável medicar animais de estimação sem a autorização de um profissional. Isso é ainda mais desencorajado quando se trata de remédios para uso humano. Por esse motivo, a dose deve ser sempre calculada pelo veterinário levando em consideração as condições, o peso, a raça e o tamanho do animal, entre outras variáveis. Caso contrário, essa prática pode ser fatal.

O que é gabapentina para cães?

A gabapentina pertence ao grupo dos gabapentinoides, que estão relacionados ao neurotransmissor GABA (ácido gama aminobutírico). De acordo com a Mayo Clinic, esse medicamento tem ação antiepiléptica em humanos, por isso é utilizado no tratamento de convulsões, neuropatias e diversas doenças neurológicas e psicológicas.

O mecanismo exato pelo qual essa droga atua não foi identificado, mas acredita-se que iniba a liberação de neurotransmissores excitatórios no cérebro.

Como mencionamos antes, esse medicamento foi fabricado para uso em humanos. No entanto, a eficácia que tem demonstrado em cães fez com que passasse a ser prescrito por veterinários, embora essa prática não seja aprovada pela Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos.

Milpro para cães tem muitas propriedades.

Para que é utilizada a gabapentina para cães?

Tal como acontece com os humanos, a gabapentina para cães é usada para tratar certas doenças de natureza nervosa. Isso inclui convulsões, dor e até ansiedade. Abaixo, nos aprofundamos em sua ação em cada caso.

Previne convulsões

A gabapentina é usada como terapia complementar para prevenir convulsões parciais complexas ou refratárias em cães. Geralmente, é prescrito de forma especial para cães nos quais a ação de outros medicamentos não se mostrou totalmente eficaz.

Na verdade, um estudo que reuniu 11 cães com diagnóstico de epilepsia idiopática refratária relatou que 6 dos cães tratados com gabapentina tiveram o número de ataques por semana reduzido em 50%. Por esse motivo, seu uso é considerado eficaz em cães.

Gabapentina para controlar a dor em cães

Outro dos usos mais importantes desse medicamento em canídeos tem a ver com o controle da dor. De acordo com pesquisas científicas, a gabapentina deve ser a primeira escolha no tratamento das dores neuropáticas e oncológicas. Pode ser o único tratamento ou fazer parte de uma abordagem multimodal.

Da mesma forma, tem se mostrado eficaz no tratamento da dor pós-operatória e associada a doenças articulares degenerativas. Na verdade, segundo critérios médicos, apresenta bons resultados em combinação com analgésicos, anti-inflamatórios não esteroides ou opioides.

Alivia os sintomas de ansiedade

Embora a ciência precise avançar um pouco mais, há algumas evidências que sugerem que a gabapentina ajuda a reduzir a ansiedade em cães e gatos. Se você suspeita que seus cães sofrem desse distúrbio, não os medique em casa: primeiro consulte um profissional para fazer o diagnóstico e prescrever o medicamento indicado de acordo com os sintomas e a origem do problema.

Dosagem de gabapentina para cães

A dose de gabapentina indicada para cães depende da doença ou condição a ser tratada e deve ser prescrita por um veterinário. É preciso lembrar que esse medicamento é fabricado para consumo humano e vem em cápsulas e comprimidos de 100, 300 e 400 miligramas. Além disso, existe uma solução oral de 250 miligramas para cada 5 mililitros de xarope.

Porém, esta última apresentação pode conter xilitol, adoçante presente em diversos produtos que, segundo o FDA, é tóxico para os canídeos e pode levar à morte. Às vezes, seu nome químico é omitido e nominativos como açúcar de madeira, de bétula ou extrato de casca de bétula são usados, então tome cuidado.

Esse medicamento costuma ser administrado entre 3 e 4 vezes ao dia, porque é rapidamente eliminado pelo organismo. Em qualquer caso, o tutor deve seguir à risca as instruções do veterinário responsável pelo tratamento.

Efeitos colaterais da medicação

A gabapentina tem efeitos colaterais leves, como sedação, sonolência e ataxia (dificuldade para coordenar os movimentos), que dependem do indivíduo em tratamento. Esses sinais podem ser mais perceptíveis no início da abordagem clínica, então será prescrita uma dose que deve ser ajustada de acordo com a evolução.

Quando a quantidade ideal de medicamento é encontrada, é provável que os efeitos colaterais desapareçam.

Contraindicações

A gabapentina é contraindicada em cães com hipersensibilidade ao ingrediente ativo, bem como em alguns cães com insuficiência renal ou hepática. Por outro lado, a suspensão abrupta da administração desse medicamento não é recomendada, pois pode causar crises de abstinência.

Reação com outros medicamentos

Como qualquer medicamento, a gabapentina reage com outros fármacos, em alguns casos positivamente e em outros negativamente. A seguir, vamos contar quais são os medicamentos com os quais pode e não pode ser combinado.

Gabapentina e trazodona

A trazodona é um medicamento usado em cães como antidepressivo. Ele atua como um inibidor da recaptação da serotonina e é amplamente prescrito para tratar a ansiedade aguda e promover o relaxamento pós-cirúrgico.

Ao contrário do que acontece com o tramadol, a trazodona pode ser prescrita juntamente com a gabapentina. Na verdade, existem produtos que já são vendidos combinados. Lembramos que a dose deve ser calculada pelo profissional responsável pelo caso.

Misturado com CBD

O canabidiol ou CBD é usado para tratar a dor e a inflamação em animais de estimação. Seus efeitos colaterais foram identificados como poucos, mas é totalmente contraindicado se gabapentina também estiver sendo administrada. Isso porque o risco de sedação é alto, alterando o estado de saúde do cão sob tratamento.

Tramadol e gabapentina

O tramadol é usado para controlar a dor em animais de estimação e humanos. No entanto, estudos têm mostrado que sua eficácia não é tão ampla como se pensava anteriormente. Não é recomendado misturá-lo com gabapentina porque eles têm ação semelhante.

Nolotil para cães pode ser muito útil.

Você conhecia a gabapentina para cães?

Como você pode ver, a gabapentina é um medicamento que traz benefícios para os cães, embora ainda precise ser cientificamente reconhecido como medicamento veterinário. Entretanto, a sua receita deve ficar nas mãos de um profissional e você nunca deve administrá-la sem autorização prévia.

This might interest you...
Nolotil para cães: usos e dosagem
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Nolotil para cães: usos e dosagem

Nolotil para cães pode ajudar o animal em certos episódios, ao seguir algumas diretrizes. Vamos ver os detalhes a serem considerados.



  • Argueta López, Rafael, Argueta García, Rafael, Tramadol en asociación farmacológica en el control del dolor posoperatorio en protocolos analgésicos polimodales preventivos en anestesiología de equinos, pequeñas especies y otras especies no convencionales. REDVET. Revista Electrónica de Veterinaria [Internet]. 2015; 16 (12): 1-17. Recuperado de: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=63643411002
  • Paws Off! Xylitol is Toxic to Dogs. U.S. FOOD & DRUG ADMINISTRATION.
  • Maggini, Alexis; Nejamkin, Pablo. Manejo del dolor crónico en canino con lesión compatible con osteosarcoma apendicular. UNCPBA. 2017.
  • Platt SR, Adams V, Garosi LS, Abramson CJ, Penderis J, De Stefani A, Matiasek L. Treatment with gabapentin of 11 dogs with refractory idiopathic epilepsy. Vet Rec. 2006 Dec 23-30;159(26):881-4. PMID: 17189599.
  • Gabapentina, suero. Mayo Clinic Laboratories.