Por que meu cachorro come cocô de gato?

Quando o cachorro come cocô de gato, a cena é realmente desagradável (além de perigosa). Descubra aqui os riscos desse comportamento e como evitar.
Por que meu cachorro come cocô de gato?

Última atualização: 09 Novembro, 2021

Um cachorro comendo coisas que não deveria é o pão de cada dia dos tutores. Não importa quanto treinamento seja feito, alguns desses animais não resistem à tentação de colocar na boca a primeira coisa que encontram. Mas por que um cachorro come cocô de gato? O que há de especial para canídeos nessas fezes?

Para nós é uma cena realmente desagradável, mas você verá nas linhas a seguir que esse comportamento tem sua razão de ser. No entanto, isso não significa que a coprofagia seja benéfica para os cães, muito pelo contrário. Aqui você conhecerá todos os detalhes do comportamento.

Por que meu cachorro come o cocô do meu gato?

O comportamento de ingestão de fezes é denominado coprofagia. Não é necessariamente um comportamento anômalo ou patológico, uma vez que muitas espécies o usam para algum propósito. Um exemplo disso são os coelhos, que fazem a digestão em dois ciclos, pois ingerem cecótrofos para aproveitar os nutrientes de forma mais eficaz.

Quando a coprofagia é um comportamento patológico, ela está incluída no transtorno de pica, que se refere aos comportamentos de ingestão de substâncias que não fazem parte da dieta normal da espécie. Quando o cachorro come cocô de gato, trata-se de coprofagia interespecífica.

O que leva um cão a comer as fezes de outra espécie? Aqui estão os principais motivos:

  • Comportamento exploratório: quando o cão explora locais por onde o gato esteve — como a caixa sanitária —, às vezes ele não se limita a cheirar e pega o que está perto para reconhecer o ambiente, nesse caso as fezes.
  • Ambientes sujos: talvez seja um comportamento de limpeza em um ambiente com pouca higiene.
  • Demanda de atenção devido ao reforço do comportamento de coprofagia.
  • Estresse e ansiedade.
  • Tédio: a falta de estimulação ambiental leva a estereotipias como a coprofagia.
  • As fezes são muito palatáveis — têm gosto bom para os cães — como as dos gatos, herbívoros e outros animais superalimentados.
  • Deficiência nutricional: um déficit de algum nutriente essencial pode fazer com que o cão procure alimentos incomuns, como as fezes dos gatos, para tentar solucioná-lo.
  • Instinto de sobrevivência: é o caso de cães recolhidos nas ruas ou que já passaram fome. Se já tiverem comido fezes para sobreviver, esse comportamento pode ter sido fixado neles.
Um gato fazendo cocô em sua caixa de areia.

Riscos para a saúde do cão devido à coprofagia interespecífica

Não, seu cão não deve comer fezes, nem as dele nem as de outras espécies. Embora seja uma adaptação para a sobrevivência que fazia sentido quando os cães viviam em liberdade, no mundo atual esse ato só traz problemas. As doenças derivadas mais frequentes são as que você encontra abaixo:

  • Transtorno gastrointestinal: se o cachorro comer muito cocô de gato, vai fazer mal para ele. Diarreia e vômitos são os sintomas mais comuns de indigestão.
  • Parasitas internos e infecções bacterianas como nematoides, ancilóstomos e tricocéfalos: junto com as fezes do felino o cão ingere esses patógenos que se instalam no trato digestivo. Um patógeno especialmente perigoso é o Toxoplasma gondii, que causa a toxoplasmose.
  • Obstrução intestinal: se o cão comer as fezes diretamente da caixa de areia do gato, provavelmente também estará ingerindo essa areia. Isso, junto com os pelos presentes no cocô felino, pode causar uma obstrução no intestino ou no estômago, uma vez que não são elementos digeríveis.

Um cachorro pode morrer se comer cocô de gato?

