Nanismo no mundo animal: por que ele ocorre?

maio 3, 2019
O nanismo no mundo animal é mais comum do que pensamos. Ele pode ser causado por fatores genéticos, mas também por fatores ambientais. Quais são as espécies pigmeus mais comuns?

O nanismo no mundo animal é um fenômeno que parece incomum. Raramente os humanos param para pensar em por que o nanismo ocorre mais frequentemente no Homo sapiens do que em qualquer outra espécie.

Você já se perguntou por que os animais têm tamanhos diferentes? Na natureza, o tamanho determina a sobrevivência de uma espécie. Por esta razão, o tamanho de um animal está intimamente ligado à sua dinâmica no ecossistema.

Em climas temperados, os animais geralmente são maiores para conservar o calor do corpo. No entanto, em climas quentes, os animais evoluíram para um tamanho menor.

Por sua vez, o tamanho de um predador ou de uma presa pode se tornar sua maior força. Além disso, não é um segredo que, na natureza, o acasalamento bem-sucedido depende do tamanho do espécime.

Então, qual é a razão pela qual as espécies parecem estar ficando menores? Existe uma explicação para o nanismo no mundo animal?

Exemplos de nanismo no mundo animal

Causas comuns de nanismo no mundo animal

O nanismo é um fenômeno pelo qual um ser vivo não parece ser do tamanho típico de outros indivíduos de sua própria espécie. Nos humanos, é fácil determinar rapidamente que um indivíduo sofre de nanismo.

O nanismo em humanos tem sido muito estudado. Atualmente, vários estudos afirmam que existem três razões metabólicas e fisiológicas que dão origem ao nanismo.

Segundo os especialistas, esse fenômeno pode ser devido a causas genéticas, desequilíbrios hormonais ou deficiências nutricionais. Embora o nanismo ocorra em todo o reino animal e vegetal, as causas nem sempre são as mesmas em humanos e animais.

Nos humanos, três dos quatro casos de nanismo são causados ​​pela acondroplasia, uma mutação genética. Essa mutação modifica a proporção entre as extremidades e o tronco de uma pessoa. Enquanto o tronco é semelhante em tamanho ao resto das espécies, as extremidades são muito mais curtas.

Nos animais, o nanismo devido a mutações genéticas ou desequilíbrios hormonais é raro. No entanto, existem casos de nanismo no mundo animal por acondroplasia, e temos vários exemplos.

Nanismo na natureza

O nanismo pela acondroplasia é muito comum em certos tipos de cães. Os dachshunds, ou dachsund, bem como buldogues e bassets, são algumas das raças afetadas por nanismo genético. Este nanismo encurta suas pernas, embora seus troncos ainda sejam de tamanho normal e proporcionais às suas cabeças.

No entanto, sendo uma condição genética, muitas vezes essas raças também sofrem outros tipos de problemas. Acompanhando o nanismo genético, essas raças geralmente apresentam problemas de visão.

Nanismo insular em animais selvagens

Há outro motivo que não está relacionado a causas metabólicas ou fisiológicas. No reino animal, o nanismo evolutivo também é conhecido como nanismo insular. O nanismo insular é o tipo mais comum de nanismo em animais selvagens. Acredite ou não, o nanismo no mundo animal está presente em muitas espécies.

O nanismo insular é um processo evolutivo, através do qual o tamanho de uma espécie varia com os recursos naturais de que dispõe. Assim, em habitats isolados ou de difícil acesso, os animais evoluíram para serem menores.

Em espaços com uma pequena quantidade de comida disponível, há uma clara vantagem em ter um corpo pequeno. Por esta razão, em habitats de difícil acesso e mobilidade, presas e predadores evoluíram para pigmeus.

Elefante pigmeu

Algumas das espécies que se tornaram pigmeus em seu estado selvagem são o elefante pigmeu de Bornéu, o sagui pigmeu e as cabras anãs africanas. Muitos dos animais pigmeus são incrivelmente fofos devido ao seu tamanho peculiar.

Os elefantes pigmeus e os hipopótamos são claramente muito menores do que os seus homólogos “normais”. No entanto, seu tamanho ainda é muito grande, já que um elefante pigmeu adulto pode pesar 5000 quilos.

Cabras pigmeus são espécimes que podem atingir metade do tamanho de uma cabra adulta sem nanismo. Uma cabra anã tem entre 40 e 60 centímetros. Os vídeos de cabras pigmeus são usados ​​como formas de relaxar e se divertir por muitas pessoas.

Nanismo no mundo animal

Um dos casos mais agudos de nanismo no mundo animal é o do sagui pigmeu. Um desses macacos pesa apenas 100 gramas. Um sagui pigmeu é menor que o tamanho da palma da mão de um adulto humano.

Animais de estimação pigmeus

Atualmente, alguns humanos estão altamente atraídos por casos de nanismo no mundo animal. Especialmente em animais de estimação, muitos humanos procuram os casos mais extremos de animais pigmeus.

Devido ao mesmo nanismo no mundo animal, o lobo evoluiu até se transformar no pequeno cão Chihuahua. Algumas pessoas preferem não ter cães ou gatos, mas escolhem outros tipos de animais pigmeus.

Porcos pigmeus

Entre os animais habituais estão cabras pigmeus e, é claro, porcos pigmeus. Qual você prefere?

Wijesinha, R., Hapuarachchi, N., Abbott, B., Pastorini, J., and Fernando, P. (2013). Disproportionate dwarfism in a wild Asian elephant. Gajah. 38, 30-32.