Mascotes em Copas do Mundo: conheça 5

janeiro 30, 2019

Desde 1966, são usados mascotes em Copas do Mundo para representar os países. Geralmente, os animais escolhidos representam algo da cultura da nação organizadora.

A Copa Mundial de Futebol é um dos maiores eventos esportivos do planeta, celebrado a cada quatro anos em diferentes países. Desde 1966, o evento conta com um personagem representativo.

Os mascotes em Copas do Mundo podem ser animais, pessoas, comidas ou criaturas futuristas. A seguir, falaremos sobre eles.

Mascotes em Copas do Mundo

Desde a Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra, foi adotado o costume de apresentar mascotes. O personagem escolhido é característico do país organizador, seja na cultura, na gastronomia ou na biodiversidade.

Alguns dos mascotes em Copas do Mundo que fazem parte da “fauna” são:

1. Leão (World Cup Willie)

Não poderíamos começar essa seleção de mascotes em Copas do Mundo sem falar do que inaugurou esta tradição. O leão “Willie” foi apresentado durante a Copa de 1966, celebrada na Inglaterra. Ele vestia a camisa do Reino Unido, de cor branca com listras vermelhas.

World Cup Willie também foi o nome do hino ou tema oficial do campeonato, interpretado por Lonnie Donegan. 

O leão é um dos animais que mais representa o país, por isso está presente no escudo – imagem que abre este artigo – desde o Século 12. Além disso, representa a Premier League, a liga de futebol inglesa.

O felino apareceu novamente na Copa da Alemanha, em 2006, com o nome Goleo IV. Ele vestia uma camisa branca e seu número faz referência ao ano em que foi celebrado o campeonato.

2. Galo (Footix)

Para o Mundial da França, em 1998, o mascote escolhido foi, claro, um galo. O animal é um símbolo nacional e pode ser visto no rugby e na liga local de futebol.

O design do Footix surgiu após um concurso entre várias agências criativas, sendo a vencedora a de Fabrice Pialot.

Galo: mascote da Copa da França

Trata-se de um desenho cujo nome era uma combinação de football e Vercingetorix, um herói lendário do país.

Seu corpo era azul, a crista vermelha e o bico amarelo. Além disso, ele segurava uma bola com a mão e no peito de branco estava escrito “France 98”.

3. Leopardo Africano (Zakumi)

Para a Copa do Mundo da África do Sul, em 2010, foi escolhido um dos animais mais representativos do país. 

Inclusive, seu nome é uma mistura das palavras “za” (código ISO do país) e “kumi”, que significa “10” em várias línguas nativas.

Mascotes da Copa do Mundo

Ele apresenta o corpo amarelo com manchas negras, além de pelo e calças verdes e uma camisa branca.

Além disso, segura uma bola em uma das mãos. O leopardo africano é bastante astuto, ousado e espontâneo, e essas foram as características de um dos mascotes de Copas do Mundo mais memoráveis.

4. Tatu-bola (Fuleco)

Para a comemoração da Copa do Mundo do Brasil, em 2014, o animal escolhido foi o tatu-bola. Esse mamífero endêmico deve seu nome a uma mistura de futebol e ecologia.

Isso porque um dos tópicos desse Mundial, e dos Jogos Olímpicos celebrados no Rio de Janeiro anos mais tarde, foi  a preservação do nosso planeta. Além disso, discutia-se sobre proteger a biodiversidade de um dos maiores países do mundo.

Fuleco: mascote da Copa do Brasil

Quanto ao Fuleco, ele é pertencente à espécie Tolypeutes tricinictus, é amigável, sociável e amável. 

Inclusive, ele também é a favor do meio ambiente, do jogo limpo e da diversão. Além disso, possui as cores da bandeira brasileira: verde, amarelo e azul.

5. Lobo (Zabivaka)

Para o Mundial da Rússia, em 2018, foi escolhido como mascote o lobo, animal típico do país. Seu nome significa “pequeno goleador”. Sua cor é cinza, ele usa óculos e uma roupa branca, azul e vermelha.

Lobo: mascote da Copa da Rússia

O design pertence a Ekaterina Bocharova e foi escolhido através de uma votação pela Internet. Quanto à sua personalidade, ele é sociável, autoconfiante, respeitoso com seus adversários e sabe valorizar seus companheiros.

Além disso, ele gosta de trabalhar em equipe e tem um ótimo senso de direção. Inclusive, muitos desses aspectos ele compartilha com o “verdadeiro” lobo russo.