Infecções por fungos em cães e gatos

15 Dezembro, 2020
A importância das infecções por fungos está em ascensão por causa do aumento dos animais de estimação nas casas.

As infecções por fungos em cães e gatos são um problema de saúde cuja importância está crescendo por diversos motivos. Em primeiro lugar, são infecções impossíveis de erradicar, pois elas vivem no próprio ambiente.

Por outro lado, elas também estão igualmente presentes em humanos, mas geralmente só se desenvolvem em indivíduos com um sistema imunológico em desenvolvimento ou debilitado, por isso falamos de doenças zoonóticas.

Em terceiro lugar, elas não afetam apenas a pele, podendo também afetar outros órgãos, como, por exemplo, os do sistema respiratório. Por fim, diagnosticar, tratar e prevenir os fungos é uma tarefa árdua.

Tipos de infecções por fungos em cães e gatos

As infecções por fungos em cães e gatos não afetam apenas a derme ou o tecido epidérmico. Elas também podem ocorrer em outras partes do corpo, dependendo da espécie de fungo com a qual estivermos lidando. Em muitos casos, é difícil uma cura completa sem recaídas subsequentes.

Dermatofitose

A dermatofitose pode ocorrer tanto em cães quanto em gatos. O fungo responsável em ambos os casos é o Microsporum canis. Esse fungo é o causador das infecções fúngicas em mais de 90% dos casos em cães e gatos. Além disso, é o agente que mais infecta humanos.  

Infecções por fungos em cães e gatos

Criptococose

A criptococose é uma doença causada pelos fungos Cryptococcus neoformans e Cryptococcus gattiiÉ mais frequente e grave em gatos do que em cães, uma vez que geralmente está associada ao vírus da imunodeficiência felina. Esse fungo afeta os olhos, o sistema respiratório, os gânglios linfáticos, a pele, o tecido subcutâneo e o sistema nervoso central.

Rinite micótica

A rinite micótica – exclusiva em cães – é causada por fungos do gênero Conidiobolus. O único sintoma é a descarga intermitente de conteúdo através das narinas. Isso pode ser confundido com um tumor e, por isso, é necessário um diagnóstico diferencial.

Se não for diagnosticado a tempo, esse fungo pode acabar destruindo as conchas nasais e penetrando nos seios da face. Isso causaria a morte do animal por causa da invasão de diferentes órgãos, principalmente do sistema nervoso central.

Micose sistêmica

Causada por fungos do gênero Aspergillus, essa doença comum em cães ainda está sendo estudada. A forma como o fungo entra no corpo ainda é desconhecida, mas acredita-se que possa ocorrer através de um ferimento.

Costuma ser uma doença crônica, cujos sintomas não aparecem até três anos depois do contágio. Pode infectar qualquer órgão do corpo e até mesmo os ossos.

Otite por levedura

A otite por levedura em cães tem cura em 90% dos casos. Para nos 10% restantes, a doença se torna crônica. Esta otite é causada por leveduras do gênero Malassezi. Geralmente é tratada com um conjunto de medicamentos anti-inflamatórios, antifúngicos e antimicrobianos.

Infecções por fungos em cães e gatos

Fungos em cães e gatos: como reconhecê-los?

Diante da suspeita de que o seu animal de estimação possa ter uma infecção por fungos, você deve consultar um veterinário o mais rápido possível. As infecções por fungos geralmente são muito incômodas e, às vezes, bastante perigosas para a vida do seu cachorro ou gato.

Existem diversas maneiras de diagnosticar uma infecção por fungos em cães e gatos. E é o veterinário quem vai determinar qual é a forma mais indicada para o paciente.

  • Lâmpada de Wood: esse dispositivo usa luz ultravioleta para visualizar os fungos que estão na pele dos animais. Para usar a lâmpada de Wood corretamente, ela deve ser deixada acesa durante um período de 5 a 10 minutos para que o comprimento de onda da luz se estabilize. Então, as lesões na pele do animal que suspeitamos que possam ser infecções por fungos são expostas à luz por mais cinco minutos.
  • Exame direto: amostras de pele e pelo podem ser coletadas por raspagem, enquanto as amostras de dentro da orelha podem ser retiradas com um cotonete e examinadas diretamente no microscópio após uma coloração.
  • Cultura: são colhidas amostras dos vários tecidos e fluidos suspeitos de estarem infectados. Elas são colocadas em diferentes meios de cultura, e esperamos para ver se algum fungo se desenvolve ou não. Então, se o fungo não for visualmente identificável, um teste PCR pode ser realizado para determinar a espécie.
Infecções por fungos em cães e gatos

Como os fungos são transmitidos?

Conforme dissemos, muitas dessas infecções por fungos podem ser transmitidas ao homem, mesmo por animais que não apresentam sintomas clínicos. Portanto, é muito importante levar os nossos animais de estimação ao veterinário regularmente.

Os agentes infecciosos podem ser transmitidos por meio de vários mecanismos, tais como:

  • Contato direto com o animal doente sem a profilaxia correspondente.
  • Ingestão direta do patógeno.
  • Inalação, muito comum em fungos de aves, os quais geralmente vêm do trato digestivo e se desenvolvem nas fezes. O contágio é difícil, a menos que não mantenhamos a gaiola devidamente limpa.
  • Vetores intermediários.
  • Mordidas.

Dabanch, J. (2003). Zoonosis. Revista chilena de infectología, 20, 47-51.

García, J. R., & Ynaraja, E. (1991). Diagnóstico de las dermatofitosis en el perro y el gato. Clínica veterinaria de pequeños animales, 11(4), 0219-227.

García, M. E., & Blanco, J. L. (2000). Principales enfermedades fúngicas que afectan a los animales domésticos. Rev Iberoam Micol, 17(Suppl), S2-S7.