O que é a terceira pálpebra dos cães?

dezembro 15, 2017

Alguns de nossos animais de estimação têm partes do corpo que nós não temos e que, por lógica, ignoramos. No entanto, estas áreas de seu corpo costumam ser importantíssimas para seu bem-estar, e a terceira pálpebra dos olhos também é uma delas.

A ignorância de algumas características do organismo de nosso animal de estimação pode nos levar a descuidar da saúde deles. Este é precisamente o caso da terceira pálpebra dos cães que, a seguir, vamos explicar com mais detalhes.

Também chamada de glândula nictitante, se sabe que esta se ativa quando existe uma pequena lesão ou cisco no olho do animal. Neste sentido, não se trata do sintoma de uma doença ou de algo negativo, é mais um eficaz mecanismo de autoproteção.

Mas vejamos mais sobre a terceira pálpebra dos cães e seu funcionamento:

O que realmente é a terceira pálpebra?

Basicamente, este órgão é uma membrana de tecido conjuntivo. Não possui em si mesmo músculos, nem pelos ou alguma outra cobertura, mas se manifesta quando o olho está em perigo. Em poucas palavras, ela mesmo se ativa como resultado de um reflexo.

Mão segurando o rosto de um cão

Seu funcionamento é simples: ante a lesão ou possível impacto, o tecido se move enquanto o olho é retraído até a órbita. É neste momento quando a terceira pálpebra aparece em uma questão de microssegundos e, passado o perigo, ela voltará a seu estado original.

Ainda que seu aparecimento não seja motivo de preocupação, sua evolução pode ser considerada como um problema de saúde moderado. Neste caso, a primeira coisa a se fazer é ir ao médico para realizar um exame oftalmológico que constate o estado da membrana.

Vantagens da terceira pálpebra

Terceira pálpebra em cães

A princípio, a capacidade protetora do tecido é sua principal utilidade e vantagem para a integridade dos olhos. A mesma também opera ante o aparecimento de úlceras e infecções e, além disso, seu funcionamento facilita a hidratação constante do órgão visual.

De fato, a este órgão é atribuída a produção de 40% das lágrimas dos cães. Com relação às infecções, seu recobrimento permite que os anticorpos reajam na contramão de microrganismos.

Por último, seu movimento natural permite remover ciscos e corpos estranhos que penetrem no órgão ocular. Neste sentido, poderíamos dizer que atua de forma similar a um limpador de para-brisas de carro.

Ainda que nem sempre se possa distinguir, se observarmos que uma película branca cobre um dos dois olhos do cão, então estaremos observando esta membrana. O problema real ocorre quando passado mais de cinco ou seis horas a mesma ainda não retornou a seu lugar.

O fenômeno do ‘olho de cereja’

Algumas vezes, a glândula nictitante sai e não volta a seu lugar, o que se consideraria um prolapso. Esta patologia pode surgir como um fenômeno hereditário, ou simplesmente uma debilidade ou ressecamento do tecido.

Para dizer a verdade, este é um dos quadros mais comuns dentro da oftalmologia veterinária. Cabe destacar que a mesma pode ser mais frequente em algumas raças do que em outras. O Buldogue inglês, o Boxer, o Pequinês, o Chihuahua e o Mastim napolitano são as espécies que têm maior propensão ao prolapso.

Nesses casos, a terceira pálpebra desempenha uma função quase constante, mas além dessas raças, todos os cães, de qualquer idade, podem experimentar um prolapso total da membrana e, o mais apropriado a se fazer é procurar ajuda médica.

Cachorro branco com os olhos azuis

O que fazer em caso de prolapso?

Não existem medicamentos que possam tratar isso. De qualquer forma, o único procedimento disponível é a realização de uma cirurgia para suturar o tecido e o recolher. Quando ocorre um prolapso, o mais lógico a fazer é ir imediatamente ao veterinário.

Com relação aos efeitos doolho de cereja‘, isso não implica em dor ou danos maiores ao olho do animal. Aparentemente, tudo estará bem e os sintomas são praticamente imperceptíveis ao olho humano. Porém, não tratar a tempo poderá produzir outras doenças, como olho ressecado e conjuntivite.

Também não é recomendável que um veterinário extraia a glândula. O que aconteceria em caso de uma extração? Esta ação implicaria no ressecamento do olho de forma permanente. Parte fundamental da proteção do órgão visual de qualquer animal está precisamente na hidratação.

Em resumo, a terceira pálpebra dos cães é natural, normal e exerce uma função vital para a proteção dos olhos. Não devemos nos alarmar, mas se percebermos algo estranho, devemos nos dirigir imediatamente a um especialista de nossa confiança.