Matriarcado no reino animal

· abril 27, 2018
Muitas vezes são as fêmeas quem dão a última palavra, seja nas sociedades humanas ou no próprio reino animal. O matriarcado entre os animais é mais comum do que muitos imaginam.

Em muitas sociedades, as fêmeas são responsáveis ​​por liderarem outros indivíduos. Isso não acontece apenas entre os humanos, mas o matriarcado no reino animal é uma das formas mais comuns de organização. Falaremos mais sobre isso no artigo de hoje.

O que é o matriarcado no reino animal?

Este sistema de organização coloca a fêmea como a “cabeça” do grupo. Ela toma decisões sobre migração, alimentação, defesa e qualquer situação importante para todos os integrantes.

Embora saibamos mais sobre as sociedades em que o macho é o patrão, existem várias espécies em que o oposto acontece. Alguns exemplos de matriarcados no reino animal são:

  1. Abelhas

A vida na colmeia gira em torno da abelha rainha, que é a mãe de todos os indivíduos que a compõem, e quem decide quantos machos e quantas fêmeas nascem. Sem ela, a colônia não pode existir, pois é a única que pode se reproduzir, colocando ovos.

Embora a sociedade das abelhas seja majoritariamente composta por fêmeas, elas se dedicam ao trabalho, alimentam as larvas, buscam pólen e constroem o abrigo. Os machos estão lá apenas para fins reprodutivos e, quando cumprem com seu objetivo, morrem.

Família de elefantes

  1. Elefantes

O maior mamífero terrestre se organiza ao redor das fêmeas, embora viva em comunidades com indivíduos de ambos os sexos. Você pode ver em seus ecossistemas naturais, como a savana africana, um bando de várias famílias lideradas por uma “mãe”, cujo trabalho é encontrar água e defender os filhotes, se necessário.

Os elefantes machos desempenham um papel secundário na vida cotidiana: quando atingem a idade adulta afastam-se do grupo para viverem sozinhos. Depois, eles se juntam a um grupo na época de reprodução, mas nas outras estações eles ficam sozinhos ou com um parceiro do mesmo sexo.

  1. Orcas

Este cetáceo é um dos maiores animais do mundo, e é também um dos mais claros exemplos de matriarcado no reino animal: a estrutura social é comandada por uma fêmea adulta, já mãe, que domina outros indivíduos, embora também possam ser formados grupos de fêmeas para compartilhar essa função.

Outro fato interessante é que essa é uma das poucas espécies em que as crias passam a vida toda com suas mães, mesmo depois de formarem suas próprias famílias. Por essa razão, grupos de orcas são compostos por várias gerações, sempre naturalmente comandadas pela fêmea mais velha.

  1. Suricatos

Esta espécie típica da África, especialmente do deserto e das planícies, também carrega uma forma de vida matriarcal. Os grupos são compostos por cerca de 40 indivíduos e a fêmea é responsável por proteger os outros, além de procurar novos territórios quando há perigos ou para conseguir comida para todos.

Ainda que uma única fêmea desses grupos seja considerada a ‘alfa’, as outras também têm papéis importantes dentro da colônia: algumas podem se dedicar a cuidar dos jovens, outras a vigiar durante à noite, enquanto a fêmea principal descansa, etc.

  1. Formiga

modus operandi das formigas é semelhante ao das abelhas, porque elas são parentes, ambas são descendentes da vespa, assim, encontramos no interior do formigueiro uma rainha principal, cuja a função é dar vida pondo ovos e fertilizando-os de acordo com necessidades específicas do formigueiro. Ela decide a quantidade de fêmeas – inférteis – e dos machos que serão usados ​​apenas para reprodução.

Lêmure
Fonte: Mathias Appel
  1. Lêmure

Os lêmures são primatas nativos da ilha de Madagascar, na África, outro claro exemplo de matriarcado no reino animal. Vivem em grupos de pelo menos 15 indivíduos e o domínio é mantido pelas fêmeas, as quais frequentemente se impõem através da violência.

Elas têm prioridade ao escolher a comida e podem até mesmo ingerir a comida dos machos se ainda não estiverem satisfeitas. E não é só isso: eles ainda são “esbofeteados” ou “empurrados” quando se deitam em uma área escolhida por uma fêmea para descansar.

Finalmente, poderíamos falar sobre um caso “estranho” dentro dos exemplos de matriarcado: o dos leões e leoas. Embora “o rei da selva” seja o alfa do grupo, as fêmeas são responsáveis ​​por encontrar comida e perseguir as presas. Além disso, elas podem escolher outro macho mais jovem ou mais forte, se considerarem necessário para o bem comum.