Descubra essa nova espécie de orangotango

· julho 25, 2018

Parece incrível, mas ainda nos dias de hoje continuam descobrindo novas espécies de animais. Neste artigo, vamos fazer sobre a descoberta de uma nova espécie de orangotango.

O certo é que ano após ano novos animais são descobertos, mas essas novas descobertas geralmente são de espécies muito pequenas, quase sempre insetos.

Há quase um século não eram descobertas novas espécies de grandes primatas. Mais especificamente, o último havia sido uma subespécie de bonobo, em 1929. Isso faz com que se eleve a sete o número de espécies de grandes primatas existentes.

Nova espécie de orangotango: o Tapanuli

Essa nova espécie de orangotango foi descoberta em Sumatra, e foi batizada de Tapanuli (Pongo tapanuliensis). No entanto, sua população é estimada em 800 indivíduos, por isso está em perigo de extinção.

Anteriormente, o gênero Pongo era formado por apenas duas espécies: o orangotango de Sumatra e o orangotango de Bornéu, que tem muitas subespécies.

Essa população de orangotangos foi descoberta há muito tempo por cientistas australianos, mas as diferenças com outras espécies de orangotangos são difíceis de serem evidenciadas. Essas diferenças começaram a ser vistas nos esqueletos de orangotangos mortos, especialmente nas medidas do crânio.

No entanto, uma análise genética realizada em 27 orangotangos selvagens evidenciaram que essa população havia se isolado das restantes da de Sumatra há pelo menos 10.000 anos.

Portanto, é preciso lembrar que a principal ameaça aos orangotangos é o desflorestamento. Na Indonésia, perdeu-se desde os anos 50 o equivalente à superfície do Reino Unido e da Espanha.

O principal motivo desse desflorestamento são as plantações de dendezeiros, uma planta que destrói bosques inteiros e que têm um produto muito demandado: o dendê.

No entanto, uma análise genética realizada em 27 orangotangos selvagens evidenciaram que essa população havia se isolado das restantes da de Sumatra há pelo menos 10.000 anos.

O dendê

O dendê é um azeite vegetal que está em centenas de produtos, como cremes de cacau, bolaria industrial, chocolates ultra-processados, etc.

Estima-se que a maioria da produção de dendê seja feita desflorestando zonas de muita biodiversidade, provocando o desaparecimento do equivalente a 90 campos de futebol a cada hora.

Para plantar o dendezeiro deve-se queimar a selva, e cada vez se faz isso de forma mais abusiva. Só em 2015 foram queimados quase dois milhões de hectares para satisfazer o consumo de dendê no Ocidente.

Isso não afeta só os orangotangos, mas também outras espécies, como o elefante asiático e o tigre de Sumatra, muito ligados a esses bosques tropicais.

Só em 2015 foram queimados quase dois milhões de hectares para satisfazer o consumo de dendê no Ocidente.

Chegamos tarde?

Os orangotangos são uma das espécies mais inteligentes do reino animal. Assim como os chimpanzés, quando ensinados eles são capazes de se comunicar por linguagem de sinais e, também, de entender conceitos como o da morte, além de serem capaz de usar e de criar novas ferramentas.

O caso mais famoso foi o do Chantek, um orangotango do zoológico de Atlanta que foi capaz de entender o inglês falado e de se comunicar com fluidez através da linguagem de sinais.

Essa nova espécie de orangotango aumenta a enorme riqueza e biodiversidade da natureza do sudoeste asiático, mas também chama a atenção para o ser humano e seu consumismo.

Chegamos tarde para salvar o Tapanuli? Infelizmente, os cientistas alertam que essa espécies está especificamente vulnerável, e por isso as medidas de conservação do habitat dos orangotangos devem ser intensificadas.

Como é possível descobrir uma nova espécie, estando a mesma prestes a desaparecer? Se não cuidarmos disso, pode ser que o Tapanuli desapareça antes de 2050.

Essa nova espécie de orangotango aumenta a enorme riqueza e biodiversidade da natureza do sudoeste asiático, mas também chama a atenção para o ser humano e seu consumismo. Chegamos tarde para salvar o Tapanuli?

Fonte da imagem: Tim Laman