As glândulas anais de seu animal de estimação

As glândulas anais de nossos cachorros têm uma importante função: lubrificar o reto para conseguir uma melhor evacuação.

Nos casos em que as glândulas anais não funcionam com a regularidade que deveriam, sobretudo nos cães mais velhos, as consequências podem ser graves: infecções, mau odor e, a mais perigosa, um abscesso.

O que são as glândulas anais?

Se estudarmos anatomicamente os nossos cães ou gatos, veremos que as glândulas anais (ou perianais) se encontram situadas ao lado do ânus e são do tamanho de uma uva, aproximadamente.

A finalidade primordial dessas glândulas anais é armazenar uma substância lubrificante, necessária no momento de defecar. Com ela, a evacuação se torna mais fácil.

Existe outra função muito importante para essa glândula: o reconhecimento por outros indivíduos da mesma espécie. Sempre vemos os cães se cheirando na região anal. Com o odor que se desprende dessas glândulas (que é diferente em cada cão), eles se identificam uns aos outros.

Se as glândulas anais não forem esvaziadas

O normal é que os cães esvaziem sozinhos essas glândulas. Entretanto, também pode ser que tenham dificuldades em fazê-lo pela idade, gravidez ou mesmo por outras circunstâncias.

Em condições normais, a secreção que nossos animais produzem são eliminadas com o passar das fezes através do ânus. Porém, devemos lembrar que as inflamações e infecções são muito frequentes e pode acontecer o caso da retenção dos líquidos na zona anal inflamada. As causas podem ser as fezes muito moles ou também por uma secreção muito densa.

Os sinais que veremos em nosso animal são de uma coceira irritante, dores moderadas ou intensas, falta de apetite, veremos nosso amigo lambendo a zona continuamente, se arrastando pelo chão ou girando sem parar, buscando alívio. Se detectarmos sangue na região, precisamos procurar a clínica veterinária imediatamente.

O pelo comprido e os parasitas

Se nosso cão de estimação tem o pelo comprido ou muito espesso, teremos que controlar para que a higiene de sua zona anal seja cuidadosa. O melhor em todo caso é que seu ânus esteja o mais livre de pelos possível. Não esqueçamos que as doenças podem ser originadas pelo acúmulo de pelo e a restos de matéria fecal que estejam grudados na pelagem do animal. E isso ocasiona coceiras e irritação.

A causa desses problemas também podem ser os parasitas. Um dos parasitas mais comuns, a chamada tênia Dipylidium Caninum, pode ir deixando segmentos que ficaram grudados na zona anal do animal, provocando um prurido intenso. Por isso, o cão buscará alivio arrastando seu ânus no chão.

Esvaziar as glândulas anais

Com que frequência devemos esvaziar as glândulas? Aproximadamente uma vez por mês, dependendo de muitos fatores. Muitas vezes, os problemas de esvaziar as glândulas estão diretamente relacionados com uma alimentação deficiente ou escassa de nossos amigos.

Se não tivermos a experiência necessária ou não nos atrevemos a ajudar o nosso amigo a esvaziar as glândulas anais, o melhor é que um profissional veterinário o faça. Eles nos mostrarão a melhor maneira de realizar o procedimento, para que sejam os proprietários os que ajudem o cão futuramente.

Como esvaziar as glândulas anais

  • Primeiramente, usar luvas finas de látex, que nos darão a devida higiene, porém, sem afetar o tato.
  • Será importante que outra pessoa nos ajude a segurar o cão.
  • O passo seguinte será tranquilizar o animal e levantar lentamente sua cauda. É normal que nosso amigo não permita facilmente que o toquemos nessa parte de seu corpo.
  • Uma vez localizadas as glândulas anais, iremos esticando de maneira suave enquanto as levantamos. Essa seria a forma adequada de empurrar o líquido contido nas glândulas até o ânus, para conseguir esvaziá-las.
  • O líquido possivelmente sairá com pressão. Temos de ter cuidado para não ficar de frente para seu ânus, porque poderia manchar nossa roupa. Para que o líquido (de odor desagradável) não saia se espalhando para todos os lados e suje o local, podemos usar algumas gazes.