Informações para tutores de animais com câncer

Informações para tutores de animais com câncer

Última atualização: 08 Julho, 2021

O câncer não é uma doença recente. Os médicos registram essa terrível doença em humanos há mais de 2000 anos. Em animais, foram conduzidos novos estudos, muitas vezes com base no que foi aprendido sobre o câncer em humanos.

Muitos veterinários e tutores de animais de estimação observaram que os animais desenvolvem câncer com mais frequência durante as fases finais de sua vida. Os cientistas ainda não compreendem a relação exata entre a idade avançada e o desenvolvimento da doença. No entanto, alguns pesquisadores especularam que a idade tende a enfraquecer o sistema imunológico.

Com base em pesquisas em humanos e animais, sabemos que o câncer é um processo complexo que pode ser desencadeado por fatores hereditários, ambientais e nutricionais.

Causas de câncer em animais de estimação

Ainda não se sabe o que causa o câncer em animais de estimação. Mas, segundo estudos, pode-se intuir que tenha origem em uma combinação de fatores genéticos e ambientais. Existem também predisposições em algumas raças para o aparecimento de certos tipos de tumores. A maioria das alterações genéticas que levam ao câncer ocorre devido a mutações espontâneas, que podem se originar como resultado da exposição crônica a substâncias cancerígenas conhecidas, como a luz solar ou certos produtos químicos.

Em relação ao diagnóstico, o câncer em animais de estimação é determinado por meio de uma biópsia, que consiste na retirada de pequenos fragmentos de tecido tumoral. O exame das biópsias permite que os veterinários determinem o tipo de células envolvidas, se o crescimento é benigno ou maligno, e qual pode ser o melhor tratamento a seguir.

Existem diferentes tipos de tumores. Em tumores benignos, uma cápsula fibrosa costuma cobrir relativamente as células tumorais. Alguns tumores benignos comuns em cães, por exemplo, podem ser os lipomas ou tumores gordurosos, que se formam sob a pele, e os papilomas, que têm o formato de uma couve-flor e se encontram dentro da epiderme. Ao microscópio, as células desses tumores se parecem muito com o tecido normal. No entanto, os limites desses tumores geralmente são regulares, o que facilita sua remoção cirúrgica.

Em gatos, os tumores ocorrem quando os animais são relativamente jovens e geralmente podem ser evitados. No entanto, tendem a ser muito mais preocupantes. Normalmente, são tratados por meio de uma intervenção cirúrgica, com bastante sucesso, mas é um processo muito agressivo, já que grande parte do tecido que circunda o tumor é retirado.

A cirurgia só tem sucesso se todas as células tumorais forem removidas ou destruídas, e isso é algo difícil de se fazer. Quanto maior for a massa e o tempo de permanência, menor será a probabilidade de a intervenção ser bem-sucedida. Até 70% desses tumores voltam a crescer após a cirurgia. Contudo, as chances de vida do animal aumentam se, após a intervenção, ele for submetido a um tratamento de radioterapia.

Tratamento com quimioterapia

 

Como lidar com os animais de estimação com câncer

Aproximadamente 25% de todos os animais que recebem quimioterapia apresentam algum tipo de efeito secundário, geralmente um leve desconforto gastrointestinal ou letargia. Os efeitos colaterais são controlados com medicamentos de venda livre ou prescritos. Se um paciente apresentar efeitos secundários graves, a dose de quimioterapia é reduzida para evitar complicações semelhantes no futuro. Em geral, a qualidade de vida dos pacientes que recebem quimioterapia é excelente.

Antes do início da quimioterapia, são tomadas precauções para garantir que os animais de estimação estejam saudáveis o suficiente para serem submetidos ao tratamento. Os exames preliminares permitirão saber tudo sobre um paciente com câncer, o que ajuda a prever melhor os resultados, os efeitos secundários e até mesmo a adaptar planos de recuperação.

É considerada segura a interação entre os animais de estimação com câncer e os membros da família. No entanto, dependendo da medicação que o animal estiver recebendo, pode haver certos momentos em que ele ficará mais vulnerável a contrair alguma infecção, por isso pode ser necessário tomar certos cuidados.

Por outro lado, recomenda-se que os tutores de animais de estimação com câncer usem luvas descartáveis para manusear todos os itens utilizados pelo bichinho. Aconselha-se também lavar as mãos com água e sabão após o contato.

Pode interessar a você...
O olfato do cachorro usado para detectar o câncer de mama
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
O olfato do cachorro usado para detectar o câncer de mama

O olfato do cachorro torna possível detectar certos odores emanados de tumores de câncer muito antes de serem identificados pela medicina. Saiba ma...