Piolhos em aves domésticas

· fevereiro 25, 2018

A infestação de piolhos em aves domésticas é uma das maiores preocupações para os donos. Mas com a higiene adequada e medicina preventiva, é possível evitar facilmente o aparecimento desses parasitas.

Quais são os principais tipos de piolhos em aves domésticas?

Os piolhos são insetos sem asas que atuam como ectoparasitas, afetando quase todas as espécies de aves e mamíferos. Graças à sua facilidade de reprodução e contágio, podem ser considerados uma praga e causar diversas zoonoses.

A ciência já reconhece e cataloga mais de 40 espécies de piolhos em aves. Todos pertencentes à mesma família: a do malófago. E a maioria deles é considerada cosmopolita, tendo se espalhado por todo o planeta.

Eles podem afetar aves domésticas e selvagens de todos os tamanhos e idades. Além disso, as aves infestadas geralmente abrigam mais de um tipo de piolho em seu corpo.

Tucano

A seguir, listaremos as 6 espécies mais frequentes de piolhos em aves domésticas:

  1. “Piolho de cabeça” (Cuclotogaster heterographa)

Esta espécie mede cerca de 2,5 mm e parasita principalmente a área da cabeça e pescoço das aves. Isso afeta principalmente os pássaros jovens e os perus.

Ao contrário do que a maioria pensa, esses piolhos não sugam o sangue do pássaro. Na verdade, eles se alimentam de pequenos resíduos de sua pele e da plumagem. Portanto, eles preferem ficar na base das penas.

A infestação deve ser tratada rapidamente para evitar danos graves à saúde do animal.

  1. “Piolho corporal” (Eomenacanthus stramineus)

Essa espécie é a que mais comumente afeta aves domésticas de diferentes espécies. Geralmente, é muito prejudicial para a saúde do animal, principalmente durante os primeiros meses de vida.

Seu tamanho varia de entre 2,5 e 3,5 mm, sendo uma das espécies mais robustas. É capaz de se alimentar do sangue do pássaro, da pele e de pedaços das penas.

É semelhante às pulgas. Geralmente, preferem ficar nas áreas com menor concentração de penas, como em torno da cloaca. Mas com o avanço da infestação, eles podem parasitar todo o corpo do pássaro, causando lesões graves.

  1. “Piolhos das asas” (Lipeurus caponis)

Esta espécie de tamanho médio (entre 2,0 e 2,5 mm) tem um corpo cinza em tons diferentes. Parasita predominantemente as asas do pássaro, mas também se aloja na cabeça e na cauda.

É popularmente chamado de “piolho desplumante”, pois se alimenta vorazmente de penas. O pássaro afetado rapidamente apresenta falhas em sua plumagem e feridas em suas asas.

  1. “Piolho de pomba” (Columbicola columbae)

Estes piolhos parasitam mais frequentemente os pombos, mas também podem afetar outras espécies de aves domésticas. Seu tamanho médio é de 2,5 a 2,8 mm e sua dieta consiste em resíduos da pele e das penas.

Geralmente se aloja, preferencialmente, na parte interior das asas do pássaro, onde também coloca seus ovos.

  1. “Piolho da haste” (Menopon gallinae)

Esta espécie é pequena e geralmente não passa 2 mm de comprimento. No entanto, pode causar sérios danos à plumagem e à saúde dos pássaros domésticos e selvagens.

Muitas vezes, ele se alimenta de detritos de pele, mas pode sugar o sangue das feridas resultantes. Geralmente fica no peito, no tronco ou nos ombros dos pássaros.

Piolhos vermelhos: um risco cada vez mais alarmante para as aves domésticas

Os piolhos vermelhos podem facilmente parasitar as aves domésticas, causando graves danos à pele e à plumagem.

Esses ectoparasitas geralmente causam uma forte coceira, fazendo com que o pássaro se coce permanentemente. Outro sintoma comum com o avanço da infestação é a perda de vitalidade, causando um estado letárgico ou depressivo.

Existem produtos específicos para a prevenção de piolhos e ácaros vermelhos em papagaios e em outras aves domésticas. O melhor método de prevenção é pulverizar esses produtos periodicamente no corpo do pássaro, além de desinfetar adequadamente a gaiola, os acessórios e toda a casa.

Passarinho doente

Fonte: Juan de Dios Santander Vela

Piolhos nos pássaros: o risco de desenvolver sarna

A infestação de ácaros e piolhos nas aves pode levar ao desenvolvimento de alergias da pele e sarna.

A sarna é uma doença altamente contagiosa que precisa ser tratada rapidamente para preservar a saúde de seus pássaros. Portanto, ao reconhecer os sintomas em seu pássaro, é essencial ir imediatamente ao veterinário.

Seu principal sintoma é a formação de crostas brancas ou verrugas nos olhos, narinas e pernas.

O tratamento, geralmente, consiste na aplicação de pomadas à base de enxofre. O objetivo é combater a inflamação e promover a regeneração das células epiteliais.

A melhor prevenção contra piolhos em aves domésticas é cuidar adequadamente da higiene do lar e do animal. Isso inclui a desparasitação periódica e a vacinação de cada espécie.