Embora seja difícil que um cão morra por ingestão de fezes de gato, é possível. Em geral, a morte do cão se deve mais às doenças associadas à coprofagia do que à quantidade de cocô ingerida.

No caso dos parasitas internos, por exemplo, alguns causam diarreias contínuas que desidratam gravemente o animal e causam déficits de nutrientes que não são absorvidos.

Um dos casos mais graves é a citada toxoplasmose, condição em que os sistemas neuromuscular, intestinal e respiratório são os mais afetados no cão devido aos oocistos do parasita. Os sinais mais comuns da toxoplasmose são tremores, convulsões, marcha descoordenada, fraqueza muscular, paralisia, febre e dificuldade para respirar.

Por outro lado, as consequências de uma obstrução gastrointestinal por comer a areia da caixa do gato também podem ser fatais. Nesses casos, o entupimento do intestino causa o acúmulo do conteúdo digerido, que por sua vez produz gases pela fermentação. Algumas das consequências disso são a necrose do tecido enteral ou a dilatação do mesmo.

Como evitar que seu cachorro coma cocô de gato?

A prevenção será sua melhor amiga ao lidar com esse tipo de comportamento anormal. Embora com alguns cães você sempre tenha que estar vigilante para que eles não comam coisas que não devem, existem certas estratégias que irão reduzir o comportamento da coprofagia:

  • Treinamento positivo: associe um comando simples para que seu cão não coma nada do chão. Por exemplo, quando você o vir farejando perto da caixa de areia, dê o comando e recompense-o se ele se afastar.
  • Forneça enriquecimento ambiental adequado: cães entediados tendem com muito mais frequência a procurar coisas para comer no chão. Se você o mantiver ocupado, o cão não buscará entretenimento com objetos e detritos que não deve tocar.
  • Limpe a caixa de areia o mais rápido possível: procure retirar as fezes do gato logo após a defecação para que seu cão não tenha acesso a elas.
  • Use uma caixa de areia especializada: há uma grande variedade de caixas para gatos, algumas delas com aberturas muito pequenas para o cão coloque a cabeça. Outras possuem sistemas de autolimpeza, que também são úteis.
  • Adicione substâncias repelentes à areia: pimenta ou molho picante são remédios caseiros muito usados. Porém, há cães que não se importam com o cheiro forte dessas substâncias. Se ele ainda comer o cocô do gato mesmo assim, tente outro sistema.
  • Ofereça uma alimentação adequada: uma ração de qualidade complementada com uma variedade de alimentos frescos é a melhor opção para que o seu cão não falte nenhum nutriente ao seu cão. Se você evitar os déficits nutricionais, estará resolvendo uma parte da coprofagia automaticamente.
  • Cuide da saúde do gato: se o felino estiver adequadamente desparasitado e com boa saúde, você evitará muitos dos riscos se cão comer suas fezes de vez em quando — mesmo que isso não seja bom para ele.
Cães e gatos brigam mesmo?

O comportamento de comer fezes pode se tornar obsessivo em alguns cães. Portanto, quando aparece, é aconselhável fazer uma avaliação veterinária para ver se está tudo bem no que diz respeito à saúde do cão. Você também deve consultar um etólogo canino se suspeitar que a coprofagia é um comportamento estereotipado.

Pode interessar a você...
Por que meu gato vomita depois de comer?
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Por que meu gato vomita depois de comer?

Quando um gato vomita depois de comer, é uma indicação de que algo está errado com o animal. Saber a causa é fundamental para poder ajudá-lo.



  • Hernández, C. A. (2010). Emergencias gastrointestinales en perros y gatos. Revista CES Medicina Veterinaria y Zootecnia5(2), 69-85.
  • Díaz Ortíz, L. (2018). Obstrucción intestinal por cuerpo extraño en un canino (Doctoral dissertation, Corporación Universitaria Lasallista).
  • Durlach, R., & Martino, P. (2009). Toxoplasma gondii: Infección en perros y gatos. Temas de zoonosis IV. Cap42.