O Pitbull: um excelente cão babá

· janeiro 16, 2018

Embora, hoje, o pitbull seja considerado uma raça potencialmente perigosa. Antigamente, era o oposto, pois eles serviam como excelentes babás. Descubra quais são as razões desse cão ter passado de um extremo para outro. Vamos ver o que se diz a respeito de seu comportamento e personalidade.

Há muitas pessoas que começam a tremer quando ouvem falar sobre o pitbullEssa raça, infelizmente, ganhou a reputação de ser agressiva. Entretanto, muitos não sabem que ela foi usada no passado como babá. Sim, exatamente isso, babás de crianças.

Já comentamos aqui que, embora existam raças com tendência a serem agressivas, a maioria dos problemas tende a ser atenuado com uma boa educação. Na verdade, esse é o fator determinante da personalidade do cachorro. Os cães da raça pitbull são um bom exemplo disso.

O pitbull: causas da má reputação

Devido às suas características físicas (mandíbula poderosa), o ser humano usou o pitbull como uma maneira fácil de lucrar com as rinhas de cãesDurante anos, várias raças de cachorros foram usadas nessas batalhas ilegais. Eventos reprováveis que divertiam muitas pessoas, enquanto enchiam os bolsos de outras.

Esse uso de pitbulls despertou neles a agressividade. Infelizmente, essa é a característica com a qual estão relacionados hoje. No entanto, isso não significa que o pitbull tenha de ser agressivo ao nascer. Entretanto, pode haver alguma predisposição, porque a raça foi desvirtuada geração após geração. Infelizmente, esses instintos agressivos são transmitidos em grande parte pelo DNA.

Apesar disso, como já dissemos, vale ressatar que a maior parte do trabalho depende da educação recebida. Claro, os donos também têm um papel fundamental. Sabendo disso, vale notar que antes da fama construída em rinhas, o pitbull tinha uma fama bem diferente. Eles eram conhecidos como “cães babá”.

Rinha de pitbulls

O Pitbull: o cão perfeito como babá

Durante o século 19, o pitbull foi considerada a melhor raça para crianças como babá. Na verdade, em cada casa onde havia crianças, havia um pitbull como um cão babá. Independentemente da classe social da família, esses cães ganharam uma boa reputação. Isso se devia a sua tolerância e cuidado com os pequeninos.

Hoje, há evidências claras que comprovam isso. Estudos feitos com pitbulls revelam que são os cães mais tolerantes, exceto pelos golden retrievers. Sim, os golden retrievers são aqueles cães adoráveis ​​que todos amam. Eles costumam acompanhar os cegos e as pessoas com necessidades especiais. Ironias da vida, todos querem chegar perto dessa raça, enquanto fogem do pitbull.

O fato dos pitbulls terem sido usados como babás mostra que sua personalidade é amigável e tolerante. Além disso, esses cães são muito ligados à família, sociáveis e leais. Portanto, as famílias não tinham problemas em deixarem seus filhos sozinhos com eles. Todos sabiam que esse animal era paciente e amoroso, e que, se necessário, defenderia a criança com sua vida.

A imagem que essa raça ganhou foi a de um cão defensor do seu próprio território, dedicado a sua família, protetor dos que o cercam e amigável com todos, inclusive estranhos. Se alguma dessas pessoas estivesse viva hoje, ficaria surpresa ao ver a imagem que foi criada para o pitbull.

De babá ao cão temido

O pitbull passou de ser considerado uma babá perfeita para virar um animal temido. No entanto, eles têm pouca culpa por isso. Quando se comportam agressivamente, a maior parte da culpa costuma ser consequência da ignorância daqueles que os educam. Com “ignorância”, queremos dizer que esses cães exigem certos conhecimentos para que sejam devidamente adestrados.

Pitbull preso na coleira: maus-tratos

O passado que eles tiveram os levaram a terem tendências que devem ser erradicadas. Isso pode ser feito, mas é necessário saber como. Se o animal não receber a atenção de profissionais qualificados ou caso seus donos não saibam educá-lo, a personalidade do pitbull pode ir por um caminho errado.

A realidade é que, atualmente, essa raça, antes usada como babá, tornou-se potencialmente perigosa. Em países como a Espanha, por exemplo, não é possível adotar um pitbull sem licença. Além disso, ele precisará uma focinheira e, claro, ter um seguro.

No entanto, se o pitbull é uma das suas raças preferidas e você planeja adotar um, leve-o a um profissional. Ofereça ao seu amigo a educação que ele merece para que ele tenha uma personalidade leal, carinhosa e doce.