O espaço ideal para pássaros exóticos

Arrumar o espaço ideal para pássaros exóticos não se limita a escolher uma gaiola. Cuidar do entorno de uma ave também significa reconhecer e respeitar suas necessidades nutricionais, higiênicas e metabólicas.

O cativeiro de pássaros exóticos

A posse de algumas aves exóticas financia o tráfico de animais silvestres. Não é permitido criar em cativeiro particular animais em extinção de qualquer espécie.

Antes de optar por uma espécie, é indispensável averiguar primeiro se sua criação doméstica é permitida. Os tucanos, por exemplo, não podem ser criados em cativeiro sem um certificado específico oficial. A venda e posse desse animal leva a sanções e penas legais.

Aves comendo sementes

Também é importante saber sobre a origem do animal e escolher conscientemente onde adquiri-lo. Não é recomendável optar por compras com pessoas físicas ou lojas sem registro oficial.

Como escolher a gaiola ideal para pássaros

Escolher conscientemente a gaiola é o primeiro passo para construir o espaço ideal para pássaros exóticos. Nela, o animal deve se sentir seguro para se alimentar, descansar e copular.

O tamanho da jaula deve permitir que o animal se mova livremente. O espaço também deve facilitar uma rotina higiênica. Por exemplo, o local dos alimentos jamais deve estar em contato ou muito próximo da bandeja onde ele faz as necessidades. Caso contrário, o risco de contaminação por parasitas é muito alto.

Quando a ave tem a possibilidade de viver livre pelo lugar, a jaula pode ser menor. Os papagaios e as cacatuas geralmente são adestradas facilmente para viver em liberdade e não escapar. Nesses casos, a jaula pode ter de 3 a 4 vezes o tamanho do animal.

Um espaço adequado

Se você possui aves silvestres de maior porte e/ou acostumadas à migração, criá-las em liberdade pode ser um risco. Nesses casos, as gaiolas devem ter pelo menos 6 ou 7 vezes o tamanho do animal. E muitas vezes é recomendável criar um viveiro amplo com paredes de vidro.

É importante contar com brinquedos no interior da jaula para distrair e incentivar a ave a se exercitar. Ainda que pouca gente saiba, muitos pássaros domésticos apresentam sobrepeso devido ao sedentarismo. As aves são muito ativas e podem ficar inquietas ou agressivas quando se entediam.

Alimentação adequada

A alimentação das aves silvestres engloba dietas muito variadas. Existem aves naturalmente carnívoras, insetívoras, granívoras e frutívoras. Cada espécie se adapta a um tipo de dieta, que depende desde do formato do bico até seu sistema digestivo.

A preferência alimentar tem ligação principalmente com o habitat de cada espécie. Cada ecossistema tem fauna e flora específicas. Quanto mais ameno o clima, mais variada e abundante a disponibilidade de alimento. Quando falamos da dieta de uma ave em cativeiro, o ideal é preferir como base uma mistura comercial específica para a espécie. Esses produtos oferecem proporções equilibradas de grãos, sementes e vegetais.

É muito recomendável complementar a dieta de seu pássaro doméstico com elementos frescos e naturais (preferencialmente orgânicos). Assim como a dieta base, o complemento depende da espécie.

Exemplos

As araras são muito propensas à obesidade, por isso sua alimentação é composta em 60% a 70% por sementes. Complementada com 25% a 30% de verduras e 5% a 10% de castanhas.

Os papagaios cinzas precisam de um alto nível de minerais e cálcio. Cerca de 70% de sua alimentação se baseia em sementes e 30% em verduras, frutas frescas e secas.

As aves provenientes da Amazônia têm 40% de sua dieta composta por frutas e verduras frescas, 30% por sementes e 20% por frutas secas e misturas preparadas para aves.

Higiene

As aves são animais muito limpos e, em cativeiro, ficam vulneráveis a infecções por parasitas internos e externos. Esses micro-organismos podem se disseminar com facilidade por toda a gaiola e os acessórios.

pássaro colorido

Por isso, é indispensável higienizar pelo menos duas vezes por semana o espaço de seu pássaro doméstico. Já a bandeja de necessidades e os restos de alimentos devem ser recolhidos e lavados diariamente.

Não se deve acumular comida e/ou excrementos no fundo da jaula, no comedor e/ou no bebedouro. Todos os acessórios devem ser muito bem desinfetados para evitar a proliferação de fungos e bactérias.

Nas lojas de animais, existem produtos específicos que ajudam a combater diversos tipos de parasitas nas aves. Especialmente quando se trata dos ácaros vermelhos, que podem causar problemas graves para a pele e as penas do animal.

Outra boa prática de higiene é revisar periodicamente as patas, penas e o bico de seu pássaro. Ao perceber qualquer ferida, irritação ou endurecimento, é importante levá-lo imediatamente a um veterinário especializado em aves.

Preste atenção em tudo isso e crie um espaço ideal para pássaros exóticos.

Recomendados para você