Primatas e suas características. Conheça-os aqui!

· agosto 9, 2018

Os primatas são uma classe de mamíferos na qual os humanos estão incluídos. É um grupo muito variado, que possui desde lêmures de 30 gramas até gorilas de mais de 200 kg.

Este grupo de animais se caracteriza, entre outras coisas, por ter cinco dedos em suas extremidades. Eles possuem clavícula, visão binocular, órbitas rodeadas de osso, etc. A grande maioria possui unhas no lugar de garras, polegar opositor e visão que capta todas as cores.

Infelizmente, é uma ordem muito ameaçada, pois 60% dos primatas do mundo podem desaparecer em 25 anos. Isso tudo por culpa de uma única espécie: a humana.

Os primatas do nariz úmido

Os primatas mais distantes de nós na escala evolutiva são os estrepsirrinos, cujo nome significa “nariz curvado”. Este fato se deve a apresentarem um nariz úmido (rinário), pois ainda mantêm seu olfato como um de seus sentidos mais importantes.

O que são primatas? Você os conhece?

A este grupo pertencem mais de cem espécies de lêmures que habitam em Madagascar, animais caracterizados por vocalizações muito características e uma surpreendente comunicação olfativa. Entre eles se encontra o famoso e característico lêmure-de-cauda-anelada.

Também encontramos entre os estrepsirrinos os lorisidae e os galagonidae, muitos dos quais são primatas noturnos. As diferentes espécies de lorisidae estão muito ameaçadas devido ao tráfico ilegal como animais de estimação.

Os primatas de nariz simples

Outros primatas são conhecidos como haplorrinos, que significa de “nariz simples”. Nestes casos, o rinário já não está desenvolvido, o que permite o surgimento de rostos reconhecíveis e com expressividade facial em muitos grupos.

Dentro deste grupo se encontram os tarsius, caracterizados por grandes olhos, pés alargados e corpo pequeno. Seu habitat se restringe à Indonésia, onde são considerados animais diabólicos.

Deixando os tarsius em sua família particular de primatas, o resto dos haplorrinos são os simiiformes. Essa ordem de primatas é dividida em macacos do velho mundo e macacos do novo mundo.

Macacos do novo mundo

Todos os primatas deste grupo vivem na América Central e na América do Sul. É neste grupo de macacos que encontraremos animais que conseguem usar sua cauda como um quinto membro.

Essa cauda não apenas permite aos primatas se pendurar em árvores, mas também pegar objetos e se coçar. Possuindo grande sensibilidade, ela funciona como uma mão extra. Um exemplo desta capacidade é o macaco cebus.

Esse grupo de primatas se alimenta em sua maioria de frutas. Além disso, possuem um focinho achatado, com narinas na lateral. São primatas muito ligados às árvores e sofrem muito com o desmatamento.

Neste grupo também encontramos o sagui, um dos menores primatas. O sagui pigmeu pesa pouco mais de 100 gramas. Também encontraremos o bugio-preto, o macaco-da-noite e o macaco-aranha.

Macacos do Velho Mundo

São os primatas simiiformes que habitam a África e a Ásia, sendo os humanos parte desse grupo. Também são chamados de catarrinos,  que significa “nariz para baixo”. Estes não possuem uma cauda como quinto membro e geralmente apresentam calos nas nádegas.

Nós, os humanos, estamos no grupo dos hominídios, dos quais falaremos no final. A maioria dos catarrinos pertence a um grande grupo chamado cercopitécidos. Esse grupo conta com babuínos, macacos, cercopitecos e colobos.

O maior de todos eles é o mandril, que pode chegar aos 50 kg. No entanto, também há cercopitécidos pequenos, como os Miopithecus, que chegam a pesar apenas 1 kg.

Hominídios

Chegamos ao grupo de primatas sem cauda, onde nos encontramos junto aos gibões. Este tipo de primata é muito particular, pois se move por braquiação, ou seja, o balanço entre os galhos, graças a seus longos braços.

O que são primatas? Conheça-os aqui!

Os outros hominídios são chamados de grandes símios. Compartilhamos esse grupo com gorilas, chimpanzés, bonobos e orangotangos.

A maioria deles se encontra na África e, de fato, gorilas, bonobos e chimpanzés podem conviver no mesmo habitat, apesar dessa possibilidade ser cada vez mais remota. Os bonobos e chimpanzés são muito parecidos fisicamente, mas possuem culturas radicalmente distintas.

Este grupo se caracteriza por possuir as mais altas capacidades cognitivas entre os primatas. Há membros de muitas dessas espécies que eram capazes de se comunicar com humanos através da linguagem de sinais e de realizar comportamentos similares a enterros.

Infelizmente, é uma ordem muito ameaçada, pois 60% dos primatas do mundo podem desaparecer em 25 anos. Isso tudo por culpa de uma única espécie: a humana.